Fenelivro termina nesse domingo com Slam das Minas e discussão sobre literatura LGBTQIAP+

Domingo (25/9) de sol e dia do encerramento da sexta edição da Fenelivro (Feira Nordestina do Livro), que ainda pode ser visitada a partir das 9h, na Avenida Rio Branco, no Bairro do Recife Antigo. Foram cinco dias de presença de escritores de vários estados, saraus, música, teatro, cinema, artes visuais. Ou seja, um banho de cultura para ninguém botar defeito. O acesso às atrações da feira é grátis, mas quem quiser pode comprar um livrinho em uma das barracas de 25 editoras que participam da festa. Hoje  há opções divertidas para crianças e adultos.  Destaque para o Coletivo Teatro de Retalhos (foto abaixo), que veio de Arcoverde com uma proposta interessante para divertir e instruir a meninada.

Coletivo Teatro de Retalhos adaptou clássicos adultos para o público infantil e marca presença até hoje na Fenelivro.

De manhã e à tarde, aliás, como ocorre desde o início da Feira, há atividades para a garotada.  Um lembrete para a encenação “Histórias do Velho Saco” (foto superior, abrindo o post), às 10h, com a Companhia Meias Palvras. Outra iniciativa interessante para a garotada parte do Coletivo Teatro de Retalhos, que trouxe clássicos da literatura adulta adaptados para o público infantil (ver na programação). Às 16h, tem bate-papo com Clara Alves (RJ), sobre “Experiência social e trajetória Literária“, com mediação de Gianni Gianni (PE), editora assistente da Cepe.   “Desde que me entendi como mulher bissexual, o foco da minha produção literária passou a ser o protagonismo LGBTQIAP+”, diz Clara.

“Eu demorei muito a me entender e me aceitar, justamente por essa invisibilidade com que crescemos. As histórias que eu lia nunca eram sobre mim”, acrescenta a autora, que tem 28 anos. A performance do coletivo Slam das Minas de Pernambuco é uma boa pedida para o domingo , às 19h, quando oito mulheres negras estarão juntas para recitar poesias autorais sobre resistência e ancestralidade. “A poesia feita a partir da nossa vivência é uma característica do nosso grupo”, destaca Amanda Timóteo, poeta e uma das organizadoras do coletivo.

Slam das Minas  forma a nova cara da poesia oral no Recife. Elas estão na programação de domingo da Fenelivro

A 6ª Fenelivro é uma das sete feiras que a Companhia Editora de Pernambuco promoverá dentro do circuito cultural até o fim deste ano. O calendário prevê ainda a II Feira Literária de Goiana (Fligo), em outubro; a IV Feira Literária do Sertão (Felis), a II Feira da Poesia do Pajeú e a Feira Miol(o)s Olinda, em novembro; a IV Feira da Literatura Infantojuvenil (Flitin) e  a I Feira Literária de Vitória de Santo Antão, ambas em dezembro. O circuito é uma iniciativa da Cepe, com curadoria da Fundação Gilberto Freyre, e tem como parceiros prefeituras municipais e a Secretaria de Cultura do Estado/Fundarpe.

Leia também
Poesia oral tem nova cara
Sarau das Lobas e Minas no Mamam
O sequestro da Independência
Todos os livros do mundo: Homero Fonseca conta a história da Livro 7
Ragu 8: Documento histórico em HQ
Você tem fome de quê? De livros
Caixa de leitura já está nas ruas
Mediadores de leitura são pontos de luz
Compre um livro e ganhe três cordéis
Pandemia: livros para ficar em casa
Leia de graça A Emparedada da Rua Nova
Biblioteca móvel: 32 mil leitores
Ajude a quem precisa e ganhe um livro
Clube de Leitura: livros com desconto
Flores e livros para curtir o Dia dos Namorados
Biblioteca móvel: 32 mil leitores
Ação do Sesc já trocou 60 mil livros
Livro revela segredo da guerrilha
História: Revolução de 1930 e três homens que se chamavam João
Sessão Recife Nostalgia: Os banhos noturnos de rio no Poço da Panela
O ano de Cida Pedrosa: escritora premiada, feminista  e vereadora
Livro sobre Clarice Lispector: “O que escrevo continua”
Raul Lody revisita Gilberto Freyre
Comida e tradição no Museu do Estado
“João Cabral não é um iluminado, mas um iluminador”
Pandemia não inibe produção de livros. Vem até um sobre o Zepellin
De Yaá a “Penélope Africana”
Carta  para Clarice Lispector
Centenário de Paulo Freire tem livros com desconto
“Enterrem meu coração na curva do rio”
Flores e livros para curtir o Dia dos Namorados
“Eu amo ler” no Patteo
“Eu amo ler” movimenta shoppings do Recife e Jaboatão
Pandemia: livros para ficar em casa
Biblioteca móvel: 32 mil leitores
Ação do Sesc já trocou 60 mil livros
Pandemia:: Plaza Shopping tem feira de livros a R$ 5
A menina que salvava livros
A incrível máquina de livros no Recife

Serviço
Evento: Fenelivro (Feira Nordestina do Livro)
Onde: Avenida Rio Branco, no bairro do Recife Antigo
Quando: 21 (quarta) a 25 (domingo) de setembro
Horário: a partir das 9h
Quanto: acesso livre e gratuito

Porgramação
9h – Contação de Histórias / Arena: Achados e perdidos, de Rafael Nolli, com Lili
9h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro: Dom Casmurro, para quem gosta de dar murro em ponta de faca. (9’36”), do Coletivo Teatro de Retalhos
10h – Espetáculo Infantil / Palco: Histórias do velho do saco, com Luciano Pontes da Cia Meias Palavras
11h – Oficina / Tenda: Entorninho: a pintura da Cidade, com Emerson Pontes
11h – Videoteatro / Cine Fenelivro: Dom Casmurro, para quem gosta de dar murro em ponta de faca. (9’36”), do Coletivo Teatro de Retalhos
14h – Contação de Histórias / Arena: Achados e perdidos, de Rafael Nolli, com Lili
14h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro: Dom Casmurro, para quem gosta de dar murro em ponta de faca. (9’36”), do Coletivo Teatro de Retalhos
15h – Oficina / Tenda: Grafitte, com Larone
15h – Lançamento / Arena: Bicho Geográfico, de Bernardo Brayner. Apresentação de Wellington de Melo
15h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro: Dom Casmurro, para quem gosta de dar murro em ponta de faca. (9’36”), do Coletivo Teatro de Retalhos
16h – Oficina / Cine Fenelivro: Desenho artístico, Mariana Nicoleli da Escola VIU CINE de Criatividade
16h – Bate-papo / Palco: Experiência social e trajetória literária. Com Clara Alves (RJ). Mediação de Gianni Gianni (PE)
17h – Lançamento Infantojuvenil / Arena: A Festa da Cabeça (Arole Cultural, 2022), de Kemla Baptista
18h – Espetáculo Infantil / Palco: Bandalelê
19h – Sarau / Arena: Resistência e Ancestralidade, com o Slam das Minas de Pernambuco

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação / Fenelivro / Cepe / Acervo #OxeRecife

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.