Gato-mourisco ameaçado é atropelado

O Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara) está se transformando em unidade de referência no Nordeste, no que diz respeito à reabilitação de animais e sua reintrodução na natureza. E vem sendo procurado por outros estados, como ocorreu esta semana, quando um gato-mourisco (Puma yagouaroundi) foi enviado pelo Ceará. O mamífero foi atropelado em rodovia no município cearense de Barbalha, e vai passar por cirurgia. A espécie está na lista de animais ameaçados de extinção.

Barbalha fica no lado norte da Chapada do Araripe. O animal foi entregue a agentes ambientais da Agência Estadual de Meio Ambiente (Cprh) no município de Exu, no Sertão de Pernambuco. Do município – que fica a 688 quilômetros do Recife – o gato foi trazido para o Cetas, que fica na Região Metropolitana do Recife. Ao ser atropelado, coitado, teve três fraturas no fêmur e na pélvis. Foi recolhido por agentes da Área de Proteção Ambiental (APA) do Araripe, unidade de conservação federal com abrangência em áreas de predominância da caatinga em três Estados  (Ceará, Piauí e Pernambuco).

No Cetas, o mourisco passou por avaliação clínica, com exames de Raio X e ultrassom. O parecer é por uma cirurgia no fêmur, que será feita por veterinários do Centro de Triagem e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). A intervenção ocorrerá no início da próxima semana. O Cetas Tangará, no bairro da Guabiraba, Recife, é o local de destinação de animais silvestres recolhidos em ações de resgate e apreensão, além de receber entregas voluntárias. Lá, os animais são tratados, reabilitados e preparados para serem reintroduzidos à natureza.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação / Cprh

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.