Samira Brito, paratleta do Sertão ganha Medalha de Ouro em competição internacional no Marrocos

Palmas para a sertaneja Samira Brito. Pensem em uma mulher “virada no mói de pé de coentro”, como diz a gíria popular. No caso de Samira, seria no pé de mandacaru. Pois a atleta é sertaneja, mora em Petrolina – a 769 quilômetros do Recife – e vem levando medalhas que coleciona pelo mundo afora para a caatinga.

Nesta semana, a paratleta conquistou a Medalha de Ouro na prova dos 100m rasos do Grand Prix de Atletismo Paralímpico de Marrakech, no Marrocos. A representante da Associação Petrolinense de Atletismo (APA) concluiu a prova na categoria T36 (paralisados cerebrais) com o tempo de 15s12. O feito vem se tornando rotina na vida da brava sertaneja.

Sertaneja Samira Brito vem fazendo história no Sertão: força, superação e coleção de medalhas nas competições

E seu técnico, Givaldo Marcos, que também foi convocado para a competição,  comemora. “Graças a Deus Samira fez uma boa prova e conquistou a desejada medalha de ouro. Estamos muito felizes com o resultado. É mais uma importante conquista para o Brasil e para nosso clube APA Petrolina”, destaca o treinador. Samira integra a delegação da Seleção Brasileira que conta com 21 atletas na competição.

O Grand Prix de Marrakech, que se encerrou no sábado (17), e é o principal evento do atletismo paralímpico de 2022. A APA tem o patrocínio master da Bayer Brasil e patrocínio oficial da Elo. E conta com apoio da Prefeitura de Petrolina, Ara Agrícola, River Shopping, Tintas Iquine e Vale do Ave. A APA funciona há 17 anos em Petrolina, no Sertão do São Francisco. Pela instituição, já passaram mais de 1.500 atletas e paratletas, que já levaram mais de uma centena de medalhas para o Sertão. 

A segunda-feira (19), aliás, será um dia histórico para a APA. É que será lançado o Projeto Escolinhas Esportivas de Atletismo Inclusivo. O evento será no auditório do campus Petrolina IFSertãoPE, a partir das 09h. As escolinhas vão oferecer aulas gratuitas de atletismo para cerca de 140 crianças e adolescentes, entre 8 e 18 anos, e pessoas com deficiência. O projeto conta com o apoio da Prefeitura de Petrolina e será realizado em parceria com o Sesi Pernambuco e o campus Petrolina do IFSertãoPE, locais onde serão desenvolvidas as atividades. O evento de lançamento do projeto social está dentro da programação do aniversário de 127 anos de emancipação politica de Petrolina, que será celebrado no dia 21. 

Abaixo, você confere outros exemplos de superação e inclusão social.

Leia também
Flor do Sertão, Samira Brito vai disputar no Marrcos. Paratleta foi convocada
Velho Chico atrai adeptos do Windsurf
Ana Augusta, a boa Mãe Malvada
Ponto de apoio para ciclistas
Fenearte inclusiva: a primeira pizzaria do mundo com jovens com Síndrome de Down
Dicas de diversão para autistas, por quem entende do assunto
Colônia de férias para autistas no Recife
Casa Azul para atender autistas vira exemplo em Macaparana
Sou diferente e faço a diferença
Portadores de Síndrome de Down ganham curso de jornalismo em PE
Cultura inclusiva em curso gratuito
Pernambuco conduz é relançado
Síndrome de Down: Expedição 21
Caminhada para cadeirantes fez sucesso
A luta por inclusão e acessibilidade
Renata Tarub: dança e inclusão social
Jovens da Apae mostram seus talentos
O “ser humano encantado do frevo”
O frevo inclusivo de Werison
Esplendor e cinema para cegos
Festa inclusiva no Parque da Jaqueira
Com respeito construímos a igualdade
Bruno, exemplo a ser seguido
Bruno, exemplo para todos
Saga de Bruno Ribeiro vira cordel
Encontro na estrada: passeio inclusivo
Abertura do carnaval com inclusão
Cadeirante merece respeito
Cadê o respeito aos cadeirantes ?
Carnaval inclusivo no Recife Antigo
Isso é muito bom: carnaval inclusivo
Carnaval sem barreiras em Boa Viagem

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.