Na incerteza do carnaval na rua, o passo no palco: “DNA do Frevo”

 Na incerteza do carnaval na rua, o passo no palco: “DNA do Frevo”

Compartilhe nas redes sociais…

Apesar de grande parte da população do Recife já ter passado pelos postos de vacinação contra a Covid-19 – cerca de 82 por cento da população “elegível”, segundo a Prefeitura – até o momento a realização do carnaval de rua ainda é incerta. A festa que resulta em aglomerações é desaconselhada pelos cientistas, até porque estamos com uma nova variante no coronavírus no cenário mundial, a Ômicron.

Então, que tal matar a saudade do carnaval – que já não tivemos em 2021 – vendo um espetáculo sobre o Frevo? É o que mostra o Grupo Destramelar, de Pernambuco, que nesta quinta-feira (16/12), leva o DNA do Frevo ao palco do Teatro Luiz Mendonça, dentro da 16ª edição da Mostra Brasileira de Dança (MBD) que acontece, de forma presencial, entre os 11 a 19 de dezembro de 2021, nos Teatro do Parque, de Santa Isabel e Luiz Mendonça.   A sessão é única,às 20h.

Grupo Guerreiros do Passo devia ser patrimônio de Pernambuco: Grupo defender o frevo e preserva sua memória.

O espetáculo é uma viagem efervescente e divertida em busca de uma explicação sobre a gênese do frevo. É nessa viagem que o Destramelar busca a história da evolução do DNA “frevista”, indo desde a sua origem até o futuro. Com o início “Primates pernambucanus”, o espetáculo vai passeando pelo passado e reverenciando os mestres do frenético ritmo pernambucano.

Os bailarinos “passeiam” pelos primeiros alquimistas da dança popular, e”visitam” todos aqueles que transformaram a luta e a resistência do povo em Patrimônio Imaterial da Humanidade. Como se sabe, o Frevo surgiu entre as camadas populares, a partir dos passos dos capoeiristas. E ao longo dos anos, consolidou-se como a maior expressão musical do carnaval pernambucano. O grupo demonstra também a “armorialização” de Ariano Suassuna, e homenageia o Balé Brasílica e o Balé Popular do Recife, de André Madureira, e a Fábrica de Passista.  O grupo Guerreiros do Passo  (foto central), incansável  defensor do frevo, aparece em projeções gigantes durante a apresentação. Ainda bem. Não poderia ser esquecido….

Já na sexta, dia 17/12, Marcos Katu Buiati e Edson Beserra (Brasília/DF levam ao palco do Luiz Mendonça o espetáculo Velejando Desertos Remotos , que é livremente inspirado no livro As Cidades Invisíveis, de Ítalo Calvino. E  se ancora  numa atmosfera onírica de onde emergem seres, gestos, relações entre viajantes que caminham em última instância, sós, em busca de si mesmos. Seguindo os caminhos do grande viajante Marco Polo, personagem central do livro, a viagem e o deserto servem de metáforas para a descoberta d a vastidão existente dentro de cada um, na cena ou fora dela.

Nos links abaixo, você confere mais informações sobre o Frevo e sobre vários grupos e espetáculos de dança.

Leia também
Mostra de dança tem DNA do Frevo
Conceição em Nós: Dança retrata Morro, fé e o Brasil de hoje
Guerreiros do passo “rendem” 5 mil foliões e ampliam trincheira do frevo
Escuta Levino sai na quinta, sem a “festa” dos Guerreiros do Passo
Olha! Recife em clima de folia e com os Guerreiros do Passo
O homem de mola dos Guerreiros do Passo
Aprenda a fazer o passo. De graça
Frevo para bebês jovens e coroas
Paço do Frevo tem nova troça no domingo
Paço do Frevo vai a Olinda
Paço do Frevo: 500 mil visitantes
“O frevo mexe com tudo” no Paço
A dança da pandemia: Plantando Voo
Estranhas e entranhas marcas
Relacionamento abusivo vira espetáculo de dança “Eu Mulher”
Quando a dor do câncer vira dança
Dança sobre vida depois da morte
História de Brasília Teimosa vira dança
Entra apulso no palco: “Pode entrar”
Noite flamenca na terra do frevo
Quadrilham ganham palcos
O homem de mola do Guerreiros do Passo
Renata Tarub: Dança e inclusão social
Jornada virtual, a dança pandemia
No Dia da Mulher, o legado dos livros daquelas que fizeram história
Dança para Iansã em Santo Amaro
História de Brasília Teimosa vira dança
Dança sobre a vida depois da morte
Lembrança de Elis em Falso Brilhante
Chico Science redivivo no palco
“Cantor das multidões” no Barreto Júnior

Serviço
O que: 16ª edição da Mostra Brasileira de Dança (MBD)
Espetáculo: DNA do Frevo
Com quem: Grupo Destramelar (PE)
Onde: Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem
Quando: quinta, 16/12
Horário: 20h (sessão única)
Quanto: R$ 15 e R$ 30
Onde comprar: Sympla ou duas horas antes na bilheteria do teatro
Classificação livre

Espetáculo: Velejando desertos remotos
Com quem: Marcos Katu Buiati e Edson Beserra (DF)
Onde: Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem
Quando: sexta, 17/12
Horário: 20h (sessão única)
Quanto: R$ 15 e R$ 30
Onde comprar: Sympla ou duas horas antes na bilheteria do teatro
Classificação: doze anos

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação e Acervo #OxeRecife (Guerreiros do Passo)

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.