O que a pernambucana Thuézia Souza e a paquistanesa Malala Yousafzai têm em comum? Veja aqui

Thuézia Souza, 16 anos, é uma das idealizadoras da “Campanha Meninas, Bora Votar”, destinada a estimular o primeiro voto nas eleições municipais de 2024. Composta por vídeos, cards, spots para rádio, fotos e adesivos, a ação já está no ar. E pretende estimular que garotas como ela tirem o título de eleitor, para escolher candidatos comprometidos com  a educação. O prazo para tirar título de eleitor se encerra no dia 8 de maio.

“ Estou muito motivada para votar, porque sei da importância do voto para a garantia da cidadania, e precisamos de mais mulheres em defesa dos nossos direitos”, diz. Thuézia é uma das jovens ativistas  do Projeto Meninas em Movimento pela Educação, que é realizado pelo Centro de Mulheres do Cabo (CMC), grupo feminista que atua há 40 anos no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife.

Em 2023, a ativista e Prêmio Nobel da Paz, Malala esteve no Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco

Importante: o projeto  foi viabilizado com a ajuda de Malala Yousafzai, a pessoa mais jovem a ser laureada com um Prêmio Nobel, o da Paz de 2014. Tinha, então, 17 anos. Em 2012, aos 15 anos, Malala foi baleada por milícias do Talibã, em represália pela sua campanha em defesa ao direito de educação das meninas do seu país, o Paquistão.

Ao ganhar o Nobel, ela criou um fundo para projetos que facilitem a conscientização e o acesso de meninas à educação. No Brasil, o Fundo Malala por ela criado apoia o Projeto Meninas em Movimento pela Educação, no Cabo.  A ativista inclusive já veio a Pernambuco, onde conheceu de perto o projeto que ela apoia.

Abaixo, você vê mais informações sobre mulheres e sobre o Cabo de Santo Agostinho

Leia também
Dia  Internacional da Mulher: mulheres do cabo fazem a 40ª caminhada
Mulheres do Cabo de Santo Agostinho vão às ruas eixigir direitos femininos
Prêmio Nobel da Paz, Malala Yousafzai chega a Pernambuco, confere escolas e conhece forró
A presença de Malala em Pernambuco, a menina que conquistou o Nobel da Paz aos 17 anos
Covid-19 ultrapassa gravidez precoce como causa da evasão escolar
Documentário: O impacto provocado pelo Porto de Suape
Mangue Mulher: clipe mostra a vida das pescadoras com a voz de Elza Soares
A luta pelo acesso ao mangue
Rio Tatuoca: Rios livres mangues vivos
Meros mortos no litoral sul
Corrente do bem no Cabo e em Ipojuca
Cabo recebe voluntariado
Mulheres aprendem a empreender
Amazon Brasil inaugura estrutura gigantesca
Vale da Lua, no Cabo de Santo Agostinho, tem movimentação cultural e histórica
Cabo ganha 7.450 árvores
Preguiça em alta tensão, no Cabo
Trilha no Paiva: Caminhada de cinco quilômetros pelas matas de Camaçari 
Após desova, a volta para o mar
Praia do Paiva: Tartarugas ao mar
Sobre violência de gênero
Inspirado em lei que levou jogador Daniel Alves à prisão, Protocolo Violeta entra em vigor no Recife 
Violência doméstica: Sempre ouvi dizer que numa mulher não se bate nem com uma flor
Mulheres do Cabo de Santo Agostinho vão daqui a pouco às ruas exigir direitos femininos
A presença de Malala em Pernambuco, a menina que conquistou o Nobel da Paz aos 17 anos
Covid-19 ultrapassa gravidez precoce como causa da evasão escolar
Mangue Mulher: clipe mostra a vida das pescadoras com a voz de Elza Soares
Mulheres aprendem a empreender
Dia de memória às vítimas de feminicídio no Recife. Abaixo a violência contra a mulher!
Benefício para os órfãos de feminicídio
Aborto em menina de dez anos gera guerra em Pernambuco
Gravidez precoce responde por 21 por cento dos partos em Pernambuco
Caso Pedro Eurico: “Em mulher não se bate nem com uma flor”
Ex mulher de Pedro Eurico faz acusações a Maria Eduarda
Relacionamentos abusivos viram espetáculo de dança: “Eu mulher”
Mulheres contra a violência
As mulheres e o boçal deputado Artur do Val
Acusado de matar Kauany e Jailma em Glória de Goitá aparece em Caruaru
Chamar candidata de “picolé de menstruação” é desrespeito e misoginia
Gabriela e Rayane movimentam escritório só para mulheres
Estranhas e entranhas marcas: dança, fêmeas, cicatrizes
Gretchen: A mulher faz o que quiser
Pelo fim da violência contra a mulher
Inaldete Pinheiro ganha homenagem
Tejucupapo revive batalha do século 17
Conheça melhor  a lendária Branca Dias

A mulher empoderada do século 17
Nassau e Ana de Ferro estão em Olinda
Sarau das Lobas e minas no Mamam
Poesia oral tem novas caras
A única mestra de maracatu
Maracatu rural: as mulheres guerreiras
Peça sobre Soledad Barret, assassinada grávida pela ditadura em temporada na Espanha

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação e Acervo #OxeRecife

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.