Sandra Paro e o Mosaico: O fascinante ofício de fazer arte quebrando e juntando pedacinhos

 Sandra Paro e o Mosaico: O fascinante ofício de fazer arte quebrando e juntando pedacinhos

Compartilhe nas redes sociais…

Passado o risco de demolição do Parque dos Lanceiros, localizado no município de Nazaré da Mata, o #OxeRecife se sente no dever de reparar uma omissão. É que nas postagens sobre a ameaça de destruição daquela atração turística e cultural, deixamos de fazer referência a  Sandra Paro. Ela é, somente, a artista plástica responsável pelo revestimento das esculturas gigantescas dos caboclos de lança do maracatu rural ali reunidas. Sem o seu trabalho, as estátuas  esculpidas em concreto pelo desenhista, pintor e escultor Cavani Rosas perderiam parte do brilho e do encantador colorido, que tanto caracterizam um dos mais icônicos folguedos populares de Pernambuco.

No chamado “cuscuz”, no Parque dos Lanceiros, esculturas gigantescas foram revestidas por Sandra Paro e equipe

As esculturas ficam na parte mais elevada do Parque, curiosamente apelidada de “cuscuz” pelos moradores do município, localizado a 61 quilômetros do Recife. O “cuscuz” esteve ameaçado de ser destruído, mas a pressão da sociedade em defesa do Parque venceu. E a Prefeitura voltou atrás, informado que havia desistido da intenção de demolir o Parque,  anunciada durante o carnaval. Confeccionadas em concreto, as estátuas receberam revestimento que demandou 400 metros quadrados de mosaico, técnica que utiliza pedacinhos de diversos materiais para fazer uma composição artística.

Sandra Paro com Cavani Rosas (escultor das figuras do maracatu rural) do Parque dos Lanceiros, em Nazaré da Mata

No caso dos caboclos de lança do Parque reproduzindo os principais personagens do maracatu rural, Sandra Paro lançou mão de pedaços de cerâmica e pastilhas de vidro. Estas contribuíram para atribuir maior exuberância e brilho necessários às golas dos lanceiros, que no folguedo real são bordadas com milhares de lantejoulas coloridas.  Nascida em São Paulo, residindo no Recife há um bom tempo – após ter passado por Espanha e Itália – Sandra é arquiteta, porém trocou os projetos de edifícios pela produção de painéis em mosaico. Autodidata, “muito estudiosa e sempre buscando aprender melhor o ofício com muita dedicação e disciplina”, ela afirma que não foi fácil revestir os lanceiros do Parque.

“O Maracatu de Nazaré da Mata foi o maior desafio que encontrei até hoje, pois se trata de um dos maiores conjuntos de esculturas em mosaico do mundo, e que representam um elemento típico da cultura de Pernambuco. Mas foi, também, uma das mais fantásticas experiências de minha vida. Trabalhei com 30 jovens aprendizes do ofício de mosaico, ligados à  Associação de Mulheres de Nazaré da Mata. Fizemos oficinas e logo fomos à prática, o que rendeu um aprendizado eficaz. A proposta do projeto é que seriam formados artesãos para futuramente terem um ofício ligado ao tema maracatu. Levamos quase um ano para produzirmos os 400 metros quadrados em mosaico, para revestirmos todos os componentes do maracatu. Algumas partes eram produzidas em ateliê que foi instalado ao lado do Parque dos Lanceiros e outras partes (como rostos, mãos ou com formatos arredondados) eram feitos no local, porque eram muito específicos.

Sandra diz, ainda, que descobriu talentos diversos no ateliê, em pessoas que nunca haviam tido contato com nenhuma manifestação artística. E que, no entanto, “revelaram talentos incríveis”. Ela tem painéis imensos no Brasil e exterior, e reconhece que a técnica do mosaico em área externa é “extremamente trabalhosa” por ser necessário “usar argamassa para assentar o mosaico e rejuntar os materiais”.  Sua marca e a exuberância dos seus murais podem ser vistos em cidades como Santiago de Compostela (Espanha); Penápolis e São Paulo, capital (SP); Salvador (BA).  Em Pernambuco, além do revestimento das esculturas do Parque dos Lanceiros, ela tem trabalhos no Instituto Cervantes (Avenida Agamenon Magalhães), Restaurante Tempero da Fazenda (Shopping Recife, Boa Viagem), Capela de São Francisco (Jardim Beira Rio, Pina), entre outros locais.

