Ana de Ferro, a mulher empoderada do século 17 que escandalizou a colônia ao se vestir de homem

Pernambuco é repleto de mulheres que tiveram participação ativa na história. Ou que, pelo menos, viveram seus protagonismos. Na história real, tivemos Branca Dias, Filipa Raposa, Brites de Albuquerque, Ana Paes, cujas vidas foram bem diferentes da maioria das de outras mulheres que por aqui viveram ou nasceram entre os séculos 16 e 17. Na ficção há, também, uma mulher empoderada: Ana de Ferro,  Rainha dos Tanoeiros do Recife. Ela é a personagem central da peça do mesmo nome, que será encenada na próxima quarta-feira (18/01), dentro da Programação do festival Janeiro de Grandes Espetáculos.

A apresentação será a partir das 19h, no Teatro Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro, que fica na Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro, Recife. Ana de Ferro é uma cortesã do Cais do Porto do Recife, no período de ocupação holandesa.  E ela funciona como pano de fundo para se criar um clima sobre costumes e amores do século 17. Ana causa um verdadeiro alvoroço na colônia, quando chega da Europa travestida de homem. Ela seria uma das paixões do Conde Maurício de Nassau. O texto é de Miriam Halfim, baseado em poema de Vital Correa de Araújo. A classificação é 14 anos, e a montagem é do Grupo Risadinha, que apesar do nome faz teatro sério e leva no currículo mais de 25 espetáculos  montados, entre comédias, dramas e teatro voltado para crianças.

Já assisti a peça duas vezes e recomendo. A montagem é simples e criativa, com assinatura  da encenação visual e programação de Emanuel David D´Lucard, o mesmo diretor de Branca Dias, entra a cruz e a Torá, peça encenada em vários estados, sempre com boa recepção do público. No elenco de Ana de Ferro: Cláudia Alves, Euclides Farias, Geraldo Cosmo, Marcelo Barros, Pedro Dias, Telma Ratta, William Gomes. E Patrícia Assunção (que é Ana de Ferro) e Marcos Pergentino (que interpreta Maurício de Nassau).

Abaixo, você confere mais informações sobre Ana de Ferro e também sobre a montam a respeito de Branca Dias, que contou com assessoria especializada, para que fosse respeitada a verdade histórica da saga da mais famosa judia em terras brasileiras, no século 16.

Leia também
Ana de Ferro é encenada em Jaboatão
Nassau e Ana de Ferro estão em Olinda
A mulher empoderada do século 17
Conheça a história de Anna de Ferro
Amor de Nassau e Ana de Ferro
Conheça melhor a lendária Branca Dias
Do século 16 ao 21, no mesmo cenário
Mistérios do além com Branca Dias 
“Branca Dias” inaugura cine teatro
Branca Dias deve “retornar” a Portugal
Branca Dias retorna ao local que viveu
Branca Dias  revive no palco
Senhora de Engenho entre a Cruz e a Torá: de Camaragibe ao Rio de Janeiro
Entre a Torá, o corno e o marido traidor
Do século 16 ao 21, no mesmo cenário
Apresentações gratuitas sobre lendária Branca Dias na Região Metropolitana
Saga de Branca Dias volta ao palco
Entre a Cruz e a Torá no Agreste
Branca Dias se despede dos palcos
Conheça melhor a lendária Branca Dias
Branca Dias está de volta aos palcos
Zoo Noturno Mal Assombrado. Ui, ui
Casarão do Açude do Prata perto da restauração

Chalé do Prata começa a desabar
Vai sair reforma do Chalé do Prata
 A mulher empoderada do século 17
Tejucupapo revive batalha do século 17

Serviço
Peça: Ana de Ferro, Rainha dos Tanoeiros do Recife
Quando: quarta-feira (18 de janeiro)
Horário: 19h
Onde: Teatro Marco Camaraotti, no Sesc Santo Amaro (Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro)
Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), na bilheteria do teatro ou no site https://guicheweb.com.br/29-festival-jge-ana-de-ferro-a-rainha-dos-tanoeiros-do-recife_19402

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Acervo #OxeRecife

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.