Alexsandro Souto Maior lança o livro “Paraíso e seus Destroços”no Furduço Café e Cultura

 Alexsandro Souto Maior lança o livro “Paraíso e seus Destroços”no Furduço Café e Cultura

Compartilhe nas redes sociais…

Ator, professor de literatura e autor de obras de poesia, prosa e teatro, o pernambucano Alexsandro Souto Maior lança livro de poesia na quinta-feira (11/01), no Furduço Café e Cultura, a partir das 19h.  A noite de autógrafos será prestigiada pelos professores Robson Teles e Conceição Rodrigues, que declamarão versos do novo livro de poesia de Alexsandro, “O Paraíso e seus destroços”. O Maestro Israel França também estará presente à festa, com seu violino.

“O paraíso e seus destroços” conta com mais de setenta poemas que versam, em boa parte, sobre imagens e ideias de paraíso. Isso ocorre, por exemplo, no trecho do poema Paraíso a 30 km: “O paraíso é uma cidade emancipada/ de um país cerceado por abutres/ de uma outra cidade tomada pelas sombra.”  Poemas narrativos iniciam um percurso tenso, reflexivo, conduzindo o leitor a deslocamentos variados em busca do paraíso. No decorrer da obra, no entanto, nem tudo é céu no paraíso. O cotidiano se apresenta em trechos ora apocalípticos ora esperançosos.  Conta o escritor:

“Em ‘O paraíso e seus destroços’, o título já nos convida a um jogo. Nele, a palavra é mais liberta, ela brinca. Ela toma o espaço, carregada de som e suscitando imagens, tensões. Esse jogo sempre me atraiu!”

Alexsandro é um escritor premiado. “O Paraíso e seus Destroços”, por exemplo,  foi uma das obras escolhidas da seleção promovida pela editora Patuá que contou com mais de três mil originais de todo o Brasil. O livro foi lançado na Casa Gueto, na última edição da FLIP (Festival Literário de Paraty). A FLIP é considerada a  maior feira literária do país e ocorre anualmente..  Entre obras do autor, está texto “Luzia no Caminho das Águas”, em que obteve o Prêmio Funarte de Dramaturgia, na categoria voltada para infância e juventude, 2005.   Alexsandro conquistou o Prêmio Literário Cidade de Manaus, categoria de teatro adulto, com “Mariano, Irmão Meu”, em 2011.

O autor voltou a vencer esse mesmo prêmio com “Eu e os Avelós”, em 2017. No ano subsequente, foi a vez de ele ganhar o Prêmio Ariano Suassuna com o texto da peça “Tempo de Flor“, que mais tarde seria montada pelo grupo Pé de Vento de Arcoverde. No ano de 2020, torna a vencer o Ariano Suassuna com “O mistério do Casarão de dona Niná” também na categoria de teatro para infância e juventude.   Na poesia, destaque para a obra “A seiva”. Esta foi publicada em 2020 e recebeu menção honrosa pela Academia Pernambucana de Letras. Ele também é autor de “Recife Anfíbio e outras paragens“, obra poética que surgiu de projeto homônimo audiovisual, contemplado pela Lei Aldir Blanc.

