Festival Rosa dos Ventres celebra protagonismo feminino e repudia violência de gênero

Seu nome era Julieta Inês Hernández Martinez. Ela viajava de bicicleta pela região Norte, quando foi brutalmente assassinada no estado do Amazonas, em um crime que chocou a comunidade local e países vizinhos. Venezuelana e apaixonada pelo Brasil era internacionalmente conhecida como  “Palhaça  Miss Jujuba”. A também ciclista integrava o projeto “Pé Vermêi”, com o qual botava o pé na estrada, para divulgar a sua arte. Jujuba é a grande homenageada da 4ª edição do Festival de Teatro Rosa dos Ventres, que tem como tema central “Mulher, Corpo, Território: Julieta presente!”. O evento acontece entre os dias 1 e 22 de março, e integra os festejos do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 11 de março. E vá se programando, porque espetáculo é o que não vai faltar, como o da foto acima.

O Festival  pretende amplificar o combate a todas as formas de violência e reforçar a luta pela equidade de gênero. A programação é descentralizada, pois acontece em quatro cidades do interior e em três da Região Metropolitana. O Rosa dos Ventres vai marcar presença em Vicência (Zona da Mata); Pesqueira e Caruaru (Agreste); e Arcoverde (Sertão). No Grande Recife, a agenda inclui a capital pernambucana, Camaragibe e Olinda. Haverá performances artísticas, sessões de audiovisual, espetáculos teatrais, debates e oficinas. Os ingressos para os espetáculos em teatros fechados têm valor único de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).Pessoas trans têm acesso livre. O festival tem incentivo do Funcultura-PE.

As divertidas palhaças do Coletivo “Violetas da Aurora” estão na programação Rosa dos Ventres

O Rosa dos Ventres tem idealização da atriz, diretora de teatro e psicóloga Hilda Torres, com realização do Grupo Cria do Palco, do qual é fundadora. Rosa dos Ventres tem o propósito de alertar e de acolher as mulheres diversas (trans, cis, plurais, de todas as formas e idades), jogando luz no protagonismo das artistas e reconhecendo a arte como um importante instrumento de disseminação de mensagens, conhecimento, educação, libertação e fortalecimento do ser mulher em sociedade. O Rosa dos Ventres tem programação  que dialoga com as campanhas contra a violência de gênero, tão vigente ainda no Brasil em pleno século 21. Reforça Hilda Torres, atriz, psicóloga e idealizadora do festival:

Enfrentar e avançar contra as estruturas opressoras, construídas através dos séculos, é um grande desafio, mas precisa ser uma ação contínua e coletiva, sempre com o compromisso da reparação histórica, compreendendo os processos em tempo e espaço, mas com posicionamentos firmes. O palco também é lugar de voz e fala, de visibilidade e protagonismo para todas nós mulheres”.

A abertura da 4ª edição do Festival de Teatro Rosa dos Ventres acontecerá na sexta-feira, 1° de março, com as performances artísticas e políticas “A cada 2h uma mulher reage – Julieta presente!”. As apresentações compostas exclusivamente por mulheres acontecerão a cada duas horas em uma cidade distinta de Pernambuco, começando às 11h em Arcoverde (Sertão) com a performance “Cadê minhas irmãs?”, da artista Gabi Benedita. Às 13h , é a vez do assentamento Normandia/MST em Caruaru (Agreste), com a performance “Mulheres da Terra”. Às 15h em Vicência (Zona da Mata), com a performance “JuvenDance”.

Contra a gordofobia e outras formas de discriminação, “Corpus Diversus” faz não desfile na Pracinha do Diário

A partir das 16h, é a vez do Recife,  na Praça da Independência, conhecida como Praça do Diário, onde haverá as  performances “Mãe Cabelo, Filha Cabelo”, de Agri Melo e Helô Melo; “Renascer da Dança”, de Nina Souza e Companhia; “Eje Ara Okan”, de Artia Lauandah com direção de Sophia Williams; “Abandonadas”, de Aline Sou, Violetas da Aurora. E ainda “Marcas”, de Chell Morim, além do desfile “Corpus Diversus, mulheres gordas – Não será sobre uma grife de roupas!”  Haverá lançamento do Manifesto escrito por Cida Pedrosa e Clareana Arôxa. Entre as performances de abertura, o grupo fará uma reverência às mulheres profissionais do sexo e às mulheres imigrantes na Praça do Diário. Encerrando o dia, às 18h, no mesmo local, acontecerá o momento especial de homenagem a Julieta Inês Hernández Martinez, a “Palhaça Jujuba”, com a palhaçaria feminista.  Ao longo do Festival, o #OxeRecife irá soltando a programação do dia.

