“Loiceiras” e Circuito Fenearte – com ocupação de novos espaços – são novidades da Fenearte 2023

Vem aí a vigésima terceira edição da Feira Nacional de Negócios do Artesanato, a maior do setor, na América Latina. Aguardada com muita expectativa pelos artesãos e pelo público, ela acontece entre os dias 5 e 16 de julho, no Centro de Convenções de Pernambuco. Em 2023, o tema escolhido é “Loiceiros de Pernambuco – Arte da terra, poesia de das mãos”. Trata-se de  homenagem à arte feita em barro pelos povos indígenas, dos quais foi herdada a tradição de moldar a argila, que marca, ainda hoje, muitas regiões do Brasil, como a Zona da Mata (Tracunhaém) e o Agreste de Pernambuco (Caruaru); o Vale do Jequitinhonha (em Minas Gerais); o Recôncavo Baiano (Bahia); a Ilha de Marajó (Pará); o Seridó (no Rio Grande do Norte).

O evento consumirá R$ 8 milhões em investimentos, porém espera movimentar pelo menos R$ 40 milhões. A maior novidade da 23ª Fenearte, no entanto, não é o tema escolhido pois, a cada ano, arranja-se um.  A novidade é que o megaevento não se limitará ao Centro de Convenções, segundo anunciou hoje a Governadora Raquel Lyra (PSDB).  É que entre os dias 11 e 15 de julho, o Recife e Olinda respirarão o clima da Fenearte, no chamado Circuito Fenearte. Pois ela será repicada em 50 espaços culturais das duas cidades e mobilizará, ainda, 30 galerias de arte. Além disso, dez restaurantes previamente escolhidos também entram no clima, e oferecem cardápios especiais no período.

Governadora Raquel Lyra (PSDB) anuncia que Fenearte vai ocupar vários espaços de Olinda e Recife.

São eles: Altar Cozinha Ancestral, Bar do Cabo (que apesar do nome fica em Brasília Teimosa), Cá-já, Cais Rooftop, Chica Pitanga, Oficina do Sabor, Moendo na Laje, Retetéu, São Pedro e Vieira. Também haverá rodas de conversa no Centro do Recife, mais precisamente no Cais do Sertão, que fica vizinho ao Centro de Artesanato de Pernambuco, ambos funcionando na Avenida Alfredo Lisboa, ao lado do Marco Zero do Recife. A Fenearte teve início em 2000, durante a gestão do Governador Jarbas Vasconcelos (PMDB), colecionador de peças de artesanato e grande incentivador do setor.

Mas explodiu durante a gestão do então Governador Eduardo Campos (PSB), quando consolidou-se como a maior vitrine de artesanato da América Latina e também como uma feira de negócios. Hoje, artesãos de todo o país e principalmente de Pernambuco passam o ano produzindo para o evento, onde recebem encomendas que lhes garante renda. Em 2023, a tucana Raquel introduz mudanças no modelo adotado pelo PSB e amplifica a Fenearte para centros de cultura, galerias e até restaurantes, talvez para imprimir a própria marca. De acordo com a organização da Fenearte, mais de 5 mil artesãos participarão da Feira, com representações de todos os estados brasileiros e mais 27 países. Haverá 305 estandes de estados e 73 só dedicados a cidades de Pernambuco, que sempre marcam grande presença no evento. Também haverá estandes de oito etnias indígenas. Os preços, dependendo do dia da semana, variam de R$6 a R$ 16.

Leia também
Fenearte inclusiva: Primeira pizzaria do mundo com jovens com síndrome de Down
O movimento mangue na moda é o assunto do dia na Fenearte
Fenearte está bombando
Começa a Fenearte: A festa para os olhos
Fenearte vai bombar com manguebeat

Fenearte está bombando
Começa a Fenearte: A festa para os olhos
Fenearte vai bombar com manguebeat
Corra que a Fenearte acaba hoje
Alunos fazem aplicativo para Fenearte
A vez dos reciclados na Fenearte
Prestigie artesãos do Recife na Fenearte
Moda sustentável na Fenearte
Corra que a Fenearte acaba hoje
Ganzá inspira praça premiada
Alunos fazem aplicativo para a Fenearte
Os santos de Ribamar na Fenearte
Prestigie os artesãos do Recife na Fenearte
Dia de fazer garimpo na Fenearte
O mané gosto de Saúba
Centro de Artesanato de Pernambuco ganha livraria
Plaza Shopping ganha loja de artesanato
Que tal dar artesanato no Natal?
Artesanato baratinho no Sítio Trindade
Fenearte também é ressocialização
Dia do artesão: Viva Miro dos Bonecos
Miro e o show dos seus bonecos
A Serra Pelada de Sinha é só riqueza
São Francisco, natureza e artesanato
Dia do Artesão: Viva Miro dos Bonecos
O Mané Gostoso de Saúba
Fotógrafos documentam mamulengos
Moda pernambucana no Marco Zero
Eduardo Ferreira lança Coleção Aláfia
Combo X revive Manguebeat no Capibar

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Letícia Lins / #OxeRecife e SEI

 

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.