Capital mais antiga do Brasil, o Recife tem festa virtual de aniversário

Todos os anos, a festa se repete. Tem desfile de agremiações carnavalescas que foram premiadas no carnaval, e um bolo gigante confeitado para comemorar o aniversário. Ao completar 484 anos, a capital mais antiga do país não pode realizar festa. Já não teve São João, Réveillon nem carnaval.  E não terá como assinalar a data de sua fundação de maneira tradicional. Com os casos de Covid-19 em alta, o jeito é se resguardar.  Mas apesar do estado de calamidade pública, o aniversário do Recife não passará totalmente em branco. Ao invés de festa, ações. Pelo menos,é o que promete a Secretaria de Turismo e Lazer, que vai realizar projeções em uma das principais avenidas reforçando o uso da máscara e distanciamento social, grafitagem e passeio virtual.

Rua Alfredo Lisboa, que passa em frente ao Marco Zero e que é uma das mais conhecidas do Recife.

Mensagens pedindo para a população usar máscara, respeitar o distanciamento social, lavar as mãos e, claro, parabenizando a cidade, serão projetadas em dois empresariais localizados na Avenida Agamenon Magalhães. As imagens aparecerão nos edifícios Isaac Newton e Renato Costa, garantindo a visibilidade de quem passa por qualquer um dos sentidos da via. As projeções serão feitas ao anoitecer de sexta-feira, das 18h às 22h. O Recife também será celebrado pela Frei Caneca FM, em drops poéticos sobre os bairros da cidade, de diferentes regiões, representando a diversidade recifense. No dia 12, os programas BR-101.5 (a partir das 9h) e (Salada Pop (às 14h), abrem espaço para blocos musicais temáticos, com artistas e canções que celebram o Recife. Para ouvir, basta sintonizar o dial da cidadania, 101.5 FM ou acessar o site http://www.freicanecafm.org.

Em tempos de pandemia, é muito bom que se arranje um meio de comemorar o aniversário da capital mais antiga do Brasil, sem que se coloque em risco a saúde da população. Mas o melhor presente que o cidadão do Recife poderia receber, no aniversário da cidade, seria um conjunto de iniciativas: vacinação contra a Covid-19 para todos, serviços básicos de saúde de qualidade, saneamento,  moradia digna, fim das palafitas, água na torneira,  ruas e praças arborizadas, emprego e renda, segurança,  educação, rios e canais sem poluição. Sim, importante. Precisamos ter a sensação de que o dinheiro que a gente gasta em ITPU está revertendo em serviços que possam deixar a cidade melhor. Uma cidade onde o seu patrimônio artístico e histórico não viva, também, à mercê dos vândalos nem seja dilapidado sem que as autoridades tomem providência, como ocorreu com o Parque de Esculturas Francisco Brennand.

O Museu da Cidade celebra a capital pernambucana e sua vizinha e irmã, Olinda, com um desafio no Instagram (@museudacidadedorecife). Quem acertar as 10 perguntas sobre as duas cidades participa de um sorteio para ganhar um conjunto de postais panorâmicos da capital pernambucana.O quiz foi elaborado pelo historiador Sandro Vasconcelos, responsável pelo setor de pesquisa e iconografia do Museu da Cidade do Recife São questões relacionadas com fatos históricos e curiosidades sobre as duas cidades.

Sonhar não custa nada: Como seria bom o Recife sem o Rio Capibaribe poluído por despejo de esgoto e tanto lixo.

Já o conjunto de postais traz imagens panorâmicas do Cais do Porto (autoria: Aurelina Moura), dos bairros do Recife, São José e Santo Antônio (Josivan Rodrigues) e uma ilustração da cidade de Robert Schimidt, de 1826. Para aqueles que estão saudosos em curtir os atrativos turísticos e de lazer da cidade, a Secretaria de Turismo e Lazer montou um presente especial. Com a tecnologia a favor, as pessoas poderão curtir um passeio virtual por espaços como o Paço do Frevo, Oficina Brennand, Embaixada dos Bonecos, Paço do Frevo e Teatro do Parque. Os vídeos serão postados no instagram @visitrecife. Outro presente à cidade e às mulheres recifenses é um painel assinado pelo artista Marquinhos ATG (Marcos Santos), no muro da Avenida Herculano Bandeira com a Rua Carneiro Pessoa. O grafitti reforça o uso da máscara trazendo a imagem de uma mulher e também do nome Recife. Já na Avenida Rio Branco, serão instaladas 22 placas reforçando a campanha Bora se Cuidar, que enfatiza a importância do distanciamento social e uso de máscaras, além de contar também a história do Recife no verso.

Leia também:
Outra obra de Frncisco Brennand sofre degradação
Mural sobre Restauração Pernambucana precisa de reparos e não de remendos
Fórum Arte Cidadania movimenta o Recife
Estátua de Ariano no chão
Detonadas as margens do Capibaribe
Depois de pilhado à exaustão, Parque das Esculturas vai ter segurança 24 horas
O drama do Parque de Esculturas: Proteger o patrimônio não é caro
Instituto Oficina Francisco Brennand: O Recife não merece tamanho desrespeito
Parque das Esculturas pilhado. Cadê a serpente que estava aqui?
Parque das Esculturas e indignação: “Esse post é um pedido de socorro”
Marginais roubam tudo, de escultura de uma tonelada a trator. Punição…
Arte monumental & natureza generosa
A voz do eleitor: Que prefeito respeite mais o Recife e o recifense
Que breu é esse na Torre de Cristal?
Torre de Cristal não pode apagar: Trevas onde devia haver luzes

Uma “pérola” na comunidade do Pilar
Fórum Arte Cidade movimenta o Recife
Monumento ao maracatu pilhado
Os remendos nas pedras portuguesas
Vandalismo dá prejuízo de R$ 2 milhões
Apipucos: Adeus às antigas luminárias
Cine Glória: Art-Noveau e decadência
Cine Glória agora é Lin-Lin
Pátio de São Pedro está sendo pilhado
Que horror: Pátio de São Pedro fica sem lampiões até depois de julho
Cadê os lampiões da Ponte Velha?
Ponte da Boa Vista ganha abraço
Ponte da Boa Vista pede socorro
Ponte da Boa Vista: efetuada reposição mas faltam reparos
Bonde vira peça de museu e trilhos somem do Recife sem memória
Recife da paisagem mutilada
Secular Magitot vira ruína na Várzea
A cidade que precisamos
Hamburgo e Recife: semelhanças

Aos 483, o Recife é lindo? Veja fotos
Com Hans, entre o barroco e o rococó
De olho nas luminárias da Bom Jesus

Art Déco: Miami ou Recife?
Passeio do estilo colonial ao moderno bossanovista
Vamos salvar o centro do Recife
Caminhadas Domingueiras: Mergulho no estilo neocolonial no Recife

Você está feliz com o Recife?
O índice de felicidade urbana do Recife
Viva 2018, Recife
O Recife que queremos, em 2019
Recife, cidade parque em 2037
Recife se prepara para os 500 anos
Uma cidade boa para todo mundo
Recife, mangue e aldeões guaiás
Livro mostra mania pernambucana de grandeza: “O mundo começava no Recife”
Livro mostra jardins históricos do Recife
Estátua de Ariano no chão

Texto e fotos:  Letícia Lins / #OxeRecife (acervo #OxeRecife)

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.