Cadê o respeito à vida? Tragédias anunciadas em obras públicas sem sinalização adequada

 Cadê o respeito à vida? Tragédias anunciadas em obras  públicas sem sinalização adequada

Compartilhe nas redes sociais…

O #OxeRecife já vem reclamando, por várias vezes, da deficiência de sinalização para pedestres e automóveis, em obras públicas promovidas por órgãos públicos como a Prefeitura da Cidade do Recife e a Compesa. Infelizmente ambos não têm mostrado respeito com vidas humanas, e os acidentes são frequentes. Em agosto de 2021, uma imensa cratera sinalizada com apenas uma malha cor de laranja, praticamente invisível à noite, provocou a morte de um motocislista, em frente à Praça de Apipucos. O condutor caiu no imenso buraco de uma obra da Compesa, quebrou o pescoço e morreu no local do sinistro. Ontem foi um automóvel, que matou um homem de 62 anos, a serviço da Emlurb, que limpava um bueiro no asfalto. Um carro que passava no local, caiu na boca de lobo, bateu na cabeça do trabalhador, que saía do esgoto e do qual retirara um monte de detritos. A vítima do descuido foi sepultada nessa quinta-feira. Finalmente, a culpa é de quem pelo acidente? Esse tema me preocupa demais, pois os acidentes são diários, tanto em calçadas como no asfalto.

Nas calçadas, geralmente é a própria população que coloca um galho, um pedaço de pau ou um cone para chamar atenção dos pedestres. O acidente da quarta-feira com o trabalhador foi no cruzamento das ruas Marquês do Pombal com Frei Casimiro (em Santo Amaro). E a informação que chegou ao #OxeRecife foi que a  sinalização era zero.  Ou, se houvesse, era inadequada e insuficiente, como ocorre sempre no Recife. Como caminho muito pela cidade, tenho visto péssimos exemplos de tragédias anunciadas. E não são poucos. Há algumas décadas, quando havia obras, estas eram sinalizadas à noite com lâmpadas, para alertar os motoristas. Desde 2017, quando coloquei esse blog no ar, tenho reclamado desse descalabro.  Obras (com seus buracos), tudo no breu.Após o acidente fatal no bairro devido ao buraco mal sinalizado, cheguei a passar informações sobre esses riscos, em nome da população de Apipucos, para a Câmara dos Vereadores do Recife. Felizmente, a vereadora Cida Pedrosa (PC do B) apresentou requerimento, solicitando mais cuidado na sinalização. Mas está tudo do mesmo jeito.  Vejam só esse exemplo, na foto abaixo, na esquina da Rua da Harmonia com a Estada do Encanamento. O buraco agora tapado,  passou assim mais de um mês. Imaginem isso no escuro, sem nenhum aviso ou sinal luminoso. Notem que a malha está rente com o buraco. Ou seja, o motorista – principalmente à noite – só vê já em cima. E aí? Risco grande de acidente, claro.

“Sinalização” cruzamento da Rua da Harmonia com Estada do Encanamento não garante segurança, inclusive  à noite

Cida Pedrosa devia ter apresentando sim, um projeto de lei, com sugestões de urbanistas, e especialistas em segurança no trânsito e do trabalho. Pois o descalabro está do mesmo jeito. E a prova mais contundente é o acidente do último dia 26, com o trabalhador a serviço da Emlurb, que assegura que a obra estava sinalizada. Não, não estava.

