O Recife ganha a sua primeira “Praça da Infância”, que fica na Encruzilhada. Investimento: R$ 1,8 milhão

Na verdade, toda praça deveria ser, também, praça para a criançada. Até porque, com a verticalização do Recife, o que está em falta sempre é espaço ao ar livre para se brincar. Porém a cidade acaba de ganhar sua primeira Praça da Infância. Inaugurada nesta semana, ela fica na Praça Dom Miguel Valverde, no bairro da Encruzilhada e exigiu investimento de R$ 1,8 milhão, em brinquedos e infraestrutura.  A iniciativa é da Prefeitura do Recife, que pretende inaugurar mais duas do gênero, ainda este ano. Uma em San Martin e outra no Compaz Miguel Arraes, que fica na Madalena.

Para deixar o ambiente bem lúdico, a Praça ganhou dois círculos identificados como fogo e árvore. Um deles possui banco espiral que permite que as crianças brinquem de equilibrar e um labirinto (trepa-trepa) de troncos que remete a uma fogueira, que permite pendurar e escalar. O outro círculo tem duas casas de madeira e uma passarela que abriga dois escorregos que fazem a conexão entre os brinquedos através de um caminho estruturante. A praça também tem semicírculos complementares com pula-pula, gangorra, balanço e um relevo em madeira. ”As Praças da Infância estão sendo criadas a partir de uma metodologia que será replicada em toda a cidade, com soluções específicas e que estejam em sintonia com o seu entorno”, informa a PCR, segundo a qual o método “garante que toda criança recifense tenha acesso às mesmas qualidades proporcionadas por estes espaços”.

Equipamentos lúdicos e mais seguros sã a marca da Praça da Infância, que fica na Encruzilhada

O projeto foi elaborado a partir do “Guia de princípios para remodelação das praças para infância”, organizado pela Prefeitura do Recife, visando a requalificação paisagística que assegure a motivação de ações voltadas à inclusão, segurança, liberdade, orgulho e visibilidade das crianças. Também foram ouvidas as crianças do entorno e seus cuidadores. “O projeto da primeira Praça da Infância dp Recife tem um conceito feito por especialistas da área, que viram quais os equipamentos adequados, a concepção, a forma de construção, tudo isso com o diálogo permanente com a comunidade. Escolhemos a Encruzilhada para começar, porque tem 20 instituições de ensino em um raio próximo e também instituições que trabalham com crianças com deficiência. Pensando nisso, fizemos essa escolha, mas vamos começar também mais duas já nos próximos dias e vamos levar esse conceito pra cidade inteira”, afirma o Prefeito João Campos (PSB).

Ele lembra que além de todos os equipamentos desenvolvidos em parceria com equipes técnicas e crianças e seus cuidadores, houve preocupação com a logística de segurança (que por sinal falta em outras praças e parques). “São sete câmeras de videomonitoramento, presença permanente da Guarda Municipal e, algo que é muito importante aqui, o apoio da comunidade. Quero agradecer aos moradores do prédio que fica aqui na praça e que colocou à disposição a estrutura do prédio para a Guarda, com banheiros, água e um local para se abrigar da chuva.  O espaço ganhou passeios e pisos, rampas, drenagem, paisagismo, novos brinquedos, mobiliários e nova comunicação visual. Antes das obras iniciarem, a equipe de intervenções sociais da Secretaria Executiva de Inovação Urbana, esteve na Escola Municipal Ednaldo Miranda, localizada ao lado da Praça Dom Miguel Valverde, para escutar as crianças e seus cuidadores.

Praça da Infância teve escuta na comunidade antes da implantação: crianças e cuidadores foram ouvidos.

O prefeito João Campos também explicou a logística de segurança implantada no local. “São sete câmeras de videomonitoramento, presença permanente da Guarda Municipal e, algo que é muito importante aqui, o apoio da comunidade”. O sistema conta com parceria da comunidade. “Quero agradecer aos moradores do prédio que fica aqui na praça e que colocou à disposição a estrutura do prédio para a Guarda, com banheiros, água e um local para se abrigar da chuva. A Prefeitura está fazendo a parte dela, com câmeras e com a guarda, e os condomínios vizinhos também estão interagindo e compartilhando essa responsabilidade de cuidar”. As Praças da Infância estão sendo criadas a partir de uma metodologia que será replicada em toda a cidade, “com soluções específicas e que estejam em sintonia com o seu entorno, segundo a PCR”. O projeto é elaborado a partir do “Guia de princípios para remodelação das praças para infância”, organizado pela Prefeitura do Recife, visando a requalificação paisagística que assegure a motivação de ações voltadas à inclusão, segurança, liberdade, orgulho e visibilidade das crianças.

É óbvio que com a verticalização e o fim dos quintais, parques e praças são cada dia mais necessários em todos os cantos da cidade. O problema é que há muito abandono nas praças, inclusive as históricas. Então, seria bom que a PCR as tratasse com carinho e não com desprezo. Estão aí a Praça Maciel Pinheiro, a Dezessete, a da Independência, a Joaquim Nabuco (Centro);  a Nelson Ferreira (Santo Amaro); a Capiba (Graças);  a José Vilela (Casa Forte), Solange Pinto (Madalena) que não nos deixam mentir.

Abaixo, você confere informações sobre outras praças do Recife.

Leia também
Praça da Árvore é a primeira com jatos d´água saindo do piso no Recife
A Praça Nelson Ferreira não é mais assim. Sabe como ela ficou?
Praça alegre e colorida na Mário Melo
Capiba merece coisa melhor do que uma praça abandonada
Abandonado durante longo tempo, Parque do Caiara ganha jardins filtrantes
Recém requalificada, Praça Miguel de Cervantes sucumbe ao breu
Praça Miguel de Cervantes ganha calçada nova e sinalização horizontal no entorno
Reforma na Praça Solange Pinto Melo

Praça excluída da reforma do Mercado da Madalena
Recife, terra de ninguém: Praça ganha chiqueiro e ninguém faz nada
Em defesa de nossas praças
Sessão Recife Nostalgia: a Praça Maciel Pinheiro de Henry Fonda e Tia Teté
Praça Maciel Pinheiro vai de mal a pior
Histórica, Praça Maciel Pinheiro vive a decadência e o abandono
Praça Maciel Pinheiro: falta grama e sobra lixo
Praça Maciel Pinheiro pede socorro
Mobilização nas redes sociais contra o abandono das praças do Recife
Praça Dezessete está abandonada
Praça da Várzea, requalificada porém descaracterizada
Decadência na Praça da Independência
Praça José Vilela sofreu atentado estético
Praça Dom Vital em  petição de miséria
Praça Dom Vital  de roupa nova
Praça Dom Vital em petição de miséria
Praça Dom Vital fica pronta esse mês
Praça Dom Vital parece um ninho de rato
Praça da República sem gramado
Projetado por Burle Marx Largo da Paz vive a sujeira e o abandono

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Hélia Scheppa/Prefeitura do Recife

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.