“Mesa de Bar”, capitaneado por Wagner Gomes: Encantos e desencantos no Recife

 “Mesa de Bar”, capitaneado por Wagner Gomes: Encantos e desencantos no Recife

Compartilhe nas redes sociais…

Programa de grande empatia com o público e que acontece em clima de total informalidade – como se fosse um bate-papo entre amigos –  o Mesa de Bar recebe convidados muito especiais no próximo sábado (30/4), para que conversem sobre os encantos e desencantos do Recife, hoje a capital brasileira mais antiga e que se prepara para as comemorações dos 500 anos, que acontecem em 2037. O Mesa de Bar é capitaneado pelo jornalista Wagner Gomes e transmitido pela Rádio Jornal, a partir das 11h da manhã. Fiquem ligados, que vai ser um encontro divertido, como – aliás – são todas as edições do programa, pelo qual já passaram cantadores, violeiros, escritores, cantores, juízes, desembargadores, fabricantes de cerveja artesanal e até os melhores churrasqueiros da cidade.

Recentemente Hans Von Manteuffel dedicou um foto poema ao Recife, que terminou com caminhada pelo centro.

No sábado, o assunto é o Recife. E os convidados vão dizer porque se dedicam com tanto empenho a fotografar a cidade cortada de de rios, pontes, mangues.  As autoridades e os planejadores do Recife asseguram que  2037, a capital pernambucana será uma  agradável cidade parque. Porém, na verdade, não sabemos o que restará da cidade daqui a quinze anos anos. Até lá, não sabemos o que restará do que vemos atualmente, por conta do avanço da especulação imobiliária, da destruição do seu patrimônio verde, dos problemas gerados pela crise climática.  Se depender dos quatro convidados do Mesa de Bar, pelo menos em imagens, a memória da capital estará preservada.

Falo daqueles que costumam registrar a arquitetura, a riqueza dos monumentos, pontes e igrejas. E até dos seus habitantes. São fotógrafos profissionais como o alemão Hans Von Manteuffell e a venezuelana Gisele Carvallo. Já o brasileiro Bruno Recifense, é tão apaixonado pelo Recife que incorporou o amor à cidade ao próprio nome. O outro convidado é o Juiz federal Francisco de Barros e Silva, fotógrafo amador, que acaba de lançar o livro Recife: Arruar, no qual ele mostra fotos de um “Recife que se esconde”. O volume, que não está à venda, é candidato a virar cobiça de colecionador. Os quatro fotógrafos estarão no Mesa de Bar, para falar da  experiência de fotografar a cidade em que nasceram ou que escolheram para morar. Para animar a conversa, Wagner chamou Cristina Amaral,  que já marcou presença várias vezes no programa. O urbanista e consultor Francisco Cunha, das célebres Caminhadas Domingueiras, também foi convidado.

Hans nasceu na Alemanha e vê no Recife algumas semelhanças com a cidade onde passou a infância, Hamburgo. Acha que talvez seja por esse motivo que se apaixonou pela cidade. Recentemente divulgou nas redes sociais o foto-poema Recife que te quero ver, que terminou com uma caminhada pelo centro, e que incluiu locais como o Pátio de São Pedro, o Cinema São Luiz, a Praça da República, as icônicas pontes do centro.  Giselle Carvallo vive documentando a cidade, e fez recentemente uma  incrível exposição,  O Recife de Van Gogh (foto superior), explorando os amarelos tão presentes na obra do impressionista holandês. Francisco é apaixonado pelo Recife e pelos detalhes dos seus monumentos, a ponto de dedicar-lhes um livro com edição bancada por ele mesmo. Fotógrafo amador, ele não usa câmera profissional. Faz tudo com o celular, mas ninguém nem percebe, como mostra a foto abaixo.

