Com candidato a governador em baixa, proporcionais do PSB omitem o nome de Danilo

 Com candidato a governador em baixa, proporcionais do PSB omitem o nome de Danilo

Compartilhe nas redes sociais…

Em situação desfavorável nas pesquisas sobre intenção de voto, o candidato da situação à sucessão estadual, Danilo Cabral (PSB),  ainda tem que enfrentar a indiferença de correligionários que disputam eleições proporcionais. É que há quem esteja omitindo o nome do socialista da propaganda eleitoral de rua, principalmente nas bandeiras colocadas nas calçadas.  Na última pesquisa do Ipec (ex-Ibope) ele aparece com 11 por cento da preferência do eleitorado, 22 pontos abaixo da primeira colocada, Marília Arraes (Solidariedade).

Ou seja, o candidato do PSB tem um longo caminho a percorrer (em velocidade de Fórmula 1) para conquistar a “pole position”, a pouco mais de uma semana das eleições. Para quem já acompanhou de perto pleitos passados, a impressão que se tem é que só um fato novo pode reverter o quadro. Danilo está empatado com Raquel Lira (PSDB), Miguel Coelho (União Brasil)  e Anderson Ferreira (PL). Curiosamente, os quatro aparecem com 11 por cento das intenções de voto.  E tem aliado de Danilo que não está contribuindo para tornar o socialista mais popular.

Já há até postulante à Câmara dos Deputados distribuindo santinhos com “cola” – daqueles que a gente leva para se orientar diante da urna –  com o próprio número para votação, porém com espaço vazio quanto ao do candidato a governador. Pelo menos foi o que vi, na manhã de hoje, durante minha caminhada matinal. Alguns que  omitem o nome de Danilo são bem próximos do Palácio do Campo das Princesas e até já serviram a secretarias em governos do PSB. E, portanto, deveriam estar dando força ao candidato e não fomentando a diáspora, em momento tão difícil para o partido, que perdeu muita força no estado após a morte do ex-Governador Eduardo Campos (1965-2014).

Com candidato a governador em baixa, proporcionais do PSB omitem nome de Danilo Cabral na propaganda.

Um caso que chama muito a atenção é o do deputado federal Felipe Carreras (PSB), candidato à reeleição, que foi Secretário de Turismo do Recife e, depois, de Pernambuco. Na sua propaganda, espalhada em vários locais de grande movimento no Recife, como próximo ao Parque da Jaqueira, não se vê o nome do candidato majoritário. Ele apenas enaltece os próprios feitos: “o deputado dos esportes”, “o federal das ciclovias e das ciclofaixas” e também “da Academia Recife”. Outro que tem distribuído bandeiras amarelas sem que se veja a propaganda de Danilo é Waldemar Borges (PSB), que atuou nas gestões de Miguel Arraes (1916-2005) e de Eduardo Campos.  Wal, como é conhecido pelos eleitores, foi líder do governo  na Assembleia por três gestões (Eduardo Campos, João Lyra Neto e Paulo Câmara). Na época, Lyra integrava o mesmo grupo político de Campos com o qual romperia posteriormente.

Hoje, sua filha disputa a sucessão estadual pelo PSDB. Já Wal atuou como Secretário de Estado (Articulação Social) na gestão de Campos. Ele também é casado com Luciana Santos, Presidente Nacional do PC do B e vice na chapa encabeçada por Danilo Cabral. As bandeiras amarelas de Val espalhadas por vários bairros da Zona Norte não mostram o nome do candidato a governador, ao contrário do que ocorre com outras legendas políticas, cujos candidatos proporcionais se “sustentam” nas figuras que disputam o governo e a presidência. O candidato à reeleição pelo PSB, o deputado federal também ostenta bandeiras amarelas na rua, sem o nome de Danilo.   Irmão do Prefeito João Campos (PSB), Pedro Campos (PSB) tenta seu primeiro mandato federal, e a presença de sua propaganda é uma das mais fartas nas ruas do Recife. Porém os nomes da chapa majoritária só ficam visíveis quando o pedestre/ eleitor se aproxima muito  dos expositores colocados nas calçadas. Sei não, mas do jeito que a coisa está feia para o lado do PSB, o mínimo que os proporcionais deviam fazer era dar força a Danilo Cabral.  Mas a impressão que se tem é que alguns correm dele como o diabo da Cruz.

Leia também
Pedestre rejeita propaganda do PSB nas ruas e é confundido como eleitor de Bolsonaro
Sem Eduardo Campos nem Miguel Arraes, PSB adota estratégia do morto carregando o vivo
Na caça ao voto, candidatos precisam aprender a separar o que é público e o que é privado
Mulheres lideram corrida sucessória
Mais um petista morto por um bolsonarista
Mulheres lideram corrida sucessória para o governo e para o senado em Pernambuco
Eleições: Teatrinho em feira chega à Várzea
Eleições 2022: PSB ocupa as ruas com bandeiras mas caminho das urnas será difícil
Longe de caciques políticos, caciques indígenas formam coletivo para disputar mandato
Diante da ameaça das ameaças, Marina Silva anuncia apoio a Lula de quem se afastou em 2006
Simone Tebet tenta faturar em cima da polarização
Caetés, onde lula nasceu e tinha lombrigas ganha cistenas e água purificada com luz do sol
Humberto Costa coordena campanha de Lula no estado
Lula: Voltando porque tudo que a gente fez foi destruído
Lula faz alerta contra fake news
Lula passa dois dias em Pernambuco
Lula passa dois dias em Pernambuco
Cícero Belmar: Lula e os baobás eternos
Lula chega ao Nordeste, encontra políticos no Recife e amanhã vai ao MST
Lula aos 74, com “tesão de 20 para lutar contra a canalhada no Brasil”
Festival Lula Livre vira carnaval
Festival Lula Livre já começou
Ditadura e tortura pertencem ao passado. Estado de direito sempre.Viva a democracia
Ministério Público de Pernambuco quer acabar com Comboio da Alegria na Câmara dos Vereadores

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.