Em requerimento enviando em 2021 à Emlurb, Cida Pedrosa (PC do B)  pediu à presidência da autarquia, que fosse intensificada “a fiscalização da sinalização de obras e serviços nas vias terrestres públicas desta cidade” com base “nos manuais da Emlurb e demais normativas que afetam a matéria visando evitar acidentes”. O  problema é que pelo se observa, a Emlurb não fiscaliza nada, nem ela mesmo, como vocês podem observar  nas ruas da cidade. “Além dos corriqueiros acidentes havidos em diversas vias,  ora pela ausência, ora pela sinalização ineficiente, no último 29 de agosto, um motociclista caiu em um buraco aberto pela Compesa (em Apipucos), sendo levado a óbito. Ao que parece, essa cratera estava sem sinalização, apenas com uma tela laranja, conforme relata uma testemunha”, lembra Cida. Não é “ao que parece”. A obra estava mesmo sem sinalização adequada. No  breu. A vereadora destaca que existem alguns “regramentos” da sinalização. Esta deve “atrair a atenção do condutor”, “impor respeito ao usuário”, “transmitir mensagem simples e inequívoca”, “ser vista, permitindo obras com segurança”. Por fim, ser “uniforme e padronizada”. Padronizada até que a sinalização é: sempre a mesma telinha cor de laranja que é mesmo que nada. Principalmente à noite.

O requerimento de Cida  foi aprovado na Câmara Municipal. Mas…. infelizmente está tudo do mesmo jeito. Até porque quem executa em grande parte as obras nas ruas do Recife é a própria Emlurb, a Prefeitura. Será que ela vai se fiscalizar? Cadê o Ministério Público?

Leia também
Cadê a sinalização? E o respeito à vida?
Calçadas assassinas: Novas vítimas
Armadilhas junto ao meio-fio
Prestadoras de serviço: Descalabro
Operadoras ameaçam pedestres
Os cem buracos do meu caminho
Demandas urbanas: Abrigos de ônibus oferecem riscos
Calçadas assassinas: “É sair e cair”
Recife: calçadas e ruas assassinas
Vocês lembram dessa calçada? A Compesa “consertou”
As inviáveis calçadas da Avenida Norte
Perigo à vista na esquina da Futuro
Futuro das usurpações urbanas
Charme: calçada para andar e sentar
Discutindo o Recife a 5 km por hora
Uma “piscina” no meio do caminho

Cidadania a pé está difícil
Bueiros viram armadilhas mais perigosas em dias de chuva
Calçada: Que saco, torci o pé de novo
Tombos nas calçadas requalificadas
Quem chama isso de calçada….
Calçadas melhoram na Av Norte, mas…
Oxe, cadê as calçadas da Avenida Norte?
Calçadas crateras na Avenida Norte
Av. Norte: reforma só atinge 12 por cento das calçadas
Acidente em calçada requer até Samu
“Revoltado com queda na calçada”
Depois daquele tombo (12)
Depois daquele tombo
Depois daquele tombo (1)
Depois daquele tombo (2)
Depois daquele tombo (3)
Depois daquele tombo (4)
Depois daquele tombo (5)
Depois daquele tombo (6)
Depois daquele tombo (7)
Depois daquele tombo (8)
Depois daquele tombo (9)
Depois daquele tombo (10)
Depois daquele tombo (11)
Assim não dá: Calçada com buracos e lixo
Riscos para quem anda e pedala
Calçadas: acessibilidade zero
Cadê o respeito aos cadeirantes?
Calçadas assassinas: “É sair e cair”
Calçadas nada cidadãs na Zona Norte
Novas calçadas: 134 quilômetros até 2020
Calçada larga na Rua Gervásio Pires
Convite ao tombo no Centro
Centro do Recife precisa de Mais Vida
Você está feliz com o Recife?
Calçada dá medo na gente de afundar
Acidente em calçada requer até Samu
Calçadas cidadãs da Jaqueira e Parnamirim: todas deviam ser assim
Comunidade recupera calçadas em Casa Amarela. Essas cenas vão sumir?
O drama das nossas calçadas
Quem inventou as famigeradas tampas duplas de nossas calçadas?
Já torci o pé três vezes
Quem chama isso de calçada…
Alguém chama isso de calçada?
Andando sobre o inimigo
Recife: calçadas e ruas assassinas
Os cem buracos do meu caminho
Mais uma calçada cidadã
Cidadania a pé: calçada não é perfeita
Charme: calçada para andar e sentar
Quem chama isso de calçada….
Pedras nada portuguesas
Santo Antônio sem pedras portuguesas

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.