Leia também
Bívio: Fred Caju lança livro de poemas no Rio de Janeiro
“A solidão e o seu corpo”, do poeta e acadêmico José Mário Rodrigues ganha versão musical
Livro cheio de mistérios é lançado no Museu do Estado. Afinal, qual é a de Emílio Garza?
Histórias cotidianas da Literatura brasileira: escritores são humanos
Sísifo, Íxion, Narciso e Erato de Marcos Acioly são lançados no Museu do Estado
Instituto Arqueológico e Cepe lançam coleção que aborda revoluções e padres guerreiros
Movimento Armorial: livro “Poeira, Sagrado e Festa” assinala 25 anos do Grupo Grial
Pernalonga tem biografia lançada na Bienal de Pernambuco
Incluído entre os melhores filmes brasileiros, Tatuagem ganha livro
O artista pernambucano que participou da Semana de Arte Moderna
A inesquecível Tereza Costa Rego
Tereza, uma mulher em três tempos.
Tereza vive. Homenagem merecida à grande artista em várias cidades brasileiras
Joias para rainhas e princesas em livro
História de Janete Costa em livro
Pedro Américo, o artista que virou pop star
Mercado EufrásioBarbosa tem lançamento de livro e expô sobre Adão Pinheiro
Ismael Caldas  vira tema de livro
Premiada Mary Del Priori é a primeira atração do Circuito Cultural da Cepe
João Cabral não é um iluminado é um iluminador
O levante dos camponeses
Editoras contra elitização do livro
Aventura literária no Olha! Recife
Carlos Pena Filho: Desejos presos na APL
Carlos Pena Filho: trinta copos de chope
Litoral Sul ganha tenda literária
Sidney Rocha  preside Conselho da Cepe
O lado editor do escritor Sidney Rocha
Carlos Pena Filho: “são trinta copos de chope” e memórias no Museu do Estado
Joca e seus diálogos improváveis
Você tem fome de quê? De livros
Ditadura: a dificuldade dos escritores
Pensem, em 1964 já tinha fake news
Livro oportuno sobre a ditadura
Livro revela segredos da guerrilha 
Anco Márcio resgata a obra de Luiz Marinho
Tereza: uma mulher em três tempos
Miró estreia livro infantil
Clube da Leitura: livros com desconto
Compra de livros sem gastar tostão
Arruar mostra o Recife do passado
O dia que esqueci que sou repórter
Livro mostra os jardins históricos do Recife
O Recife pelas lentes de Fred Jordão
Carnaval: cinco séculos de história
Nação Xambá: 88 anos de resistência
Boa Viagem ao Brasil do século 17
O lado musical da Revolução de 1817
…..
De Yaá a Penélope africana

Clube de leitura: livros com descontos
O “sequestro da independência”: Como ditaduras e democracias exploram a data cívica
Livro mostra passageiros da tempestade: fascistas e negacionistas em tempos presentes
A arte de ser ignorante
Documento revela: reiquezas acumuladas por igreja Católica incluiam Monjope
Revolução de 1817, “subversão” que virou orgulho dos pernambucanos
Paulo Santos: Frenesi absolutista do Brasil e a pole position de Pernambuco 
História da Revolução de 30 e a tragédia de três homens chamados João
O levante dos camponeses
Fake news: Bacamarteiros viraram guerrilheiros
Memória e censura: quando a palavra camponês era proibida nas redações
Sônia Braga ganha  primeira fotobiografia com lançamento no Festival de Inverno de Garanhuns
Grito do Ipiranga: Pernambuco contestador,as “independências” do Brasil, revoltas populares
Pedro Américo, o artista que virou “pop star”
Fenelivro tem história de vida de Pedro Américo

O “sequestro da independência”: Como ditaduras e democracias exploram a data cívica
Revolução de 1817, “subversão” que virou orgulho dos pernambucanos
Paulo Santos: Frenesi absolutista do Brasil e a pole position de Pernambuco
O lado musical da Revolução de 1817
Entre o amor e a Revolução
Muito linda, a versão musical da Revolução de 1817
Libertário, Frei Caneca é lembrado
De Yaá a Penélope africana
Premiada, Mary Del Priori é a primeira atração do Circuito Cepe
História da Revolução de 30 e a tragédia de três homens chamados João
História: Krzyszotof Arciszewski,o rival polonês de Maurício de Nassau
“Cangaço, Guerreiros do Sol,Violência e Banditismo no Nordeste do Brasil é relançado
Esgotado, livro “Estrelas de Couro – A estética do cangaço é relançado”
Livro mostra a rica vida cultural do Recife do passado
Quase Santo, Dom da Paz ganha livro com 36 histórias

A Capital vai virar mar?
Sessão Recife Nostalgia: Viagem do século 21 ao 16 com livro e exposição no Museu da Cidade

Livro mostra passageiros da tempestade: fascistas e negacionistas em tempos presentes
O ano de Cida Pedrosa: escritora premiada, feminista e vereadora
Fake news: Bacamarteiros viraram guerrilheiros

Serviço
Lançamento do livro O Paraíso e seus destroços, de Alexsandro Souto Maior
11 de janeiro, às 19h, na Furdunço Café e Cultura. Rua Gildo Neto, n. 92, Tamarineira.
Custo do livro: R$ 50
92 páginas
Instagram – @alexsandrosoutomaior

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.