Mais uma preguiça resgatada na rua

Tem gente que não tem juízo. Ou possui  o chamado “espírito de porco”, com todo respeito que tenho aos suínos. Pois não é que várias pessoas estavam maltratando uma preguiça? Como se faz uma coisa dessa com um bichinho inofensivo desse, ainda mais bebê? A cena ocorria em uma das margens da BR-232, à altura do distrito de Bonanza, em Moreno, na Região Metropolitana do Recife. Foi quando um casal que se dirigia ao interior, parou o automóvel e recolheu o mamífero (Bradypus variegatus), que estava sendo importunado e salvou-lhe a vida.

A preguicinha, coitada, estava perdida, depois de ter ficado privada de comer. Porque ela havia sido encontrada em  uma árvore, no meio de área devastada por uma queimada, dessas que a gente vê muito no interior. Ela havia sido retirada de uma planta adulta, da qual só restavam o tronco e os galhos secos.  O Casal resgatou a “criança”, quando ela era importunada por populares. E a levou para o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco, da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), que fica no bairro da Guabiraba, entre os municípios de Recife e Camaragibe. É a segunda preguiça que chega ao Cetas-PE, em menos de um mês. No dia 11 de novembro, um outro indivíduo da espécie, adolescente, se arrastava entre os automóveis, na Rua Apipucos, quando foi resgatada por uma motorista, que o entregou ao Décimo Primeiro Batalhão da Polícia Militar, que fica naquela via. A PM encaminhou o bichinho para a CPRH, hoje a instituição oficialmente responsável para receber animais em situação como a das duas preguiças.

É que a CPRH assumiu em 2014 a atribuição de salvaguarda de animais silvestres em períodos de recuperação, após assinatura de um acordo de cooperação técnica com o Ibama, órgão do Governo Federal. Foi então que surgiu o Cetas, que pode ser procurado para entregas voluntárias de animais silvestres. Foi para lá que, no início desta semana, também foi levado um jacaré de papo amarelo (Caiman latirostris), de 1,88 metro de cumprimento e 41 quilos, resgatado pela CPRH no quintal de um bar na Cidade Universitária.  Este jacaré, por sinal, foi solto na última sexta-feira, após exames clínicos. O local da soltura não pode ser divulgado. Já a preguiça achada em Moreno passa por exames clínicos, e será preparada para ser reintroduzida à natureza.

(Foto: Divulgação/ CPRH)

 

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.