Sandra Paro e o painel “Paisagem Impressionista,, no Restaurante Tempero da Fazenda, Shopping Recife.

Curioso é que Sandra decidiu praticamente deixar a arquitetura e se dedicar integralmente  à milenar arte musiva, ao instalar-se aqui na Região.  Ela afirma que a arte tinha um “espaço periférico” em sua vida, , porém foi contagiada “pelo clima artístico exacerbado existente em Pernambuco”. E comenta: “Apesar de não haver a herança cultural do mosaico no Nordeste, esta é uma terra de tanta fertilidade criativa que, lançada a semente, ela brota rápido e colhe-se a beleza”.  E acrescenta: “Hoje tenho ciência que existem poucas pessoas no Brasil com o acervo em mosaico que construí. E isso devo à fertilidade artística de Pernambuco”. Obrigada, Sandra, por nos proporcionar tanta beleza. Pernambuco também agradece!

No vídeo abaixo, você pode entender melhor a fascinante arte do mosaico de Sandra Paro

Leia também
Prefeitura de Nazaré da Mata volta  atrás e desiste de demolir o icônico Parque dos Lanceiros
Atentado contra o maracatu rural: Prefeitura vai demolir o parque de lanceiros em Nazaré
Cavani Rosas na Christal Galeria, entre raízes, ramificações, tormentas, lugares e cultura
Livro: Pernambuco é campeão em manifestações culturais do Iphan
Maracatu rural movimenta RioMar
Maracatu rural: As mulheres guerreiras
Maracatu rural, maracatu nação, frevo, ursos, bonecos e até blocos líricos para a criançada
Carnaval diversificado: maracatus rurais, caboclinhos, afoxés
Depois do Galo ancestral,quetal Lepoldo Nõbre para idealizar os carros alegóricos do Galo?
Pina ganha novo espaço cultural
Futuro Black e Christal Galeria das Artes: negritude e mulheres empoderadas
Ziel Kaparató, do Especial de Tv “Falas da Terra” e a exposição “Como Fumaça” no Recife
Cultura indígena
Atentado contra o maracatu rural: Prefeitura vai demolir Paque dos Lanceiros em Nazaré da Mata
Prefeitura de Nazaré da Mata volta atrás e decide preservar Parque dos Lanceiros
Ficus: Imponência e  força da natureza
Raridade: Fícus que não é importunado
Parem de derrubar árvores (45)
Fícus  e palmeira imperial sem reposição 
Gameleira, sombra e seus significados
Desabrochar musical da flor do baobá
Samico, o Devorador de Estrelas é homenageado no calendário da Cepe
O artista pernambucano que participou da Semana de Arte Moderna de 1922
Samico, o devorador de estrelas
Cais do Sertão mostra arte de J.Borges
J.Borges lança três álbuns inéditos
O mundo fantástico de J.Borges
Tereza Costa Rego volta à cena
A inesquecível Tereza Costa Rego
Cultura brasileira mais pobre, sem Tereza Costa Rego, grande artista
Tereza Costa Rego no Sebo da Casa Azul
Tereza, uma mulher em três tempos.
Tereza vive. Homenagem merecida à grande artista em várias cidades brasileiras
Joias para rainhas e princesas em livro
História de Janete Costa em livro
Janete Costa: Galeria urbana com artesãos
Galeria Terra Basilis faz encerramento de exposição com boas opções para fãs das artes
Galeria Terra Basilis inicia atividade com expô na quinta, 20/10: Lula Cardoso Ayres, Portinari…
Terra Basilis inaugura exposição para lembrar o secular modernismo brasileiro

Serviço:
Sandra Paro – Arte em Mosaico – @sparo_mosaico
Ateliê: Rua Barreiros, 31, Pina, Recife
Zap – (81) 999634030

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Acervo #OxeRecife / Acervo Sandra Paro

Posts Relacionados

1 Comments

  • Letícia,
    as pessoas me comentam muito que sua matéria possui uma abordagem bastante interessante e uma escrita muito concisa….

    você me deu voz nessa reportagem através dos caquinhos…. além do que, escreveu um registro importante sobre o renascimento da arte musiva brasileirista no nordeste ….

    e eu, agradeço contentaça e emocionada….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.