Data Magna motiva discussão: O feriado estadual de 6 de março deveria ser nacional, você concorda?

No feriado em que se comemora a Data Magna de Pernambuco, nada como lembrar que é tempo de homenagear, também, aqueles que foram considerados subversivos no século 19, mas que agora são reverenciados como heróis. Entre eles: Joaquim da Silva Rabelo, depois Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo, mais conhecido entre nós como Frei Caneca. Dia para lembrar, ainda, Domingos José Martins, Padre João Ribeiro, Cruz Cabugá, José de Barros Lima (o Leão Coroado). Eles se transformaram em personagens dos livros de história, e hoje são nomes de ruas, avenidas, até hospitais. Foram líderes da Revolução de 1817, também chamada de Revolução Pernambucana, tido como o levante mais bem sucedido do período colonial, pois conseguiu transformar a capitania pernambucana em nação independente da Coroa Portuguesa por mais de 70 dias. O que contaminou estados vizinhos, como Rio Grande do Norte e Paraíba.

A data é feriado no Estado desde junho de 2017, quando a Assembleia Legislativa instituiu a Lei Estadual 16.059, por proposta da então deputada estadual Terezinha Nunes, para quem o feriado deveria ser nacional. “A Revolução de 1817 foi a única em que se conseguiu consumar a nossa independência. É mais importante do que a Inconfidência Mineira, que foi abortada devido a uma delação”, diz. O Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco (foto abaixo) tem no seu acervo a espada com a qual Leão Coroado, militar que golpeou o Comandante Português Barbosa de Castro, fato que serviu de estopim para a Revolução.

O Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco guarda a espada do Leão Coroado

Transformaram-se em personagens dos livros de história, e hoje são nomes de ruas, avenidas, até hospitais. Eles foram líderes da Revolução de 1817, também chamada de Revolução Pernambucana, tido como o levante mais bem sucedido do período colonial, pois conseguiu transformar a capitania pernambucana em nação independente da Coroa Portuguesa por mais de 70 dias. O que contaminou estados vizinhos, como Rio Grande do Norte e Paraíba. A data é feriado no Estado desde junho de 2017, quando a Assembleia Legislativa instituiu a Lei Estadual 16.059, por proposta da então deputada estadual Terezinha Nunes, para quem o feriado deveria ser nacional. “A Revolução de 1817 foi a única em que conseguiu consumar a nossa independência. É mais importante do que a Inconfidência Mineira, que foi abortada devido a uma delação”, diz.

Para assinalar a data histórica, a Governadora Raquel Lyra fez cerimônia em frente ao Palácio do Campo das Princesas. “Pernambuco demonstra a importância de uma reflexão sobre o papel histórico do Estado na luta pela democracia do Brasil e o quanto a gente ainda precisa avançar por mais liberdade, por mais democracia e por mais justiça social. A Revolução de 1817 precedeu a nossa liberdade, a nossa independência e, aqui no nosso Estado, temos o dever e a missão, com o nosso time de Governo, de promover cada vez mais ações e políticas públicas que possam garantir mais igualdade social”, destacou a governadora Raquel Lyra.

“Hoje comemoramos a Data Magna de Pernambuco, a data que representa a Revolução de 1817, revolução que fez de nosso Estado um país e uma república. Essa é uma revolução que faz parte de nossa construção histórica e cidadã e que representa os valores democráticos e libertários que defendemos até hoje” complementou a vice-governadora Priscila Krause. Com presença de autoridades civis e militares, foi realizado o hasteamento das bandeiras do Brasil, de Pernambuco e da Insígnia do Governo.

Ainda na solenidade, as gestoras participaram da aposição de flores no monumento em memória aos heróis da revolução. Por último, aconteceu o desfile da guarda de honra em continência à governadora, com as tropas da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e representantes da maçonaria. A governadora aproveitou a solenidade para realizar a entrega simbólica das chaves de 120 motos para representantes de segurança pública, de um total de 170 unidades, 50 das quais já entregues. Segundo Raquel, o  aumento de frotas em sua gestão já cresceu 65% em relação à gestão anterior,

Leia também
Caminhadas Domingueiras: Passeio seguindo o roteiro da Revolução de 1817
Revolução de 1817, “subversão” que virou orgulho dos pernambucanos
Paulo Santos: Frenesi absolutista do Brasil e a pole position de Pernambuco
O lado musical da Revolução de 1817
Entre o amor e a Revolução
Livro  mostra mania pernambucana de grandeza
Muito linda, a versão musical da Revolução de 1817
Libertário, Frei Caneca é lembrado
Museu e Frei Caneca na ordem do dia
Revolução de 1817 no Olha! Recife
Mais venerada do que a do Brasil, Bandeira de Pernambuco tem nota técnica
História da Revolução de 30 e a tragédia de três homens chamados João

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Miva Filho /Secom

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.