Tráfico: PRF apreende aves silvestres

Parece que a pandemia deixou mais à vontade os traficantes de animais silvestres. Quase toda semana tem apreensão principalmente de pássaros, que seriam ilegalmente vendidos em feiras populares do Nordeste. São capturados por gente que quer ganhar dinheiro às custas da liberdade dos animais, tão necessários à natureza e à preservação de nossas florestas. Manter animais silvestres em cativeiro é crime ambiental. Vendê-los é tráfico.

Nesta semana, patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal faziam fiscalização na BR 232, quando pararam uma caminhonete com um carregamento de pássaros que foram capturados em Buíque e que iriam para Lajedo, a 196 quilômetros do Recife. A apreensão, no entanto, foi no quilômetro 223 da rodovia, à altura do município de Pesqueira, no Agreste, Região em que ficam, também, os dois primeiros municípios.

Os animais estavam acondicionados em gaiolas mínimas, sem nenhuma condição de conforto. Eles estavam encobertos com uma lona preta, para despistar a fiscalização. Os animais só foram descobertos, no entanto, porque o veículo foi parado já que estava com o licenciamento em atraso. No carregamento havia treze galos de campina, quatro corrupiões (também conhecidos coo concrizes), um azulão , sabiá e papa-capim.

Também eram transportadas galináceos que estavam encobertos com um lençol. Alguns pareciam ser galos de briga. Foi lavrado termo circunstanciado de ocorrência contra o condutor que disse “comercializar” gaiolas e pássaros no interior de Pernambuco. Os bichinhos foram recolhidos e encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara) da Agência Estadual de Meio Ambiente (Cprh). Depois, serão reintroduzidos à natureza. Tomara que dessa vez tenham mais sorte e não caiam nas mãos de gente sem noção que não tem nenhum zelo pelo bem estar dos animais.

Vejam, no vídeo da PRF, a situação dos animais, comprimidos em espaços mínimos:

Leia também:
Multa de R$ 4 milhões contra tráfico de papagaios e outras aves da caatinga
Brasil é o terceiro do mundo em espécies de aves. Mas o tráfico…
Francisco, o bem-te-vi que caiu do ninho
Coruja cai em asfalto na Boa Vista 
Outra corujinha caindo do ninho
Haja passarinho caindo do ninho
Mais um bebê que cai do ninho
Corcará bebê leva queda e sobrevive
Ninho tecnológico do carcará
Araras repatriadas  para a Amazônia
Tucano será repatriado para a Amazõnia
Zooterapia: Aves vítimas do tráfico ajudam pacientes psiquiátricos
Aves brasileiras são alvo do tráfico
Papagaio é vítima de tráfico
Salvo papagaio acusado por cachorros
“Dê cá o pé, meu louro”
Papagaio cativo: multa chega a R$ 5 mil
PM evita venda de papagaio bebê
Policial militar devolve papagaio
Papagaio passa 25 anos na gaiola
Temendo gavião, aposentada entrega papagaio de estimação
352 papagaios voltam à vida selvagem
Projeto Papagaio da Caatinga ganha reconhecimento internacional
Animais voltam à natureza na pandemia
Maldade com os pássaros rende multa
Flagrante no tráfico de pássaros
Cipoma destrói rinhas de canários
Canários da terra apreendidos
Pobres pássaros cativos do Agreste
Pássaros silvestres apreendidos
Pássaros presos e multa de R$ 94,5 mil
Aves liberadas no Sertão
Aves brasileiras são alvo de tráfico
Festival de Aves no Sul da Bahia
Abaixo as gaiolas: liberdade para as aves
Quase 6000 aves resgatadas em 2017
Aves cativas ganharão a liberdade
Pássaro na gaiola rende multa
O triste fim das arribaçãs na caatinga
Depois do tráfico, o repatriamento
Mais um bebê que cai do ninho 
O tempo bom do João-de-barro 
A Tim e o ninho tecnológico do carcará
Pássaros não merecem prisões

Texto:  Letícia Lins / #OxeRecife
Foto e vídeo: PRF / Divulgação

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.