Prédio do centro da cidade,fotografado pelo Juiz Francisco de Barros Silva, que publicou “Recife: Arruar”

Francisco aprendeu a gostar da cidade desde criança, quando saía com a mãe para comprar os livros escolares nas livrarias do centro, e andava da Boa Vista até o bairro de Santo Antônio, cortando as pontes da cidade. Já Bruno Recifense (foto vertical) sempre posta fotos do Recife no seu Instagram, muitas vezes enfrentando a insegurança das madrugadas para captar a melhor luz, o melhor ângulo da rua vazia. Sendo que, ao contrário dos demais, vez por outra dá asas à imaginação quando tem vontade, fazendo intervenções que podem ir de uma “bailarina” dançando em uma ponte (foto vertical) a uma superposição de fotos suas para chegar a um diferente efeito.   Para os efeitos, ele se inspira no fotógrafo mexicano Saúl Aguillar, radicado em Paris, e que tem mais de 200 mil seguidores no Instagram, onde é conhecido como @saaggo.  O Mesa de Bar será transmitido a partir do Caldinho da Nenen, à Rua Nogueira Souza, 375, Pina. Um bom motivo para continuar a conversa depois do programa…

Wagner Gomes (de chapéu), o  condutor do Mesa de Bar é sertanejo de Arcoverde, adora cultura popular e tudo que é da terra. Ele formou-se em jornalismo em 2002, mas antes de concluir o curso já trabalhava na Rádio Jornal, onde entrou em 2000. Tive muito contato com o radialista, durante minha vida de repórter, quando nos encontrávamos em algumas pautas, principalmente as políticas. Versátil que só ele, aborda qualquer assunto com a mesma desenvoltura. Política, economia, cultura, é tudo assunto para ele. Pode ser na SuperManhã, no Passando a Limpo ou no seu Mesa de Bar, todos  da Rádio Jornal.   No Mesa de Bar, o que não falta é assunto: boemia, vida de cantor, vida de artista de circo mambembe, forró, baião, poesia de cordel,  festejos juninos, carnaval, que vinho tomar para acompanhar o peixe, o queijo ou a carne. O Mesa de Bar está no ar há oito anos.

Leia também
Nota dez para o Recife que te quero ver
Recife virado que “te quero ver”
O Recife que te quero ver
Hans Von Manteuffel dedica fotopoema ao “Recife que te quero ver”
Sessão Recife Nostalgia: São Luiz, vitrais como nos velhos tempos 
Com Hans, entre  barroco e o rococó

Livro mostra o Recife “que se esconde”
Giselle Carvllo e o  Recife de Van Gogh
A “luz” na pandemia: Gisele Carvallo
O diário do lockdown da pandemia pelo olhar dos confinados
Pilhagem mal explicada na Ponte Velha
O Recife pelas lentes de Fred Jordão
O Sertão que virou mar no Cais
Nos mistérios e labirintos de Solidão
Livro Eu, Capibaribe
Bordados de Passira no Cais do Sertão
Aos 483, o Recife é lindo? Veja fotos
Arruando pelo Recife tem nova edição
Faculdade de Direito: O Recife através dos cartões postais
Conheça o Recife através dos tempos
O Recife através dos tempos está de volta

Dê o Recife de presente ao seu papai
O diário do lockdown da pandemia pelo olhar dos confinados
Sessão Recife Nostalgia: “Como era lindo o bairro da Boa Vista”
Sessão Recife Nostalgia: Praça Maciel Pinheiro de Henry Ford e de Tia Teté
O Sertão que virou mar no Cais
Nos mistérios e labirintos de Solidão
São José e Santo Antônio ganham livro: viagem por quatro séculos de história
Arte Déco: Miami ou Recife
Em dois anos, lojas fechadas aumentarm 140 por cento na Rua da Imperatriz 
Vamos visitar o  rurbano bairro da Várzea?
Olha! Recife: Casarões e Capibaribe no roteiro

Serviço
Evento: Programa “Mesa de Bar”
Assunto: Encantos e desencantos do Recife pela visão de quatro fotógrafos
Quando: Sábado, 30/4
Horário: 11h
Onde: Caldinho do Nenen, Rua Nogueira Souza, 375, Pina
Com: Wagner Gomes e convidados (Hans Von Manteuffel, Gisele Carvallo, Francisco Barros e Bruno Recifense e Francisco Cunha)

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Hans Von Manteuffel, Gisele Carvallo, Francisco Barros e Bruno Recifense

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.