Mês da Consciência Negra: Começa a Semana Afro Daruê Malungo com doze espetáculos e oficinas

 Mês da Consciência Negra: Começa a Semana Afro Daruê Malungo com doze espetáculos e oficinas

Compartilhe nas redes sociais…

Nesse Mês da Consciência Negra, o Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo promove a Semana Afro Daruê Malungo. O evento começa na terça-feira (21/11) e segue até o primeiro sábado de dezembro (02/12). O festival acontece desde 1990 e será na sede do Daruê, na comunidade Chão de Estrelas.  A programação inclui doze espetáculos, além de oficinas, performances. A curadoria é de Orun Santana e Obailê Santana, bailarinos e educadores do Daruê Malungo. A 29ª edição tem como proposta conectar outros espaços e artistas com a cultura negra do Recife e de Pernambuco. “A programação tem trabalhos que vão se comunicar com essa ideia principal do que é a dança afro. Neste ano, trazemos o questionamento dessa possibilidade ampla da cultura negra e afro-brasileira se relacionar com a cultura urbana”, dizem os curadores.

Além da oportunidade para grupos iniciantes e ainda não tão conhecidos, a curadoria da Semana Afro tem a preocupação com jovens e crianças em situação de vulnerabilidade social de Chão de Estrelas e das comunidades ao redor. “Como centro de educação e de cultura, pensamos nesses jovens artisticamente e pedagogicamente. Então, focamos em socializar a cultura negra para que eles entendam que isso é legal, bonito e importante. Queremos que eles construam esse futuro de relação com um mundo antirracista, incorporando tradições de uma forma preta potente”. Como participar – O público interessado em se inscrever nas oficinas de dança, de forma gratuita, deve confirmar presença através do link https://forms.gle/CefHL94DyA1StFBV9. Para as apresentações de espetáculos e performances, é necessário chegar com 30 minutos de antecedência da programação.

Além de preservar a cultura afro, Daluê Malungo faz trabalho com jovens em situação de vulnerabilidade

O Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo foi idealizado por Vilma Carijós e Mestre Meia Noite, criado em 05 de outubro de 1988 e registrado em 1990, passando a funcionar, desde então, em Chão de Estrelas, no Recife. Hoje, o Daurê atende de forma direta 40 crianças e adolescentes e suas famílias, com atividades de cunho artístico e pedagógico, mantendo a tradição de utilizar a arte e a brincadeira como parte da metodologia de ensino e criação artística. Ao longo dos anos, mais de 1 mil pessoas participaram das atividades de formação do Daruê. Entre as conquistas do Daruê Malungo estão o título de Ponto de Cultura, passando a integrar a Rede de Pontos de Cultura de Pernambuco através do Programa Mais Cultura do extinto Ministério da Cultura, onde funcionam o Bloco Afro Daruê Malungo, o Maracatu Nação Estrelar, a Cia de Dança Daruê Malungo, todos em atividade até hoje e participando de todas as ações no centro e festivais, eventos, congressos e de turnês no Brasil e no estrangeiro.

Leia também
Eduardo Ferreira lança Coleção Alafia na abertura do Muafro
Erê Mukunã: a beleza da negritude
Museu da Abolição: acervo material africano ganha catálogo inédito
“A África que persiste em nós”
Lia da Ciranda, a Rainha da Ciranda será homenageada em duas escolas de samba, em SP e RJ
Semana da Consciência Negra: Daruê Malungo movimenta o Recife e Olinda
Mês da Consciência Negra:  desfile, palestras, igualdade racial
Ervas sagradas ganham sementeiras
Bahia tem ritual de paz e respeito à liberdade religiosa
Baobás de Pernambuco são sacralizados na Bahia
Trio expert em baobá, a árvore da vida
A árvore do esquecimento
Cortejo religioso em Salvador
Pipoca é alimento sagrado?
Ojás contra o racismo religioso
Contra as práticas de branqueamento
Navio alemão acusado de racismo
Navio Negreiro no Barreto Júnior
A simbiose entre a Igreja Católica e os terreiros
Pai Ivo de Xambá vira Doutor Honoris Causa
A sabedoria ancestral da Griô Vó Cici
A herança afro na música brasileira
Sítio Trindade tem gastronomia afro
Festa para São João e Xangô
Católica bota Xangô na ordem do dia
Qual o mal que lhe fez Yemanjá?
Michele Collins entre a mobilização e a pressão dos terreiros
Preconceito religioso tem reparação
Inaldete Pinheiro ganha homenagem
Uana Mahim: Sou preta, negra e fera
Moda Preto Soul: Viva a negritude!
Dia da Consciência Negra: Dicas de leitura
De Yaá a Penélope africana
Nação Xambá, 88 anos de residência 
Resgate histórico: Primeiro deputado negro do país era pernambucano
O grito dos excluídos por independência verdadeira no século 19 e a esquecida Maria Felipa
Joana, a única mestra de Maracatu
Nego Henrique oferta oficina de percussão
Dia da Mulher Negra, Latino Americana e Caribenha
Expô sobre terreiros termina na terça
Jurema sagrada vira exposição

Serviço:
29ª Semana Afro Daruê Malungo
Onde: 
Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo
Endereço: Rua Passarela, nº 18A, Chão de Estrelas, Recife/PE
Inscrições nas oficinas: https://forms.gle/CefHL94DyA1StFBV9
Entrada: gratuita
Outras informações: instagram.com/darue.malungo

Oficinas
DE 21/11 A 25/11/2023: 15H Dança Afro, Obailê Santana
De 21/11 A 24/11: 14h Danças Urbanas, Duda Serafim
25/11 Sábado: 10h Rasura: Abre Alas, Produção de Novas Escritas em Dança, Coletivo Rasura

Eepetáculos e performances
25/11 Sábado: 18h Mostra Pedagógica da Escola de Dança Daruê Malungo; 18h30 Performance Rasura, Gabi Carvalho, Mayara Ferreira e Yanca Lima; 19h Show Coco Dos Pretos
26/11 Domingo: 18h30 Meu Corpo Universo, Dadinha Gomes; 19h Lançamento do Vídeoclipe Filhes de Oxum, Mel Do Mundo, Afoxé Oxum Pandá; 19h30 Negras Evocações Oxum, Deusa Negra, Afoxé Oxum Pandá
28/11 Terça-Feira: 18h30 Máscara Negra, Renascidos Aqui, Mas Somos de Lá; 19h30 Se Eu Fosse Malcolm?, Eron Vilar E DJ Vibra
29/11 Quarta-Feira: 18h30 Periferia Quebra Tudo; 19h Mostra de Vídeo Inédito do Grupo Fuzuê de Dança Donos da Rua; 19h20 Espetáculo/Referências do Fuzuê: Mestras, Mestres e Terreiros; Grupo Fuzuê de Dança
30/11 Quinta-Feira; 18h30 Omo Iyá – Para As Mães Paridas e Não Paridas, Natasha Disantiago; 19h Movimento de Empoderamento Feminino Baque Mulher, Maracatu Baque Mulher
01/12 Sexta-Feira: 18h30 Ebó: Mandinga Afrikana, Andrezza de Santana e Ará Mandinga; 19h Baticum – Orí Cia de Dança; Associação Cultural Afro-Brasileira Orí
02/12 Sábado: 17h Território de Passos e Sonhos, Balé Deveras; 18h30 Criarte, Grupo Dança Também É Educação (Rio De Janeiro); 19h Agbará Obirin – Em Processo, Cia De Dança Afro Daruê Malungo; 20h Show Coco de Umbigada

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Jorge Feo / Divulgação

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.