Grupo “Bora Preservar” revisita a história, na caminhada “Arruando pela Várzea do Capibaribe”

 Grupo “Bora Preservar” revisita a história, na caminhada “Arruando pela Várzea do Capibaribe”

Compartilhe nas redes sociais…

De vez em quando, os leitores reclamam que noticio as caminhadas depois que elas acontecem. Mas o faço porque alguns grupos limitam o número de vagas. Algumas conseguem reunir tanta gente, que até há dificuldade para se ouvir o que o Guia diz. Pois nesse sábado (29/7), o Grupo Bora Preservar faz um roteiro pelo   Bairro da Várzea, que sempre surpreende, seja pela sua história e também pelas atrações que oferece, desde  charmosas cafeterias e restaurantes, casario histórico até monumentos como a Oficina Francisco Brennand e museus como o Instituto Ricardo Brennand.

O roteiro, no entanto, não inclui dessa vez  Oficina Cerâmica Francisco Brennand, que exige uma manhã ou uma tarde inteira, para que seja explorada  e visitada em detalhes, como ela merece. O ponto de encontro será às 8h30m, em frente ao Centro de Convenções da Ufpe, na Cidade Universitária. O roteiro incluiu: as ruínas da chaminé da Casa do Engenho de João Fernandes Vieira (1610-1681), com seu antigo acesso. Como vocês devem saber, o nome Engenho do Meio surgiu exatamente da propriedade açucareira daquele que foi um dos heróis da Restauração Pernambucana, mas também  um rico senhor de engenho.

Em 2021,fiz um passeio pelos locais históricos do antigo Engenho do Meio, na Várzea, e recomendo: muita história!

Depois, vem a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, que foi visitada por Dom Pedro II, e onde está enterrado Filipe Camarão (1600-1648) que, ao lado de Matias de Albuquerque, lutou contra invasores holandeses. Passagem pelo IRB, porém sem visita ao museu e à pinacoteca, pois trata-se só de caminhada mesmo. Nessa parte do passeio, haverá uma parada para que os caminhantes conheçam a bela história de amor entre um engenheiro francês e uma escravizada, no século 19, fato que terminou virando um escândalo para os padrões da época. Haverá visita, ainda, à Praça da Várzea (com seu baobá), às ruínas daquele que foi o belíssimo prédio do Hospital Magitot, assim como ao Seminário da Várzea e ao antigo prédio do Educandário Magalhães Bastos. O percurso deve ser de apenas três quilômetros e pede-se apenas doação de alimentos não perecíveis para entrega em instituições filantrópicas.

Leia também
Vamos visitar o “rurbano” bairro da Várzea? História é o que não falta
A Várzea de “Nos tempos do Imperador”: Igreja ostenta a coroa na fachada
Na Várzea, jaqueira lembra escravizados e vira memória de história de amor
Secular Magitot em ruínas na Várzea
Olha! Recife:  Rio Capibaribe em dose dupla, Várzea, e Recife Mãe
Várzea também tem queima da Lapinha
Arqueólogos revolvem o passado, no antigo “Engenho do Meio”, na Várzea
Arte monumental e natureza generosa
Instituto Ricardo Brennand em festa
O ar refrigerado na mata sob  sol
No Dia da Amazônia, trilha pela Mata Atlântica
Boi da Mata agita a Várzea
Praça da Várzea: requalificada porém descaracterizada
Carlos planta 300 árvores e é confundido com professor
Inéditas “véias” de pastoril na Várzea: cortejo de pastoras e queimas da lapinha no bairro da Várzea
Pelas terras da Várzea: Volta ao passado
Principais atrações da Várzea reabrem
Carnaval da (R) existência na Várzea
Arte clássica em curso no IRB
…………….
Bora Preservar faz passeio a pé pelo centro seguindo os caminhos de Frei Caneca
Bora Preservar faz roteiro por esculturas de Abelardo da Hora no Recife: Abelardada
Bora Preservar “viaja” pelo Poço da Panela
Sessão Recife Nostalgia: Afogados era a cinelância e tinha a Rozemblit
Afogados está abandonado
Torre do  Jiquiá, relíquia mundial entre a história e o abandono
Forte do Buraco: tombado, destombado de novo, lindo e abandonado
Ponte giratória que não gira
Caminhadas viram mania no Recife e grupos fazem parceria
Bora Preservar: Tour no Hotel Central 
Solidariedade: S.O.S Hotel Central
Fantasma no Forte das Cinco Pontas
Grinaldo Gadelha e sua Gadelharia Indústria Criativa
História: Cruz do Patrão foi removida?

Serviço
Caminhada “Arruando pela Várzea do Capibaribe”
Quando: Sábado, 29 de julho de 2023
Local de saída: frente do Centro de Convenções da UFPe
Horário: 8h30m
Quanto: gratuito, porém recomenda-se levar um quilo de alimento não perecível
Inscrições: (81) 99831-0691

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Letícia Lins e Alexandre Trindade / Acervo #OxeRecife

Posts Relacionados

1 Comments

  • Maravilha seu texto sobre a caminhada da Várzea Letícia! Obrigado pela postagem!!!
    🙏🙏🙏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.