“Sou diferente e faço a diferença”

 “Sou diferente e faço a diferença”

Compartilhe nas redes sociais…

Projeto Encontro: entre flores, cores e sons. Esse é o nome do evento que acontece no sábado,  15, no Orquidário Café (na Galeria Joana D´Arc), onde se apresenta a Banda Encontro e haverá desfile de uma nova grife: a Vista Inclusão. Detalhe: todos os músicos e modelos de etiqueta tão especial, participam do Projeto Encontro, que trabalha a inclusão de jovens que tanto podem ter Síndrome de Down quanto autismo, ou mesmo deficiências físicas ou intelectuais.  No momento, 50 jovens  de ambos os sexos,  com múltiplas deficiência, são atendidos.

Não é à toa, portanto, que a grife do Projeto chama-se Vista Inclusão. E o seu objetivo é levar proposta de igualdade, disseminando o slogan do Projeto: “Sou diferente e faço a diferença”.  Já a banda, coordenada pelo Professor Guga Oliveira, mostrará repertório eclético, que vai do rock à Música Popular Brasileira. E fiquem certos: a garotada dá show. O Projeto Encontro existe desde 2006, não tem fins lucrativos e seu maior parceiro é a Uninassau. Foi idealizado e é coordenado  por Margareth Zimmerle (de camiseta preta, na foto com os jovens). Ela é socióloga com especialização em educação especial. Entre as áreas trabalhadas pelo Projeto Encontro, estão autonomia, informática educacional, música, dança, artes plásticas.

Projeto Encontros lança grife no sábado: “Sou diferente e faço a diferença”; Camiseta custa R$ 49,90.

Das crianças, são cobradas taxas simbólicas, que revertem em ajuda de custo para professores, que atuam de forma voluntária no Projeto. Um dos braços da iniciativa é o Encontro na Estrada, que leva a arte dos jovens atendidos aos municípios do interior, e já somam 16 os visitados em Pernambuco . A moçada é sempre recebida pelas prefeituras ou por ONGs que  fazem trabalhos semelhantes. “ O Encontro nas Estradas nos ajuda a trabalhar a autonomia, a cidadania, a inclusão e fazemos intercâmbios, para derrubar o conceito segundo o qual esses jovens não são capazes. Na verdade, são muito talentosos e tem até quem já tenha lançado livro”, diz Margareth.

O Projeto Encontro, conta, também, com atendimento psicológico. Entre os jovens que tomam conta da passarela, estão:  Gabriel Saboya, Ana Beatriz Menezes, Luana, Adilson Leandro, Mariana Pitta, Mariana Alencar, Mariana Santana, João Vittor Venceslau, Ricardo Barbosa, Amanda Cabral e Bruno Ribeiro Este, uma linda pessoa que já apareceu outras vezes aqui no #OxeRecife. O evento do sábado é aberto ao público, e ocorre a partir das 18h, no Orquidário Café, na Galeria Joana D´Arc, que fica na Avenida Herculano Bandeira, 513.  Vamos prestigiar que a meninada merece todo o nosso apoio e também nossa atenção. 

Leia também:
Bruno é exemplo para todos
Bruno, exemplo a ser seguido 
Com respeito construímos a igualdade 
Esplendor” e o cinema para cegos
A luta por inclusão e acessibilidade
Renata Tarub: dança e inclusão social 
O frevo inclusivo de Werison 
O “ser humano encantado” do frevo
Carnaval inclusivo no Recife Antigo
Música para surdos: é o “Som da Pele”

Texto: Letícia Lins/ #OxeRecife
Fotos: Divulgação/ Projeto Encontro

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.