Mobilização verde, em 30 de abril: #vamosplantarfloresnorecife

 Mobilização verde, em 30 de abril:  #vamosplantarfloresnorecife

Compartilhe nas redes sociais…

Dizem as autoridades do município que até 2037 – quando a capital completará 500 anos – a nossa cidade será transformada em uma cidade parque, uma cidade jardim, o que será possível com a implantação do Parque Capibaribe, que deverá transformar o Recife em local aprazível, sombreado e florido para se andar a pé ou de bicicleta. O problema é que, até lá, provavelmente teremos o avanço da especulação imobiliária, mais vegetação destruída, mais ação da motosserra insana, novas cenas de arboricídio  e – com certeza –  crescimento do número das ilhas de calor. Então, não dá para esperar, não é?

Além disso, nossas praças e parque quase não possuem flores e alguns têm pouquíssimas árvores, como são os casos dos parques Dona Lindu (na Zona Sul) e o Maximiano Campos (na Zona Norte), que ostentam mais concreto do que verde. Pois agora grupos de recifenses decidiram agir. Resolveram não esperar mais até 2035, e vão começar a distribuir sementes em praças, margens de canais e canteiros de áreas públicas. Integrantes dos grupos Amantes do Recife e Eu amo o Recife de coração já marcaram até a data para o início do plantio: 30 de abril. A ação ocorrerá a partir das 9h, com concentração à frente da Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem. De lá, o pessoal pretende se deslocar até às margens do canal que corta o bairro, para distribuição de sementes. É o projeto #vamosplantarfloresnorecife.

No Recife, o único parque florido é o da Jaqueira, e os ativistas querem um Recife com mais flores

“Vamos espalhar sementes não só de flores, mas também de amor pela nossa cidade”, afirma Ubirajara Lopes Carvalho, um dos líderes da campanha. “Nesta primeira ação não vamos plantar mussaendas, porque ainda não temos autorização da Emlurb. Vamos espalhar sementes de: Vinca, também conhecida por Boa Noite e por Bom dia; Benedita; Rabo de Galo; Cravo; Amor-Perfeito e de sempre-viva. Solicito que quem puder leve uma machadinha, um ciscador e/ou pazinha de jardim. Em alguns trechos vamos ter que limpar o capim”, diz, nas redes sociais. A mussaenda, por ser muito alegre e de fácil manutenção, tinha sido uma das primeiras sugestões levadas aos “jardineiros”. Mas foi colocado nos grupos que mesmo sendo uma árvore de pequeno porte, o plantio em áreas públicas necessita de autorização da Prefeitura.

Ao #OxeRecife, Ubirajara informou que resolveu lutar por um Recife mais florido, ao visitar cidades da Serra Gaúcha (como Gramado e Canela) e também uma do Agreste de Pernambuco (Garanhuns).  Já tinha ideia de fazer isso, mas ganhou reforço por uma outra integrante do grupo, Regina Porto. Aos poucos, foram todos aderindo. “O Recife tem muita carência de verde, de plantas, de flores”, reforça ele. Ubirajara disse que ao visitar a Serra Gaúcha, soube que as hortênsias que deram fama a Gramado na verdade surgiram pela obstinação de um morador, que saía jogando sementes à beira das rodovias, dos parques e em outras áreas públicas. Deu no que deu. Hoje as hortênsias são uma marca registrada das cidades turísticas.  E por que, então, não se fazer o mesmo no nosso Recife? Flores só alegram os lugares.

Ubirajara não acredita que órgãos públicos como a Emlurb retirem as plantas que forem semeadas. “A Emlurb tem que retirar é o lixo, as metralhas e o mato”. E afirma: “Se arrancarem, nós vamos lá e plantamos de novo”. Ele conta que tem medo “é dos vândalos e também de pessoas sem educação, como muitas madames que têm mau costume de levar para casa as plantinhas dos espaços públicos”. De acordo com o advogado, “a Prefeitura tem até imagens de gente descendo de seus carros luxuosos e roubando plantas nas praças”. Nas redes sociais desses grupos, há sugestões de várias flores, e fotos mostrando exemplos de áreas urbanas aparentemente inóspitas (cobertas de pedras ou paralelepípedos) que têm a aridez quebrada por recursos muito simples: jarros com flores, como acontece na Alemanha (foto menor). Um exemplo bem contrário ao que ocorre no Recife, onde as ruas “humanizadas” e só para pedestres são desprovidas de verde, como ocorre no centro do Recife, em bairros como Boa Vista e Santo Antônio.

A campanha #vamosplantarfloresnorecife já ganhou até vídeo, feito por Jorge Carolli. Confiram e…  #vamosplantarfloresnorecife

Leia também
#RecifeEmergênciaClimática (14)
#RecifeEmergênciaClimática (13)
#RecifeEmergênciaClimática (12)
#RecifeEmergênciaClimática (11): Rua Nova
#RecifeEmergênciaClimática (10)
#RecifeEmergênciaClimática (9) Rua da Imperatriz
#RecifeEmergênciaClimática (9)
#RecifeEmergênciaClimática (8)
#RecifeEmergênciaClimática (7)
#RecifeEmergênciaClimática (1)
#RecifeEmergênciaClimática (2)
#RecifeEmergênciaClimática (3)
#RecifeEmergênciaClimática (4) e Covid-19 na Festa do Carmo
#RecifeEmergênciaClimática (6)
#RecifeEmergênciaClimática (5)
Recife árido: Emergência Climática
Emergência climática: Recife mais verde é balela. ParemDeDerrubarÁrvores
O Recife é uma cidade verde?
Parem de derrubar árvores. Nova lei para arborização no Recife
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Contra as clareiras do Espinheiro
Espinheiro quer túneis verdes
Compensação pelo arboricídio
Lei para conter o arboricídio
Emergência climática no currículo
Parem de derrubar  árvores (32)
Parem de derrubar árvores (86)
Parem de derrubar árvores (96)
Parem de derrubar árvores (165)
Cadê a sinalização? E o respeito à vida?
Afogados está sujo e abandonado
Projetado por Burle Marx, Largo da Paz vivencia a sujeira e o abandono

Texto:  Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Das redes sociais dos grupos Amantes do Recife e Eu amo o Recife de coração
Vídeo: Jorge Carolli 

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.