Famoso pela sua genialidade musical, Juliano Holanda estreia na Literatura

O  pernambucano Juliano Holanda é conhecido pela sua genialidade na área musical. Compositor com mais de quatrocentas canções gravadas, é também instrumentista, produtor e diretor musical com realizações no teatro, no cinema e na televisão. Seu trabalho  é amplificado por vozes consagradas como as de Simone, Fagner, Zélia Duncan, Elba Ramalho, Filipe Catto e Amelinha.

Ele nasceu em 1977, na cidade de Goiana, Zona da Mata Norte, e que fica a 60 quilômetros do Recife. E alcançou visibilidade nacional ao compor a elogiada trilha musical para a série Amorteamo, de João Falcão, na TV Globo. Seu ofício na música sempre teve a palavra como ponto de partida, e não surpreende que ele esteja agora traçando outros caminhos com o seu uso.

Músico, Juliano de Holanda lança no sábado seu primeiro livro: estreia na Literatura com pocket show

É que no próximo sábado (6/7), o artista estreia na Literatura com o lançamento do livro de poemas “Outras armadilhas desejáveis”, que ocorre a partir das 16h, na Livraria Jardim, que fica na Avenida Manoel Borba, 222, na Boa Vista. A publicação é da Maralto Edições, e a obra estará disponível em edição física e digital a partir de então. O orelha é da cantora Zélia Duncan. Ele compara a produção de uma canção com a de um poema:

 “Uma canção geralmente surge de um suporte harmônico/melódico. É possível escrever uma letra puramente para canção, mas daí há um certo acento rítmico específico e uma tendência formal para que a canção soe desenhada”, explica o autor. “Um poema não carece necessariamente de nenhuma amarra. E pode até se servir das mesmas artimanhas da letra de uma música, porém também está livre para não se servir. Para mim, no ato da escrita o próprio texto vai se encaminhando para uma coisa ou outra. É uma manobra sutil.”

Os poemas falam sobre temas diversos, que podem ter inspiração no ambiente dos ancestrais do autor, em um post na Internet e mesmo em reflexões. Em  “Horas”, os versos transportam o leitor para a casa da avó de Holanda. “Arqueologia” fala de um post de rede social,  que talvez seja uma montagem malfeita, ou uma mentira propagada. Mas que também pode ser a mais absoluta verdade.  “Em tese” usa um jeito simples para dizer algo complexo. “Cultura de massas /   é um espelho bonito / que ninguém desembaça / Cultura mesmo / É o que fica na beira / Depois que a onda passa”.

Nos links abaixo, você confere mais informações sobre outros autores pernambucanos

Leia também
Hugo Dubeux lança livro discutindo “O homem selvagem e a masculinidade”
Fred Caju lança livro de poemas no Rio: Bívio
Sísifo, Íxion, Narciso e Erato, de Marcus Accioly, são lançados
O ano de Cida Pedrosa: escritora premiada, feminista e vereadora
Clarice Lispector: “O que escrevo continua”
Vida de Clarice Lispector ganha versão em HQ
A solidão e o seu corpo do poeta José Mário Rodrigues ganha versão musical
Alexsandro Souto Maior lança o livro “Paraíso e seus destroços”, no Furduço
Bívio: Fred Caju lança livro de poemas no Rio de Janeiro
Saudoso poeta Miró agora é fashion
Miró: Encantamento, saudade e inéditos
Miró da Muribeca ganha campanha Leia Miró
Academia convida Miró da Muribeca para debate
Recife: “Pontes e fontes da miséria”
Festival A Letra e a Voz se rende a Miró
Miró estreia livro infantil: Atchim
Ação solidária para Miró da Muribeca

Histórias cotidianas da Literatura brasileira: escritores são humanos
Sísifo, Íxion, Narciso e Erato de Marcos Acioly são lançados no Museu do Estado
João Cabral não é um iluminado é um iluminador
Carlos Pena Filho: Desejos presos na APL
Carlos Pena Filho: trinta copos de chope
Carlos Pena Filho: “são trinta copos de chope” e memórias no Museu do Estado
Fenelivro tem Slam das Minas
Festival a Letra e a Voz se rende a Miró
Saudoso Miró agora é fashion
Pandemia não inibe produção de livros. Vem até um sobre o Zepellin
De Yaá a “Penélope Africana”
Carta  para Clarice Lispector
Centenário de Osman Lins:  Revista Pernambuco traz dossiê sobre autor
Vitória de Santo Antão comemora o centenário de Osman 
Homenagem a  “Osman Lins, O Visitante das Palavras” prossegue na Unicap
Retábulo de Santa Joana Carolina, de Osman Lins, vai virar filme
Centenário de Osman Lins começa a ser comemorado
Alunos da rede estadual fazem emocionante homenagem a Osman
Vitória: o teatro de Osman Lins em cena
Teatro de Osman Lins em discussão
Ditadura: a dificuldade dos escritores
Santa Isabel tem Problemas Inculturais
Cartas inéditas entre Osman Lins e Hermilo chegam ao palco

Marcha Fúnebre de Osman Lins tem exibição no Arquivo Público

O mergulho  na obra de Osman Lins

Serviço:
Lançamento do livro de poemas “Outras armadilhas desejáveis”
Autor: Juliano Holanda
Quando: Sábado, 06/07/2024
Horário: 16h
Onde: Livraria do Jardim
Endereço: Av: Manoel Borba, 292. Boa Vista. Recife – PE

Preço: R$ 59,90
Haverá pocket show: 06/07/2024 às 16h

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Beto Figueiroa / Divulgação

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.