Sem declarar voto para Presidente no segundo turno, Raquel começa a ser cobrada na Web

Não está fácil a vida da candidata do PSDB à sucessão estadual, Raquel Lyra.  No dia 2 de outubro, foi surpreendida com o falecimento do marido, Fernando Lucena, que sofreu um mal súbito, depois diagnosticado como um infarto fulminante. Recolheu-se à própria dor, suspendeu os compromissos de campanha do segundo turno, só retomando a caminhada após a missa de sétimo dia do empresário, com o qual conviveu por mais de 20 anos. Voltou à luta, quando deparou-se com uma série de fake news, associando-a ao Presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição na sucessão presidencial e que, por sinal, esteve hoje no Recife.

Foi só recomeçar a campanha, e eis que Raquel se defronta com um novo problema, que lhe tira temporariamente das ruas: o filho, João Lyra Lucena, de  doze anos, teve uma crise de apendicite e precisou se submeter a uma cirurgia de emergência. Em nota divulgada nessa quarta, a assessoria da tucana informa que o menino, felizmente, passa bem.  Na quinta, ele recebeu alta. E ela disse que, nessa sexta, volta aos compromissos de campanha. Mas, pelo menos, mais duas boas notícias. A Justiça Eleitoral determinou ao comitê da candidata adversária, Marília Arraes (Solidariedade) que retirasse de suas redes sociais todas as fake news que inclusive associam Raquel ao Bozó. Algumas delas lançaram mão de montagens fotográficas grosseiras. O TRE estipulou multa diária de R$ 5 mil em caso da decisão não ser cumprida.

Hoje, além dos apoios que diariamente chegam à campanha, Raquel  foi brindada com um documento divulgado pelo Movimento Ética e Democracia, no qual  figuras expressivas da sociedade – políticos, advogados, sociólogos, economistas, engenheiros, arquitetos, professores – declaram adesão à tucana, ao mesmo tempo que ratificam  apoio à candidatura de Lula à sucessão presidencial. “Depois do desastre  social, econômico e ambiental do seu governo e da degradação da imagem internacional do Brasil, Bolsonaro nunca escondeu o seu projeto de implantação de um regime autocrático”, alegam. “Neste momento, o ex-Presidente Lula é o único que pode deter o avanço do autoritarismo no Brasil”, dizem.  Logo em seguida, tecem elogios a Raquel, que tem “visão estratégica, habilidade política e capacidade gerencial”.

Um dia após Bolsonaro vir ao Recife, Lula chega amanhã à cidade para caminhada ao lado de Marília Arraes

Em  live – no entanto –  Raquel afirmou que não declarará apoio a nenhum dos dois candidatos no segundo turno (no primeiro, foi de Simone Tebet, do MDB).  Nem Lula nem Bozó. Ela tem evitado falar nos dois, centralizando a discussão política nas propostas para Pernambuco. “Não tente dividir Pernambuco, nós vamos unir. Não tente me dizer que Pernambuco tem um dono, Pernambuco não tem dono. Pernambuco é do seu povo, e esse povo trabalhador, aguerrido, que não se curva diante das dificuldades, que está querendo e acreditando em mudança. Eu não vou declarar apoio a presidente da República. Eu vou trabalhar, incansavelmente, por Pernambuco. Vou debater não só os problemas, mas, sobretudo, falar sobre soluções para o nosso estado”, afirmou Raquel.

E aí eleitores nas redes sociais começaram a criticar o fato dela ficar em “cima do muro”, como diz a gíria. Para muitos deles,  Raquel tomou uma atitude “covarde”. A vice de Raquel, Priscila Krause, já disse que não vota em Lula. Mas também não informa publicamente se anulará ou se votará em branco. Acredito que ela já fez sua opção. Será que escolheu o Bolsonaro? Meu Deus…  O fato é que muita gente que votará em Lula e que havia optado por Raquel já está revendo o voto.  Nessa sexta, Raquel não irá à rua. Tem uma sabatina na TV Asa Branca (Caruaru)  e reunião com políticos e assessores.  Hoje, a candidata recebeu apoio da Associação de Cabos e Soldados. E  a sexta-feira será o dia de Marília, que sempre manifestou identidade com Lula, mesmo com o PT apoiando o candidato do PSB, Danilo Cabral, que sofreu vergonhosa derrota nas urnas.  Lula participa de uma caminhada que sairá do Parque Treze de Maio, no Centro, pela manhã. O início da concentração está marcado para 10h. Antes de vir ao Recife, Lula divulgou vídeos de apoio a Marília Arraes, “uma mulher guerreira, competente e que sempre esteve ao meu lado”.

Leia  também
Campanha esquenta em Pernambuco com denúncia de fake news
Raquel retoma campanha após missa de sétimo dia
Expectativa, recomeço do horário eleitoral gratuito e a difícil decisão de Raquel Lyra: Lula ou Bolsonaro?
Institutos de Pesquisas falharam muito acima da chamada margem de erro
Marido de Raquel  Lyra tem ataque fulminante e morre no dia da eleição

Eleições 2022: PSB ocupa ruas com bandeiras mas caminho não será fácil
Longe dos caciques políticos, caciques indígenas fazem coletivo para disputar mandato
Com  candidato a governador em baixa, proporcionais do PSB omitem nome de Danilo
Pedestre rejeita propaganda do PSB nas ruas e é confundido como eleitor de Bolsonaro
Sem Eduardo Campos nem Miguel Arraes, PSB adota estratégia do morto carregando o vivo
Na caça ao voto, candidatos precisam aprender a separar o que é público e o que é privado
Mulheres lideram corrida sucessória
Mulheres lideram corrida sucessória para o governo e para o senado em Pernambuco
Eleições: Teatrinho em feira chega à Várzea
Eleições 2022: PSB ocupa as ruas com bandeiras mas caminho das urnas será difícil
 João Campos contraria pesquisa e é eleito com 56,27  por cento dos votos
Machismo, baixarias, cães raivosos e o exemplo das ruas no Recife
Marília cai em um dia e sobe no outro
TCU: 10.000 candidatos receberam auxílio emergência, treze em Pernambuco
Marília cai em um dia e sobe no outro
Ibope: João Campos joga pesado e reverte vantagem de Marília
Debate: Campanha do ódio
Direita pede votos para João Campos porque “Lula tem pacto com o demônio”
Campanha vira lavagem de roupa suja
PSB: Dá para acreditar? Nunca fez nada pelo Recife e quer ser prefeita
Segundo turno começa a esquentar temperatura. Debate foi só o inicio
A virada de Marília Arraes
A nova cara da Câmara Municipal
João Campos deve disputar segundo turno com a prima Marília
Eleições municipais, 2020: Pernambuco tem 1.140 fichas sujas

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.