Parem de derrubar árvores (em Olinda)

 Parem de derrubar árvores (em Olinda)

Compartilhe nas redes sociais…

Há leitores do #OxeRecife que, solidários à causa do verde e à campanha  ParemDeDerrubarÁrvores  costumam enviar fotos de árvores decepadas  que encontram não só no Recife (foco maior da nossa luta) mas também na Região Metropolitana. Aqui nesse mesmo espaço, já publicamos degoladas observadas em Salvador e Itaparica (BA), Santarém (PA), Afogados de Ingazeira (PE, Sertão). Estamos, portanto, de olho na motosserra insana não só no Recife mas em qualquer lugar por onde passamos.

Nesta semana, recebi duas fotografias pelo WhatsApp, mas uma delas (a do lado). Achei na pasta de arquivos recentes, mas não consegui  identificar quem remeteu. Talvez tenha deletado no “bolo” do total das mensagens que costumo eliminar diariamente, antes que o celular apague, por excesso de arquivo. Não tenho informação do remetente, nem data do flagrante nem localização da árvore. Não consegui localizar quem enviou essa aí do lado. E não tenho, portanto, como colocá-la no inventário de árvores com poda excessiva, degoladas, ou eliminadas, as chamadas vítimas do arboricídio. Algumas, no entanto, como parece ser o caso aí do lado, morrem naturalmente. Aí sim, necessitam erradicação do cadáver. E, claro, uma outra muda para ficar no seu lugar.  Do jeito que essa daí está, pode ser até um risco para quem passa na rua. Porque, sem vida, a tendência é que os cupins façam a festa.

Mas e degolada (foto maior) veio com informação completa. Foi enviada pela assistente Sofia de Paula Lopes, durante um passeio por ela realizado em Olinda. Sofia mora no bairro do Derby, onde se diz chocada com a quantidade cada dia menor de verde. E já me enviou várias vezes imagens que mostram o motivo da preocupação: árvores guilhotinadas, suprimidas ou com poda excessiva. Como a que ela achou na  Praça Monsenhor Fabrício, em Olinda. “Essa foi degolada recentemente… e pasme, em frente à Prefeitura de Olinda. “Em outras árvores, na mesma calçada, fizeram poda. Algumas estão com os galhos cortados, mas eliminaram a outra”, reclama. Veja só a situação daquele tronco degolado, lá em cima. Lembro bem dessa árvore. Era belíssima. E já fazia parte da paisagem de Olinda, tanto quanto a amendoeira que foi retirada da Associação Comercial de Pernambuco, no Marco Zero.

Leia também:
Resistência: não ao arboricídio
Parem de derrubar árvores (142)
Parem de derrubar árvores (161)
Parem de derrubar árvores (39)
Parem de derrubar árvores (148)
Parem de derrubar árvores (no Sertão)
Árvores viram carvão no Sertão
Mais árvores virando carvão
Parem de derrubar árvores (na Bahia)
Parem de derrubar árvores (no Pará)
Parem de derrubar árvores (em Camaragibe)
Salvem os ipês, por favor
A festa dos ipês, no Recife e no Pará

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cortesia dos leitores

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.