Semana da Consciência Negra: Daruê Malungo movimenta cultura afro no Recife e em Olinda

 Semana da Consciência Negra: Daruê Malungo movimenta cultura afro no Recife e em Olinda

Compartilhe nas redes sociais…

Neste domingo, Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, não custa nada anunciar a 28ª edição da Semana Afro Daruê Malungo, que começa na segunda-feira (21/11) e se prolonga até 3 de dezembro. O evento ofertará de forma gratuita espetáculos de dança afro, apresentações de artistas, performances, oficinas e diálogos. Em 2022, a Semana ocorre em dois locais distintos: na Comunidade Chão de Estrelas (no Recife) e no Centro Cultural Grupo Bongar, em Xambá (Olinda). Este ano o encontro tem como tema “Diversidade, Corpo e Território – As danças negras em rede” .

O encontro é realizado anualmente com o objetivo de movimentar a cena da dança negra pernambucana e de reverenciar a ancestralidade, proporcionando ao público formação e diálogos no âmbito da cultura de matriz africana, além de promover a contemplação de apresentações artísticas. “Devido à pandemia da Covid-19, ficamos impossibilitados de realizar a Semana Afro Daruê Malungo durante os dois últimos anos, e agora estamos voltando com força total, na intenção de ampliar espaços, vozes negras, a diversidade de corpos e territórios a cada edição”, ressalta Orun Santana, produtor executivo do evento e artista da dança.

Por uma semana, a cultura afro – principalmente a dança e a música – movimentam o Recife e Olinda

Desde sua primeira edição, a Semana Afro Daruê Malungo realiza espetáculos, coreografias, diálogos e exposições dos trabalhos desenvolvidos e vivenciados durante todo o ano pelas crianças e jovens do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo, assim como inclui a diversidade de grupos e companhias de dança de Pernambuco.     Na abertura da programação, da segunda (21/11) a sexta-feira (25), haverá oficina de dança afro para crianças, a partir das 16h. E também oficina de dança afro para jovens e adultos, às 18h. Ambas no Centro Cultural Grupo Bongar. No sábado (26), às 17h, haverá encerramento das oficinas realizadas durante semana e a apresentação do espetáculo “No Jogo da Dança – da Cia. de Dança Afro Daruê Malungo”, às 18h, também no Centro Cultural Grupo Bongar.

Algumas atrações da programação: a apresentação da performance “Obirin-kunhã Dança Inflamada”, da artista da dança Marcela Rabelo, o espetáculo “Meia Noite”, do artista da dança Orun Santana, Aldeias – Experimento do corpo ancestral”,   “Rainhas”, “O Mensageiro”,  “Serpenteia”, às 18h30,  “Arreia”. E ainda:  “Roda de Terreiro” (da Cia. Artefolia),  Janaina Santos com “Ijó Asè Erê”, “Africanidades (re)existência” (do grupo Dança Nação Pernambuco).

Abaixo, você confere informações sobre cultura afro, negritude e racismo religioso. No Serviço, você escolhe os eventos que mais lhe interessam. Lembre-se, tudo grátis.

Leia também
Mês da Consciência Negra:  desfile, palestras, igualdade racial
Ervas sagradas ganham sementeiras
Bahia tem ritual de paz e respeito à liberdade religiosa
Baobás de Pernambuco são sacralizados na Bahia
Trio expert em baobá, a árvore da vida
A árvore do esquecimento
Cortejo religioso em Salvador
Pipoca é alimento sagrado?
Ojás contra o racismo religioso
Contra as práticas de branqueamento
Navio alemão acusado de racismo
Navio Negreiro no Barreto Júnior
A simbiose entre a Igreja Católica e os terreiros
Pai Ivo de Xambá vira Doutor Honoris Causa
A sabedoria ancestral da Griô Vó Cici
A herança afro na música brasileira
Sítio Trindade tem gastronomia afro
Festa para São João e Xangô
Católica bota Xangô na ordem do dia
Qual o mal que lhe fez Yemanjá?
Michele Collins entre a mobilização e a pressão dos terreiros
Preconceito religioso tem reparação
Inaldete Pinheiro ganha homenagem
Uana Mahim: Sou preta, negra e fera
Moda Preto Soul: Viva a negritude!
Dia da Consciência Negra: Dicas de leitura
De Yaá a Penélope africana
Nação Xambá, 88 anos de residência 
Resgate histórico: Primeiro deputado negro do país era pernambucano
O grito dos excluídos por independência verdadeira no século 19 e a esquecida Maria Felipa
Joana, a única mestra de Maracatu
Nego Henrique oferta oficina de percussão
Dia da Mulher Negra, Latino Americana e Caribenha
Expô sobre terreiros termina na terça
Jurema sagrada vira exposição

SERVIÇO
28ª Semana Afro Daruê Malungo
Quando: 
21 de novembro a 03 de dezembro
Onde: 
Sede do Daruê Malungo (Rua Passarela, 18A, Chão de Estrelas) e sede do Centro Cultural Grupo Bongar (Rua Iêda, São Benedito, Olinda)
Informações: 
3444-3455 e semanaafrodarue@gmail.com
Entrada gratuita

PROGRAMAÇÃO COMPLETA
21/11 a 25/11 – Oficina de dança afro para crianças (às 16h) +  Oficina de dança afro para jovens e adultos (às 18h), no Centro Cultural Grupo Bongar;
26/11 – Culminâncias das oficinas (às 17h) + espetáculo “No Jogo da Dança” da Cia. de Dança Afro Daruê Malungo (às 18h), no Centro Cultural Grupo Bongar;
27/11 – “Obirin-kunhã Dança Inflamada” de Marcela Rabelo (às 18h30) + “Meia Noite” de Orun Santana (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;
28/11 – “Nunes” de Juan Ferreras e Maria Flor (às 14h) + Fórum de Dança Negra (às 15h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;
29/11 – “Aldeias – Experimento do corpo ancestral” do Grupo Aldeias (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;
30/11 – “Rainhas” do coletivo Abayas (às 18h30) + “O Mensageiro” de Aline Gomes (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;
01/12 – “Nkaro” do Grupo Semente Fulô (às 18h30) + “Ser Rizoma” de Lane Luz (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;
02/12 – “
Serpenteia” de Marcela Felipe (às 18h30) + “Arreia” de Iara Campos e Íris Campos (às 19h), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo;
03/12 – “Roda de Terreiro” da Cia. Artefolia (às 16h) + “Ijó Asè Erê” de Janaina Santos (às 18h) + “Africanidades (re)existência” do grupo Dança Nação Pernambuco (às 18h30) +  “Pisadas” do Manifesto Cultura Popular (às 19h) + “Resistência” do Balé Afro Majê Molê (19h30), na sede do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação 

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.