Equipe de Escada é a única de Pernambuco em Torneio de Robótica

Olhem aí a meninada da terra do pintor Cícero Dias (1907 – 2003) fazendo bonito. A garotada que estuda no Sesi da cidade onde nasceu o artista será a única equipe pernambucana a participar do Torneio Internacional de Robótica, que em 2022 acontecerá no Rio de Janeiro, no início de agosto. Moradores de Escada – localizada a 67 quilômetros do Recife – eles desenvolveram meios de evitar perdas no transporte de cana dos engenhos para as usinas. É que o município fica na Zona da Mata, onde se concentra a agroindústria açucareira de Pernambuco.

O grupo é formado por Victor de Lima Melo, Eduardo Oliveira da Silva, Heitor Henrique Silva da Rocha, Késia Hellen Silva de Barros Santana, Yasmim Nicole Lima da Silva e Isabelle Camilly da Silva Nery. Cerca de cem equipes vão disputar o Open (torneio aberto) na categoria FLL. Destas, 30 são brasileiras, justamente as que tiveram maior pontuação nas categorias avaliadas na fase nacional do torneio. A competição coloca a criatividade e o espírito de equipe de jovens à prova para construir robôs autônomos com peças de LEGO, modalidade FIRST LEGO League (FLL). Nessa modalidade, equipes de até 10 estudantes desenvolvem um robô e passam por um processo de avaliação baseado em quatro categorias: Projeto de Inovação, Design do Robô, Desafio de Mesa (na qual o robô deve cumprir missões em uma mesa) e Core Values – valores fundamentais que despertam nos alunos a capacidade de trabalhar em equipe, desempenhando diferentes funções e desenvolvendo múltiplas habilidades e competências para o mercado de trabalho.

Equipe de robótica quer reduzir perdas no transporte de cana na Zona da Mata de Pernambuco.

Composta por aqueles seis alunos, a equipe Unity identificou que a queda da cana de açúcar dos caminhões durante o trajeto campo-usina pode representar uma perda de 5% da carga total, gerando prejuízo para as empresas. Pensando nisso, a equipe pernambucana desenvolveu um equipamento que funciona a partir de duas estruturas com redes que ficam localizadas nas laterais dos caminhões e realizam um movimento para cobrir a carroceria, diminuindo o risco de perda do produto. Kesia Hellen, de 15 anos, participa desta competição de Robótica pela primeira vez. Ela conta que, após passar pelas etapas regional e nacional, a confiança do grupo foi crescendo. “Levar o nome da nossa equipe para fora de Pernambuco e concorrer com times de fora me enche de gratidão”

A garotada conta com a orientação dos técnicos Mônica Mendonça e Diogo Monteiro. A professora diz que, além da preparação de idioma, uma vez que, para o Torneio Internacional de Robótica, a apresentação terá que ser feita toda em inglês, os estudantes estão ajustando e procurando melhorar alguns pontos, como a ampliação do projeto de inovação. “Nosso projeto é voltado para a carga de cana de açúcar, mas nossa pretensão para o Internacional é fazer com que nosso mecanismo também seja aplicável a outros produtos. Por isso, estamos analisando e estudando como o transporte de cargas funciona nacional e internacionalmente”, detalham os estudantes.

Leia também
Fred Ramos, herói da escola pública
Cecília: Prêmio, poesia e pandemia
Cinco equipes pernambucanas na final do Festival Sesi de Robótica 2021
Tecnologia para resgate de cultura ancestral
“Nascente protegida é água garantida”
Trabalho escolar sobre vacina  faz sucesso em tempos de Covid-19
Mata destruída vira trabalho escolar
Estudante de escola pública mostra trabalho sobre sururu em Londres
Matemática: 28 alunos premiados
Robótica: rede pública em destaque
Você tem fome de quê? De livros
A volta das cartas e dos postais
Robótica leva estudantes à Hungria
Estudante de escola pública mostra trabalho sobre sururu em Londres
Rede pública: a vez da robótica 
Escola pública representada no Peru
Alunos “derrubam” 70.000 concorrentes
Estudantes de Escola Pública embarcam para Nova Iorque (Genius Olympiad)
Alunos de escola estadual em Bezerros desenvolvem aplicativo para Fenearte
Alunos fazem aplicativo para Fenearte 
Drama da Paixão: aplicativo para turistas
São João: estudantes criam aplicativo
Na contramão do governo Bolsonaro
Criança Alfabetizada: destaque na educação dará prêmio a prefeitos
Os idiotas úteis e o idiota inútil
Pet vira barreira para reter lixo em canal

Alunos lançam livro na Bienal
Mustardinha: Ecobarreira vai ao Paraguai
Jardim do Baobá: Ribe do Capibaribe
Os pequenos escritores do Recife
Livros artesanais são destaque em escolas públicas do Recife
Alunos fazem livros sobre 20 bairros
Livro em quadrinhos sobre Santo Amaro
Você tem fome de quê? De livros
Mensagens positivas em muro de escola
Criança Alfabetizada: destaque na educação dará prêmio a prefeitos
Os idiotas úteis e o idiota inútil
Artur é professor nota mil
Mirtes professora nota dez
A menina que salvava livros

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Sesi / Divulgação e Genival  Paparazzi / Foto do leitor

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.