Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha tem “lives” no Recife

 Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha tem “lives” no Recife

Compartilhe nas redes sociais…

Hoje é Dia da Mulher Negra, Latino Americana e Caribenha e também da Agricultura Familiar. Com a pandemia, as comemorações ao vivo estão suspensas, mas o que não falta é live sobre o assunto.  Na última quinta-feira, houve uma de lançamento da campanha #EuVotoEmNegra.  E uma outra acontece exatamente nesse sábado (25/07), às 15h, reunindo um timaço de mulheres para Roda de Diálogo sobre Cuidados nos Territórios.

Serão compartilhadas histórias de resistência de mulheres que “tecem suas vidas na trilha dos cuidados com outras mulheres, comunidades e populações”. A live aborda “resgate, partilha, registro de memória e celebração da luta feminista e antirracista,  e da luta pela comunidade de verdade, no campo e na cidade”. Participam: Vera Baroni, ativista negra pelos Direitos Humanos, advogada sanitarista e Iyagbasse do Ilê Olá Aganjú Okoloyá; Rosana Bevenuto, agente da Comissão Pastoral da Terra e integrante do Fórum de Mulheres do Pajeú; Maria D´Oliveira, sertaneja, economista, educadora e sertaneja dos Cariris Velhos.

Para participar entre no link https://meet.google.com/irb-hpxm-nku (computador). No celular, é preciso baixar o aplicativo no PlayStore. Felizmente, nesta semana têm sido muitas as manifestações ou eventos para comemorar o Dia da Mulher Negra, Latino Americana e Caribenha. Na última quinta-feira, foi deflagrada a campanha #EuVotoEmNegra (foto maior) não só no Recife mas em várias cidades brasileiras. Também tem live às 19h desse sábado, promovido pela Rede de Mulheres Negras do Nordeste. Participam  Rosa Marques, Amanda Pereira e Nilma Bentes. O assunto: Mulheres Negras e Bem Viver.

Leia também:
Mulheres à Luta: #EuVotoEmNegra
Árvore do Esquecimento é lembrada em coletânea sobre a Diáspora
Uana Mahim: Sou preta, negra e fera
Blue Jeans: “Negro em cada canto” mostra presença afro nas Américas
Show sobre a África percorre o Nordeste
O ser negro do pássaro mensageiro
A herança afro na música brasileira 
Som de Cabo Verde no Poço das Artes
Terça Negra vira livro sobre cultura afro
Trio expert em baobá a árvore da vida
Dança para Iansã em Santo Amaro
Movimento Negro e Travessia
Inaldete Pinheiro ganha homenagem
Cultura negra valorizada na escola
Contra as práticas de braqueamento
Moda “Preto Soul: Viva a negritudee!
O resgate do corpo ancestral
Navio alemão acusado de racismo
Erê Mukunã: beleza e negritude
Joana, a única mestra de maracatu
Nação Xambá, 88 anos de resistência
De Yaá a Penólope africana
Canibal: devotos, rock, punk e livro
Cantos da África no Poço das Artes
Sangue Negro e boa música
Trio percussivo no Sesc Casa Amarela
Cultura indígena no Sonora Brasil
Ebomi Cici é um patrimônio vivo
A sabedoria ancestral da griô Vó Cici
Ebomi Cici fala sobre os orixás e experiência com Pierre Verger
História: Telhas feitas nas coxas, verdade ou mito?
Qual foi mal  que lhe fez Yemanjá?

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Emanuele Castro/ Divulgação

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.