Mulheres de áreas de risco recebem capacitação para enfrentar desastres climáticos, inundações, etc

 Mulheres de áreas de risco recebem  capacitação para enfrentar desastres climáticos, inundações, etc

Compartilhe nas redes sociais…

As mudanças climáticas já deixam ver os seus efeitos, os eventos extremos estão cada vez mais frequentes e o inverno já está à porta, no Recife. O que fazer, diante de comunidades alagadas ou sob risco de desabamentos de casas e barreiras? No Recife, uma capacitação voltada para mulheres com foco em situações de desastres climáticos começa no próximo dia 21. A ação resulta de parceria com o Programa ProMorar, a Defesa Civil do Recife  a Secretaria da Mulher, e a Prefeitura do Recife.

A abertura do evento ocorre na quarta-feira (21), às 14h, na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), e terá a participação de 30 mulheres de 16 Comunidades de Interesse Social (CIS), que serão contempladas pelo ProMorar. Na pauta, temas como segurança, primeiros socorros, evacuação de áreas de riscos e outros aspectos relacionados. O encontro visa reunir mulheres que desempenham papéis de liderança em áreas de risco. A oficina irá abordar questões como perspectiva de gênero em situações de desastres, Estratégias de Redução de Riscos e Desastres (ERRD), o papel da Defesa Civil e a promoção da resiliência em comunidades vulneráveis.

Cada vez mais frequentes, eventos extremos exigem preparo prévio da população e alerta das autoridades

Além disso, serão discutidos temas como suporte psicológico em emergências, segurança no lar e primeiros socorros, e estratégias eficientes de evacuação de área. Bem que essa oportunidade poderia ser aproveitada para ação educativa, estimulando essas mulheres para práticas que podem ajudar a evitar (ou pelo menos reduzir alagamentos). Infelizmente no Recife, os canais, canaletas e até rios estão entupidos de lixo doméstico, o que atrapalha o escoamento. Ações educativas e multiplicativas são mais do que necessárias, para amenizar os efeitos das chuvas. Já a capacitação é promovida pelo Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (NUPDEC), uma iniciativa da Secretaria Executiva de Defesa Civil do Recife que visa capacitar indivíduos a lidar eficientemente com desastres climáticos.

“Essa capacitação é uma forma de reconhecer a importância do papel feminino na gestão de crise dentro de uma comunidade e empoderar as mulheres, possibilitando mais segurança e liderança, sendo um importante canal entre a comunidade e a Defesa Civil. A formação contará com a presença de técnicos, professores e moradoras de áreas de risco”, explica Beatriz Menezes, secretária executiva do ProMorar Recife, do ProMorar Recife. Após a abertura, as oficina aconteem na Comunidade de Dancing Days, no galpão da Capela São Francisco de Assis, no bairro da Imbiribeira. A capacitação vai ocorrer entre os dias 22 de fevereiro e 2 de março, das 13h às 17h.

Irão participar representantes das comunidades de Dancing Days, Sítio das Mangueiras, Airton Senna, Beira do Rio, Pocotó, Joca, Curral, Fazendinha, Bom Jesus, Areinha, Vila do Papel, Vila Brasil, Irmã Doroty, Aritana, Beira da Maré e Nova Esperança. Todas em situação de vulnerabilidade. Desde 2022, foram capacitadas 48 lideranças de diversas regiões da cidade. Em 2024, serão formadas 90 lideranças, sendo uma turma exclusiva de mulheres, visando potencializar a colaboração com o poder público na prevenção e resposta a emergências e desastres e potencializar a construção de resiliência urbana no município. Este ano haverá também dois NUPDECs comunitários, um na Zona Norte e o outro na Zona Sul do Recife.

Leia também
Seu uma chuva de verão paralisou o Recife, o que será da cidade durante o inverno?
Muita chuva e pluviômetros da Agência Pernambucana de Águas e Clima fora do ar. Pode?
O Recife entra em estágio de alerta e programação junina é cancelada
Chuva paralisa o Recife
Mortes, desolação, dilúvio e torneiras secas
Mudanças climáticas: o Recife possui 23 bairros vulneráveis ao movimento das marés
A capital vai virar mar? Holanda de olho nos efeitos provocados pelas mudanças climáticas no Recife
Vulnerável às mudanças climáticas, o Recife pode ficar assim se nada for feito
Em apenas seis horas, chuvas chegam a 60 por cento do previsto para fevereiro
Protesto imobiliza Zona Norte pelo auxílio emergencial
Zona da Mata e debaixo d´água
Novas chuvas, mais deslizamentos e 120 mortes
Escavação preocupa na Zona Norte
Tragédia no Recife: Cestas básicas chegam mas não há fogão para cozinhar
Como ajudar bichanos e totós que sobreviveram à tragédia da chuva
Mais um totó precisando de tutor
História se repete e governo desmente boatos
A tragédia da chuva e os morros protegidos
Chuvas, heróis, bichanos e totós
Temporal: Vítimas chegam a 120
Pernambuco chora seus mortos
Bombeiros ainda buscam dez corpos
Pró-Criança ajuda populações atingidas
Óbitos passam de cem e 24 municípios estão em emergência
Tragédia: Dia de  ver o que sobrou
Chuva, alagamento e monitoramento
Rede de fast food jogou lixo no canal?
Moradores reclamam mais uma vez da sujeira da McDonalds. Fiscalização?
Temperatura amena, chuva e “estiagem” em casa
Ventos, frio e chuvas de agosto
Com chuva e sem água na torneira
Recife tem chuvas concentradas mais uma vez. Emergência climática?
Em três dias, 71 por cento de toda a chuva prevista para abril
Chuva (de seis horas) equivalente ao previsto para dez dias do mês de março
Cinco dias de chuva que valem por cinco
Temporal derruba oito árvores
Zona Norte: Ruas e garagens alagadas
Ruas inundadas e Capibaribe cada vez mais caudaloso
Lixo retirado dos canais já é 20 por cento do total coletado no Recife
Lixo oficial permanece às margens do Rio Capibaribe
Praça de Casa forte perto do fim dos alagamentos
Águas pluviais e esgoto doméstico: quando tudo se mistura sob o chão
Chuvas: Jacarés ganham ruas
Temporal: Formigueiro e ninho de João-de-barro à prova de chuva
Segunda feira de chuvas sem o romantismo dos blocos
Morros ganham parceria contra chuva
Chuva: Se precisar chame o 0800 0813400
Eventos adiados devido à chuva
Chuva adia caminhada do Forró e fecha equipamentos culturais do Recife
Urgente: Chuva fecha Jardim Botânico
Crise hídrica na conta de energia e excesso de chuva no Sertão

Exposição: O Sertão virou mar no Cais
Ministro manda oceanógrafo trabalhar na caatinga. E o sertão já virou mar?
Chuva atrapalha produção de frutas
Chuva no Sertão prejudica fruticultura 
Chuvas provocam adiamento de barqueata contra a poluição
Mudanças climáticas: o Recife possui 23 bairros vulneráveis ao movimento das marés
A capital vai virar mar? Holanda de olho nos efeitos provocados pelas mudanças climáticas no Recife
Vulnerável às mudanças climáticas, o Recife pode ficar assim se nada for feito

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Genival Paparazzi / Acervo #OxeRecife

SERVIÇO
NUPDEC Mulheres
Abertura 21 de fevereiro
Local: Auditório G1 da Unicap
Horário: 14h

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.