Leia também
Mulheres ganham ruas e palcos na mostra teatral Rosa dos Ventres
Rosa dos Ventres no Casarão Magiluth: teatro, dança, palhaçaria
Medusa, Musa, Mulher: Texto de Cida Pedrosa com Fabiana Pirro no palco
Marsenal: Violetas da Aurora levam palhacinhas dos brega ao Bar Teatro Mamulengo
Corpus Diversus leva à passarela 20 modelos com padrões G e etnias diversas
Recordança faz residência artística e, depois, apresentações gratuitas em Chão de Estrelas
Acervo Recordança pesquisa memória da dança em Pernambuco
Acervo RecorDança mapeia profissionais da dança com algum tipo de deficiência
Movimento Armorial: Livro, poeira sagrado e festa, os 25 anos do Grupo Grial
O frevo inclusivo de Werison
“O ser humano encantado do frevo”
Renata Tarub: dança e inclusão social
Grupo Totem faz noite de performances no Centro Luiz Freire
Artistas desafiam a segurança e fazem espetáculo noturno no Parque Treze de Maio
Sopro d´água: Que tal lembrar o dia da água assistindo um espetáculo de dança?
Coletiva Mãe Artista faz seminário sobre maternagem
Itacuruba, Cabrobó e Limoeiro ganham paisagens oníricas ao ladodo Velho Chico e do Capibaribe
Coletivo Lugar Comum transfere espetáculo “Segunda Pele” do palco para o mundo virtual
Coletivo Lugar Comum leva Cicatriz ao Teatro Hermilo Borba Filho

Corpo Ritual: Grupo Totem comemora 35 anos abrindo inscrições para oficina gratuita
Mulheres  ganham ruas e palcos com Mostra Teatral Rosa dos Ventres
Corpo Onírico junta sonho e natureza
Acervo e memória da dança em Pernambuco
O resgate do corpo ancestral
Entranhas e estranhas marcas: Dança, fêmeas, cicatrizes
Mostra de dança acaba com três espetáculos no Santa Isabel
Conceição em Nós: Dança retrata Morro
Capoeira vira patrimônio cultural e imaterial de Pernambuco
Mostra de dança tem DNA do frevo
Relacionamento abusivo vira espetáculo de dança “Eu Mulher”
Quando a dor do câncer vira dança
Dança sobre vida depois da morte
História de Brasília Teimosa vira dança
Entra apulso no palco: “Pode entrar”
Noite flamenca na terra do frevo
Quadrilhas ganham palcos
Chico Science redivivo
O homem de mola do Guerreiros do Passo
Jornada virtual, a dança da pandemia
Violetas da Aurora em movimento
Maracatu rural: as mulheres guerreiras
A única mestra de maracatu
Capiba, o gênio da música ganha espetáculo em sete ritmos
Cecília Brennand festeja mais um acerto do Aria Social com homenagem a Capiba
Capiba: Pelas ruas eu vou volta ao palco do Teatro Santa Isabel
Depois de arrebatar 75 prêmios, A Cor Púrpura faz temporada no Teatro do Parque
Mulheres viram atrizes ao levar peripécias da vida real para o palco

SERVIÇO – 4° FESTIVAL DE TEATRO ROSA DOS VENTRES:
Datas: 
1° a 22 de março de 2024
Mais informações: 
Instagram @festivalrosadosventres
Ingressos para espetáculos em teatros: 
R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia-entrada) – pessoas trans têm acesso livre.

PROGRAMAÇÃO da Sexta-feira, 1/3 *
Performances de abertura “A cada 2h uma mulher reage – Julieta presente!”:
Data: 01/03/2024 (sexta-feira)
Local: cidades da RMR e interior de Pernambuco
Horários: 11h às 19h
11h – Cadê minhas irmãs? – Gabi Benedita (Arcoverde, Sertão)
13h – Mulheres da Terra – Normandia/MST (Caruaru)
15h – JuvenDance (Vicência)
16h (Praça do Diario/Recife) –  Mãe Cabelo, Filha Cabelo – Agri Melo e Helô Melo; Renascer da Dança – Nina Souza e Companhia; Eje Ara Okan – Artia Lauandah; Abandonadas – Aline Sou; Marcas – Chell Morim; Palhaçaria do Coletivo Violetas da Aurora;  Desfile “Corpus Diversus, mulheres gordas – Não será sobre uma grife de roupas!“; lançamento do Manifesto escrito por Cida Pedrosa e Clareana Arôxa; lançamento do vídeo do festival e homenagens; reverência às mulheres imigrantes; reverência às profissionais do sexo; e palhaçaria feminista em homenagem a Julieta.
18h – Homenagem a Julieta Hernández e às imigrantes.
*Ao longo dos próximos dias o #OxeRecife vai divulgando a programação do Festival de Teatro Rosa dos Ventres

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos:Divulgação e Acervo #OxeRecife

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.