“Das Águas” concorre com 4.500 inscritos e é selecionado para o Festival Curta Cinema, no Rio de Janeiro

O curta “Das Águas”, de Adalberto Oliveira e Tiago Martins Rego, é o representante de Pernambuco no Festival Curta Cinema, que ocorre entre os dias 17 e 24 de abril, no Rio de Janeiro.  Nada menos de 4.500 filmes se inscreveram para a 33ª edição do evento, sendo que cerca de 130 (já consagrados em festivais de Cannes, Locarno e Berlim) foram selecionados, e serão gratuitamente exibidos durante o evento.

A produção mostra o cotidiano de mulheres e homens que vivem da pesca no rio Capibaribe, no Recife. O curta tem como objetivo fazer um recorte do espaço-tempo na história da cidade e aborda questões ambientais, as dificuldades para manter a tradição da pesca diante da degradação do Rio, os sonhos, as lutas e a relação dessas pessoas com as águas do Capibaribe, que é parte fundamental de sua identidade cultural.

Esta edição do Curta Cinema também contará com o Prêmio Canal Brasil de Curtas que, desde 1998 é realizado nos principais festivais de cinema do país, com júris compostos por jornalistas e críticos de cinema de todo o Brasil. Os jurados escolhem o melhor curta em competição, que recebe R$15 mil e é exibido na programação do canal.   O Festival Curta Cinema tem direção geral do produtor Ailton Franco Jr.

A curadoria da 33ª edição ficou a cargo de Gustavo Duarte, Karen Black, Marina Pessanha, Lucas Murari, Cristiana Giustino, Duda Leite e Carolina Alves, com a colaboração de Matheus Fortuna e sob coordenação de Paulo Roberto Jr. O Curta Cinema é um Festival que qualifica os ganhadores do Grande Prêmio da Competição Nacional e Internacional a pleitearem uma indicação ao Oscar, premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos da América. Além da exibição de filmes, o Festival também promove workshops, palestras e debates.

Leia também
Caruaru: Começa em abril o AZsex Festival de Artes e Sexualidade Humana
“Sem coração”, de Nara Normande e Tião estreia na abertura do Janela no Parque
“Sem Coração”, de Nara Normande vira unanimidade no Festival de Cinema de Veneza
Até novembro, Teatro do Parque terá nove sessões de Retratos Fantasma
Retratos fantasmas começa a ser exibido no Recife.
“Retratos fantasmas”, de Kleber Mendonça, mostra o centro do Recife sem os seus cinemas
A denúncia e o apelo de Kleber Mendonça em defesa do Cinema São Luiz
Eryka Vasconcelos coleciona prêmios com filme sobre esquizofrenia
Le Ballon Rouge tem exibição gratuita no Parque de Santana
Sem Coração, de Nara Normande, vira unanimidade no Festival de Veneza
Sessão Recife Nostalgia: Cinema São Luiz, vitrais e festa como nos velhos tempos
Sessão Recife Nostalgia: Rua da Aurora, Sorveteria Gemba e Cinema São Luiz
Outras Palavras no Cinema São Luiz
Olha! Recife: Velhos cinemas e história
Festival Janela do Cinema no São Luiz
Escândalo da Mandioca no São Luiz
Meninos, balé e bullying no São Luiz
Escândalo da Mandioca no São Luiz
Sessão Recife Nostalgia:Afogados, história, cinelândia e Rozemblit 
Nota dez para o Recife que te quero ver
O Recife que te quero ver
Hans Von Manteuffel dedica fotopoema ao “Recife que te quero ver”
Sessão Nostalgia: Saudade dos cinemas de rua revivida em Fernando de Noronha
De volta ao “Quem  me quer”. Sabem o que é?
Relíquia do Sertão, Theatro Cinema Guarany ganha livro
Muito glamour  no CineFestival no Theatro Cinema Guarany
Theatro Cinema Guarany completa cem anos e volta a funcionar
Incluído entre os cem melhores filmes  brasileiros,Tatuagem ganha livro
Cotidiano de Água Fria, no Recife, vai a dois festivais de cinema
Cineclube ao ar livre em Apipucos
Farmácia viva e audiovisual: produção coletiva em Apipucos
Cineclubes: a conexão Brasil – Alemanha
Apipucos tem Movimenta Cineclubes: mudanças climáticas em discussão
Bairros ganham Movimenta Cineclube
Cineasta luta pela sede da Aurora Filmes
Cinema vai à escola e praça em Tabira
Cinema, rio e bicicleta em discussão
Esplendor e o cinema para cegos
A história do menino que processa os pais por o terem colocado no mundo
Muito bom “Uma casa à beira mar”
Filmes made in PE para ver em casa
Olha! Recife e Mamam : lendas urbanas
Filme “Recife Assombrado” chega ao Canal Brasil
Cine Olinda vai ser restaurado. E o resto?
Filme sobre esquizofrenia ganha prêmios
Luciano Torres ganha prêmio internacional: botija, beato e besta fera
Cinema: Túlio Beat, da Bacurau Cultural leva Botija à Itália e à Inglaterra
Cotidiano de Água Fria, no Recife, vai a dois festivais de cinema

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação

2 comments

  1. “Dás Águas”, sugestivo título do curta que vai representar o país de Pernambuco. Viva! Importante a visibilidade que o oxerecife dá a ele. Para mim, que sou fã de curtas e longas, enfim, de tudo o que rola nas “telonas”, a notícia é das melhores. E mais, Dás Águas vem no momento certo, vai se juntar a Baía, que conta a história dos que vivem das águas da Baía de Guanabra. E puxando a sardinha para o nosso lado, o nosso curta tem importância quiça maior, porque debruça-se sobre os que vivem dos nossos cães sem plumas – lembrando aqui o Cão Sem Plumas do nosso saudoso e renomado poeta, J. C. de Melo Neto. Com certeza, Dás Águas tem tudo para fazer sucesso. Obrigada pela reportagem, não sabia que um curta de temática tão nossa, irá nos representar.

  2. Mais uma dica muito interessante Letícia! Desde já vou ficar na torcida pelo nosso concorrente! Gosto muito dessa temática sobre o Rio Capibaribe, que é muito importante pra sobrevivência de muitas pessoas que tiram dele o seu sustento.
    Me lembrou um pouco o “Recife de Dentro Pra Fora” de Katia Mesel, de 1977, inspirado no poema de João Cabral de Melo Neto e sua vida no Capibaribe.
    Ainda não tive a oportunidade de ver o Das Águas, mas quero ver assim que der! Parabéns pelo texto!! 👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.