Shopping Recife busca sustentabilidade, recolhendo de vidro a óleo de cozinha

 Shopping Recife busca sustentabilidade, recolhendo de vidro a óleo de cozinha

Compartilhe nas redes sociais…

Como se não bastasse a ameaça dos plásticos em lagos, rios e oceanos, um outro material não biodegradável e que dura até mil anos pode ameaçar  também as nossas águas, já poluídas com tanto descarte indevido. É que o vidro não é tão valorizado como papelão, plástico e latinhas de alumínio e  vem sendo rejeitado por cooperativas de catadores. Eles dizem que o peso e o preço não compensam. Algumas entidades que trabalham com materiais recicláveis até já colocaram avisos: “não recebemos embalagens de vidro”, como vocês podem ver na foto abaixo.

Mas agora você tem como descartar corretamente não só embalagens de vidro como outros materiais, igualmente incômodos para a natureza e que, muitas vezes, o cidadão não sabe para onde levar. Um exemplo: óleo de fritura normalmente é jogado no ralo da pia, de onde segue para poluir rios e oceanos.  Então anote aí: o mais novo ponto de coleta seletiva da cidade  já funciona no Shopping Center Recife desde o mês de fevereiro. Quando for ao centro de compras, já sabe o que levar.

O Ecoponto funciona  em área montada no Edifício Garagem D1. E recebe seis tipos diferentes de materiais recicláveis, o que é muito bom. Até vidro e óleo de cozinha. Pena que o novo ponto fique na Zona Sul, pois um dos mais solicitados da Zona Norte – que ficava na loja do Pão de Açúcar, no Parnamirim – deixou de funcionar, fato muito lamentado na ocasião por moradores de bairros de Casa Amarela, Monteiro, Apipucos, Parnamirim, Casa Forte entre outros. O ecoponto do Pão de Açúcar tinha um acordo com uma cooperativa de catadores, que fazia a coleta do material devidamente separado. Hoje, quem quer fazer a separação de materiais recicláveis na Zona Norte tem como opção os coletores da Associação Meio Ambiente Preservar e Educar (Amape), que ficam ao lado do Armazém Etapa Final, na Estrada do Arraial, em Casa Amarela.

Há muitos “ecopontos” oficiais  distribuídos nas calçadas pela Prefeitura . Mas que funcionam, porém, sem o cuidado principal de qualquer política de coleta seletiva, pois não há separação de materiais, e tudo é jogado “junto e misturado”, no interior de cada contêiner.  A coleta também não é feita como se deveria e o resultado são cenas como a da foto, colhida pelo #OxeRecife na Praça José Vilela, no bairro do Parnamirim, Zona Norte da cidade. Dá para entender, uma coisa dessa? Vidro, papel, lata, tudo junto?

O ecoponto do Shopping Recife serve a clientes e moradores do entorno. No Ecoponto, estão disponíveis coletores de materiais como plástico, vidro, papel, pilhas, óleo de cozinha usado e eletroeletrônicos, todos materiais que, se descartados de forma adequada, evitam prejuízos à natureza. A reciclagem fica por conta da pernambucana Saga, que já é responsável pela Central de Resíduos do Shopping Recife há quase dez anos A Saga possui licenciamento ambiental da CPRH e do IBAMA, atuando alinhada com todas as leis que regulamentam a proteção do meio ambiente no país e com novas tendências mundiais de sustentabilidade.

O Ecoponto ajuda, também, moradores da Entra Apulso, fornecendo óleo usado de cozinha para uma fábrica artesanal de sabão que funciona naquela comunidade, com a ajuda do Projeto Chié Entra, coletivo beneficiado pelo Instituto Shopping Recife, braço social daquele centro de compras. O óleo de frituras é recolhido em parceria com a ASA e encaminhado para Instituto Shopping Recife, que lhe dará o destino devido. Entre as ações do Chié do Entra está a transformação de óleo usado em produtos como sabão em barra, em pasta e detergente, reforçando a importância do descarte correto desse material. O Chié  inclusive virou a marca do sabão artesanal. O nome foi escolhido em alusão ao crustáceo muito comum nos manguezais.

Depois do reuso da água – que irriga seus jardins – o Shopping Recife anuncia instalação de ecopontos.

Além do Ecoponto, o Shopping Recife já desenvolve uma série de iniciativas com foco na responsabilidade ambiental, algumas delas já registradas aqui no Blog. “Atualmente, conseguimos reciclar um total de aproximadamente 9 mil toneladas de material por mês através da nossa Central De Resíduos. Além disso, construímos uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) que trata 100 % do esgoto gerado pelo mall, permitindo a destinação de 500 mil litros de água para reuso e utilizando-a para irrigação de 37 mil m² de área verde do shopping”, destaca o Gerente de Operações do centro de compras, Luis Henrique Remígio.

Na arquitetura também há esse planejamento. O Shopping contempla várias claraboias que permitem a iluminação natural . Além disso, toda iluminação interna e externa do equipamento é em LED, que promove uma redução de consumo de energia elétrica em cerca de 51,3%, auxiliando o meio ambiente e, consequentemente, reduzindo custo. Na climatização, o shopping possui um Tanque de Água Gelada (TAG), que permite a termo acumulação da água produzida pelos equipamentos de refrigeração. “Isso faz com que esta água gelada produzida à noite seja utilizada no processo de climatização durante o dia e nos horários de alta demanda, também proporcionando menor consumo de energia”, pontua Remígio.

Leia também
Água de reuso no Shopping Recife irrigar jardins e proporciona economia a lojistas
Entra Apulso ganha brechó do bem no Shopping Recife
Ação evita que 9 milhões de litros de óleo de fritura cheguem à natureza
Pão de Açúcar acabou “estação ecológica”
Isso é um ecoponto? Cadê o Lixo Zero?
Rede de fast food jogou lixo no canal?
Lixo nos rios: 21 toneladas retiradas
Cisternas mudam vida dos sertanejos
Ventos que transformam no Agreste
Energia a  partir do vento e água para quem tem sede no Agreste
Empresa de energia solar (Insole) paga conta de luz por uma boa ideia
Dell anuncia mouse de plástico reciclado a partir de embalagens PE
Óculos ecologicamente corretos feitos com plásticos colhido no mar
Canudos plásticos das praias viram óculos. A natureza agradece
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Plásticos nas praias viram embalagens
Xô, plásticos. A vez das canecas
O lixo que virou lixeira
Reciclagem de plástico rende utensílios domésticos e corrimão nos morros
Quatro milhões de canudos a menos no mercado
Dia Internacional sem sacos plásticos. Vamos nessa?
Nestlé quer embalagem biodegradável
Campanha contra plástico rende prêmio
Plásticos poluem Boa Viagem
Mutirão espontâneo contra o lixo
Plásticos viram vilões das tartarugas
Colete três plásticos na areia
Maquininha de passar cartão feita com plástico reciclado do mar
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza em seis estados
Startup faz campanha contra lixo
Prêmio de R$ 50 mil para quem no mundo melhor limpar sua comunidade
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Catadores tiram 5 milhões de latinhas deixadas pela folia em Olinda
Brasil tem camisa carbono zero
Lixo plástico vira cinema nas escolas
As garrafas biodegradáveis da Bacardi
Água mineral copo biodegradável
Reciclagem de esponjas poupa natureza
Boa ação na coleta de… sutiãs
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza
Do lixo ao luxo
Pneus na guerra contra o lixo
Não jogue lixo eletrônico no Capibaribe
Troque o lixo eletrônico por plantas
A reciclagem da Renova Ecopeças

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Thiago Medeiros / Divulgação

 

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.