“Pousada” construída em área de preservação com licença falsificada

É muita gente sem noção. Ou de má fé mesmo. Nesse caso, a hipótese mais correta. Pois não é que foi embargada hoje uma construção irregular na Apa Aldeia Beberibe, no meio da mata? O embargo foi feito pela Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh), que identificou a implantação de chalés no local, no que parece ser a obra de uma pousada. Pior. De acordo com a Agência, a obra irregular tinha licença ambiental falsificada. Simples assim.

Construção irregular no meio da mata na APA Aldeia Beberibe tinha licença ambiental falsificada

“A obra tinha vários pequenos chalés e uma estrutura maior”, confirmou Cínthia Lima, gestora ambiental da APA Aldeia Beberibe, unidade de conservação que se espalha por vários municípios da Região Metropolitana. Os responsáveis pela obra foram autuados por infração administrativa ambiental e intimados a prestar depoimento na delegacia. A infração foi notada há alguns dias, durante vistoria de reposição florestal da APA. Quando a documentação da futura pousada foi encaminhada à Diretoria de Licenciamento Ambiental, os fiscais constataram que as licenças eram falsificadas.

Além de obra irregular, responsáveis mantinham em cativeiro espécie ameaçada de extinção:  pintor-verdadeiro.

Além da clareira aberta na vegetação nativa (Mata Atlântica) os acusados foram autuados, também, por posse ilegal de animais silvestre sem cativeiro. Eram, ao todo, 14 pássaros, incluindo dois indivíduos de espécie ameaçada de extinção: pintor verdadeiro, uma das aves mais visadas por traficantes. Foram encontrados, ainda: galos-de-campina (três), canários-da-terra (três),  sabiá (um), cravina (um), xexéu (um), chorão (um), papa-capim (um) e curió (um).

Com um belo canto, o curió também é outro pássaro visado, porque quando treinado “interpreta” até hinos, como o Nacional. A Apa Aldeia Beberibe  possui 31.634 hectares. É uma espécie de pulmão da Região Metropolitana do Recife. E abarca áreas de oito municípios: Recife, Abreu e Lima, Araçoiaba, Camaragibe, Igarassu, Paudalho, Paulista e São Lourenço da Mata. Porém é alvo de constantes agressões e até mesmo de obras governamentais questionáveis, como o Arco Metropolitano (do governo estadual) e a Academia de Sargentos do Exército (do Governo federal). Ambos ainda no papel, e contestadas pelo Fórum Socioambiental de Aldeia.

Leia também
Aldeia: Depois do coice, a queda
Fórum Socioambiental de Aldeia apresenta projetos para Arco Metropolitano
Fórum quer Arco Metropolitano sem destruição
Ecoverdejante: Trilhas pelas matas
Parem de derrubar árvores (em Aldeia)
Parem de derrubar árvores (em Camaragibe)
Apa Aldeia Beberibe: Devastação de bioma em extinção
Pulmão do Recife, Apa Aldeia Beberibe completa década
Prefeitura destrói área protegida. Pode?
Prefeito destrói  mata e pede acordo
Desmatamentos ilegais em Aldeia
Novos desmatamentos em Aldeia
Aldeia tem novos desmatamentos
As matas de cimento de Paulista
As riquezas da Mata Atlântica
Mata Atlântica: Corredores ecológicos
Parem de derrubar árvores (baobá degolado em Paquetá)
Parem de derrubar árvores  (em SP)
Dia da Árvore: a “vovó” do Tapajós
Viva a árvore mágica, no Dia do Baobá
Parem de derrubar árvores (na Av. Anita Garibaldi)
Parem de derrubar árvores (na Bahia)
Parem de derrubar árvores (no Pará)
Parem de derrubar árvores (no Sertão)
Parem de derrubar árvores (em Olinda)
Parem de derrubar árvores (em Olinda) 1
Parem de derrubar árvores ( 127)

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos:  Divulgação / CPRH

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.