Região Metropolitana tem bom inverno mas seca preocupa no Agreste e no Sertão

Chuva no Recife, estiagem prolongada no Agreste e no Sertão.  O Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) reconheceu hoje a situação de emergência em mais três municípios de Pernambuco, devido à seca. São: Granito, Moreilândia e Vertente do Lério. Há alguns dias, Limoeiro e São Bento do Una (Agreste);  e  Trindade, Ibimirim e Serrita  (Sertão) também haviam entrado no rol de municípios atingidos pela seva.  Com esses novos reconhecimentos, o número de municípios pernambucanos em situação de emergência devido a desastres é de 84.

Em todo o País, são 1.468 . Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional para atendimento à população afetada. As ações envolvem socorro, assistência às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a valor ser liberado.

Leia também
Associação Caatinga desenvolve ação no Sertão
FPI: a despedida da vida no lixão
A mentira da fome e a realidade do lixão que comoveu o Brasil
Adultos e crianças: A vida no lixão
Caetés: De lixão a estação ecológica
Unesco: Reserva Natural Serra das Almas é posto avançado de reservas da biosfera da Caatinga
Acorda Recife: Até Serra Talhada, no Sertão, está com coleta seletiva
Vamos deixar a Caatinga em pé?
Caatinga pega fogo e plantio de árvores nativas começa com ajuda da iniciativa privada
Povo e aceiros contra o fogo
Caatinga tem cooperativa de crédito de carbono
Casal cria duas reservas particulares de patrimônio cultural na Caatinga
Esforço pela preservação da caatinga e pelo sequestro de carbono no Sertão
Ação para recuperar nascentes na biodiversa Cordilheira do Espinhaço
O drama do  São Francisco e da caatinga
O combate à desertificação e a Amazoninha do Sertão
Como neutralizar as mudanças climáticas
Em nome de São Francisco e do Sertão
Árvores viram carvão no Sertão
Flora do Sertão sofre ameaça

Represa cheia vira “praia” no Sertão
Aceiros e povo contra o fogo no Sertão
Salvem os ipês, por favor
Por um milhão de árvores na Amazônia
MapBiomas confirma alerta feito há meio século: “O Rio São Francisco está secando”
Mudanças climáticas: Sertão sem água e caatinga cada vez mais seca
Velho Chico recebe 40 mil peixinhos
De olho no Sertão do São Francisco
Desmatamento no Sertão do Araripe
Empresa de energia solar (Insole) paga conta por uma boa ideia
Reforço para pequeno produtor
Ministro manda oceanógrafo para caatinga. E o Sertão já virou mar?
Crise hídrica: ” tenho sede” e “esta sede pode me matar”, adverte Gilberto Gil
Cisternas mudam a vida dos sertanejos
FPI: A despedida da vida no lixão
FPI resgata animais em risco no Sertão
A Serra da Canoa na caatinga
Gatinho órfão, onça puma volta saudável para a caatinga
Falta d´água é entrave ao crescimento
No Sertão, palhada da cana alimenta o gado de 51 mil criadores
Degradado, Sertão vai ganhar ação de reflorestamento em 2021
Caatinga ganha 321 mil árvores nativas 
O Rio São Francisco está secando
Ventos que transformam no Agreste
Prêmio para quintais agroecológicos
MST: Da ocupação de terras ao plantio de 100 milhões de árvores
Umbuzeiro é o refrigério do Sertão

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Foto: Genival Paparazzi / G.F.V Paparazzi / ZAP (81)995218132)/ gfvpaparazzi@gmail.comAcervo #OxeRecife

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.