Inclusão: Quantidade de alunos autistas nas escolas cresce 257 por cento entre 2019 e 2023

Nessa semana, em que foi comemorado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, uma pergunta: Temos maior número de crianças com transtorno do espectro autista no Brasil, ou as escolas estão abrindo mais as portas e o atendimento a pessoas com o TEA? Se a realidade é o primeiro caso, é  preciso ampliar o atendimento destinado a crianças e jovens com essa condição. Se esse não é o fato, aplausos para as escolas que estão aumentando o acolhimento de alunos autistas. É que a quantidade de estudantes  matriculados com TEA  cresceu 257 por cento entre 2019 e 2023 no Brasil, o que pode ser comemorado como prática de inclusão. Detalhe: o acolhimento é maior na rede pública, pois a privada costuma alegar que não possui profissionais suficientes ou especializados.

Em 2023, houve um incremento de 48,1 por cento de alunos autistas, em relação a 2022, o que indica 206.681 novos alunos com essa condição. Hoje, as crianças com TEA  que estão nas escolas chegam a 636.2022, segundo  análise feita em cima do Censo Escolar divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os números foram investigados pela Adapte, que acredita que eles estão subestimados. “Nós fizemos alguns estudos estatísticos analisando dados divulgados pelo censo do IBGE e pelo Center of Diseases Control and Prevention (CDC), dos Estados Unidos, que considera que um em cada 36 crianças até 8 anos são autistas. Cruzando isso com o censo escolar, deveríamos ter 1,3 milhão de alunos autistas nas escolas, mais do que o dobro do número atual, que é de 636.202 estudantes”, avalia Emanuel Santana, CEO da Adapte.

Diante da grande demanda, municípios começam a criar instituições públicas para atender a autistas

A Adapte é uma startup de impacto social que promove a inclusão de autistas na educação formal e no mercado de trabalho, e que já capacitou 20 mil profissionais de educação para atuação junto a crianças e jovens com TEA. A Adapte disponibiliza cursos gratuitos online para educadores e escolas públicas e privadas se qualificarem sobre o transtorno do espectro autista. Santana acredita que a alta de matrículas deve-se sobretudo a um maior diagnóstico do autismo na sociedade. Ele informa que é a escola pública a grande responsável por promover a inclusão de crianças e adolescentes autistas no ensino regular, enquanto a maioria das instituições da rede privada negam a matrícula sob a justificativa de que não estão preparadas para acolher o aluno com essa condição.

Para o especialista, a inclusão precisa chegar à escola privada para que ela se qualifique e aprenda a lidar com os desafios de comunicação, comportamento, regulação emocional, sensibilidade sensorial, dificuldades de aprendizagem e de socialização que são comuns à comunidade autista. Apesar de o censo ter demonstrado uma elevação considerável na quantidade de alunos com TEA, ele acredita que o dado está subestimado. Avaliações feitas pela Adapte, ponderando levantamentos de outras organizações, sugerem um número bem maior.

Na visão de Emanuel, o cenário é positivo, mas ainda há muitos desafios a serem enfrentados para uma educação inclusiva no País. “É preciso haver uma reforma sistêmica na educação, com aprimoramentos e modificações em conteúdo, métodos de ensino, abordagens, estruturas e estratégias de educação para superar barreiras, oferecendo a todos os estudantes uma aprendizagem significativa”, analisa o CEO da Adapte. Quem deseja fazer algum curso no Adapte, pode acessar o site www.adapte.com.vc. A inscrição é gratuita. Em Pernambuco, algumas iniciativas voltadas para pessoas com TEA se destacam. Na área privada, há o Instituto do Autismo (IDA), que tem seis unidades na Região Metropolitana. No interior, por iniciativa da Prefeitura de Macaparana, foi criada a Casa Azul, voltada pela crianças com TEA. No âmbito estadual, a Governadora Raquel Lyra criou carteira de identificação para pessoas com essa condição, e anunciou a política estadual para pessoas com autismo.

Leia também
Artigo: O autista é vítima perfeita para o bullying, por Lucelmo Lacerda
Dia Mundial de Conscientização do Autismo tem campanha “todo autista é campeão”
Instituto do Autismo anuncia abertura de novas unidades, nas Graças e Poço da Panela
Raquel Lyra cria carteira de identificação para autistas e anuncia política estadual para pessoas com autismo
Recife com duas prévias carnavalescas para crianças e adolescentes autistas
Projeto Kinoplex Azul institui sessões de cinema para autistas
Cinema tem sessão especial para autistas
Colônia de férias para autistas tem recorde de inscrições
Dicas de diversão para autistas por quem entende do assunto
Colônia de férias para autistas
Casa Azul  para atender autistas em Macaparana vira exemplo a ser seguido
Carnaval inclusivo:  Festa no Praia sem Barreiras e no Balança Rolhinha
Olhar para as diferenças: Crianças deficientes do Agreste e do Sertão ganham transporte especial
Praia sem barreiras retorna a Boa Viagem no Dia Internacional da Pessoa com deficiência
Relançado, Pernambuco Conduz facilita a vida das pessoas com deficiência
Praia sem Barreiras: 10 mil pessoas deficientes com direito a banho de mar
União Mãe de Anjos em fotografias
Dia “D”: emprego para deficientes
Renata Tarub: dança e inclusão social
Deficientes com vez no desfile do Galo
O carnaval inclusivo do Recife
Carnaval inclusivo na Rua da Moeda
Carnaval inclusivo Recife Antigo
Abertura do carnaval: inclusão, frevo, brega, samba, pífano e música eletrônica
Isso é muito bom: carnaval inclusivo
O frevo inclusivo de Werison
O ser humano encantado do frevo 
Música para Surdos: é o som da pele
Os incríveis batuqueiros do silêncio
Carnaval sem barreiras em Boa Viagem
A luta por inclusão e acessibilidade
 Campanha por escola inclusiva
Óculos trilíngues facilitam leitura para cegos
Síndrome de Down: despertando talentos
Cultura inclusiva em curso gratuito
Com o coração se faz uma canção
Síndrome de Down: Expedição 21
Portadores de Down ganham curso de jornalismo em PE
Saga de Bruno em cordel
Festa inclusiva no Parque da Jaqueira
Com respeito construímos a igualdade
Bruno, exemplo a ser seguido
Bruno, exemplo para todos
Encontro na estrada: passeio inclusivo
Caminhada para cadeirantes fez sucesso
Jovens da Apae mostram talentos
Macaxeira tem parque inclusivo
REC Férias inclusivo na Zona Norte
Sou diferente e faço a diferença
Com respeito, construímos a igualdade

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: IDA/ Divulgação / Acervo #OxeRecife

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.