As “Peregrinas do Café”

Gente, hoje é o Dia Nacional do Café, sabia? Pois é dia, também, de falar em Carina Leal Cabral e Érika Diniz, as Peregrinas do Café. A primeira é professora de Pilates. A segunda, advogada e psicóloga.  São amigas e fãs do pretinho. Aproveitam a necessidade de reforçar a amizade e botar os assuntos em dia, nas cafeterias do Recife. E visitam todas. No Instagram, até abriram conta, a Peregrinas do Café. E em apenas 21 dias, já acumulam mais de 700 seguidores. Um sucesso, essas meninas. O que mostra, também, o tamanho da popularidade da bebida não alcoólica mais consumida do Brasil.

Pois agora, durante o Recife Coffee 2017, sabe o que as Peregrinas fizeram? Decidiram visitar as 25 participantes do evento, que se estende até o dia 31 de Maio. “Já fomos a todas. Só falta mesmo irmos ao Café da Moeda, que fica em Porto de Galinhas, o que faremos no próximo final de semana”, diz  Carina, referindo-se à famosa praia que fica em Ipojuca, município localizado a 57 quilômetros do Recife.  Érika morou em São Paulo, onde sempre frequentava cafeterias, “instituições” incorporadas à cultura daquela metrópole. Quando retornou, encontrou Carina. Ambas se tornaram amigas, e passaram a marcar encontros nas cafeterias da nossa cidade, e fizeram cursos e várias oficinas cujo tema não poderia mesmo ser outro: o café.

peregrinas logo

“Quando nossos amigos sabiam dessas reuniões, passaram a indicar cafeterias que não conhecíamos. E outros nos pediam indicações. A coisa foi crescendo, e tivemos necessidade de criar uma conta sobre o assunto”, dizem. Carina namora um alemão, e todas as vezes que viaja a Berlim, curte as cafeterias de lá. “São tantas, uma em cada esquina”, diz. “A impressão é que há uma casa do gênero, para cada grupo de 20 habitantes”, ratifica, referindo-se à capital alemã, hoje uma dos maiores centros de torrefação e beneficiamento de café do mundo. “Às vezes, não sabia que café pedir, o jeito foi ir me especializando”, diz Carina, que não quer parar de estudar o assunto. “Virou um hobby, mas vi que precisava de know-how para falar sobre o tema”, comenta.

Ao final do Recife Coffee 2017, as garotas já sabem o que farão. Vão divulgar as cinco tops do evento. Uma boa dica para quem quer degustar o café, seja um simples Expresso, um Espumone, um Machiatto, um Cold Brew ou o clássico Capuccino. O Recife Coffee 2017 vai até o final desse mês, e tem o propósito de disseminar o consumo de cafés especiais, fortalecer a profissão do barista e fomentar o pequeno negócio. O consumidor pode apreciar a sugestão do barista, por R$ 19,90 em cada uma das 25 cafeterias ( 24 do Recife, três de Olinda e uma de Porto de Galinhas).  O valor dá direito ao café, um doce e um salgado.  Eu, aqui do #OxeRecife, adoro cafeterias e café.  Mas como sou meio insone, tomo de forma moderada. Como Carina, acho que falta  um componente importantíssimo, nas casas especializadas do Recife: o aconchego. Ou seja,  aquele clima gostoso e intimista que o café exige para ser degustado.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação / Peregrinas do Café

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.