A viagem dos pelicanos

Eu era uma pirralha, quando ouvi falar pela primeira vez em pelicano. É que naquele tempo, quando não existia ainda a Internet, a gente conseguia informações pelos livros, jornais, revistas. E eu sempre guardava um pouco do dinheiro da mesada, para comprar uma revistinha que fazia jus ao nome: Diversões Escolares. A publicação, voltada para as crianças, tinha um foco grande em informações da natureza. Foi lá que descobri a existência dos ornitorrincos, dos coalas, dos pandas, e dos … pelicanos. Estes eram mostrados como aves muito especiais, com a parte inferior do bico em formato de saco, para armazenar os peixes e crustáceos que pescam. Lembrei disso ao saber que os pelicanos do zoológico que fica no interior do Parque Estadual de Dois Irmãos (Pedi) estão indo embora.

A transferência dos pelicanos tem tudo a ver com o novo propósito do Zoológico que agora trabalha com foco conservacionistas na fauna nativa, de forma que os animais que são exóticos serão gradualmente transferidos para outras regiões. Nessa quinta-feira (5/8), dois pelicanos (Pelecanus onocrotalus) irão para o BioParque do Rio, localizado na capital fluminense. São dois machos, que chegaram ao equipamento dezembro de 2007, com um ano de idade. Saudáveis e brincalhões, eles vão para o Rio de Janeiro, em caixas especiais para transporte de animais silvestres, em um voo direto (chique, né?). Uma equipe (de três tratadores e dois biólogos) está escalada para organizar a viagem e acompanhar as aves até o Aeroporto dos Guararapes.

Uns vão e outros chegam. Dois pelicanos viajam hoje para o Rio de Janeiro. Mês passado, o Pedi recebeu novos moradores (foto)

Eles passaram por uma consulta para checar a saúde, que está em ordem. O gerente de manejo de fauna do Parque de Dois Irmãos,  veterinário Márcio Silva, explica que a saída e a chegada de animais estão ocorrendo gradualmente, obedecendo o plano de ação com lista de prioridades, checagem das instituições receptoras e doadoras. “Assim como o público, temos um grande carinho por cada animal. Nos envolvemos pessoalmente com o processo de transição do plantel, pois a garantia do bem-estar dos animais é nossa prioridade”, diz.

Os pelicanos vieram do zoológico de Americana, no interior de São Paulo. Acostumados com a presença de humanos, eles chamavam a atenção dos visitantes com suas brincadeiras e pela curiosidade.  São aves de grande porte, com cerca de 15 kg e uma envergadura da asa de quase dois metros. Adoram comer peixe, em especial sardinha e tilápia. Em vida livre,  são excelentes pescadores de peixes marinhos. Muito adaptados ao ambiente, eles nadam e mergulham muito bem, além de terem a capacidade de voar grandes distâncias. Alimentam-se principalmente de peixes e crustáceos. O bico longo possui uma bolsa ou papo que ajuda na captura das presas. Vivem próximos a grandes corpos d’água, sejam elas interiores (lagos, lagoas, rios) ou costeiras.

O Parque de Dois Irmãos informou que tem expectativa de receber novos animais até o início de setembro. São tamanduás-mirins, furões e tucanos. Eles vêm do Centro de Triagem de Animais Silvestres da Bahia, em Salvador, que não obteve sucesso na reintrodução desses à vida livre. Com o plano de populações do zoológico do Recife, o perfil de animais abrigados muda, ocorrendo a saída de algumas espécies (principalmente exóticas) e a chegada de outras. A perspectiva é que permaneçam no espaço apenas os indivíduos nativos da Caatinga, Mata Atlântica e zonas de transição da Mata Atlântica.

Sinceramente , considero das mais acertadas essa orientação da  Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas/PE), que administra o Pedi, onde fica o zoológico.  No momento em que vive o Brasil, com o completo descaso do governo federal pela natureza, todo esforço para preservar a nossa fauna e flora nativas estão valendo. E muito. No caso do Pedi, o plano divide os animais em quatro categorias: Adoção (a serem transferidos para outras instituições, integrando programas de adoção); Acolhimento (apenas manutenção); Embaixador (reprodução conforme necessidade dos programas de conservação); e Foco (integrantes dos programas de revigoramento populacional).  Por conta da pandemia, o Parque Estadual de Dois Irmãos (Pedi) ainda não voltou a abrir para o público. Faz falta. Eu, por exemplo, pelo menos uma vez por semana costumava caminhar por suas verdes alamedas.

Nos links abaixo, você lê outras informações sobre o Pedi e sobre o novo perfil do seu zoológico.

Leia também
Zoológico de Dois Irmãos, ainda fechado, recebe novos animais e muda deperfil
Urso Zé Colmeia morre com dificuldades respiratórias. Covid?
Morre de câncer leão que teve as garras arrancadas
Catetos tentam casamento no Recife
O refúgio das preguiças perdidas
Leão idoso do Zoo está com câncer
Leão do zoológico está com dois tumores mas coração é bom
Dia do Leão tem programação especial
Feliz 2021 também para os animais

Bichos amargam solidão na pandemia e mudam comportamento no Zoológico
Dia do Bloco do Hipopótamo
Jujuba vira remédio para macacos
Parque Dois Irmãos triplica de tamanho
Jaguatirica resgatada na Zona Norte
Jaguatirica que apareceu ferida já voltou à natureza
Assombrações no Zoo
Conhecendo a Mata Atlântica
Mata Atlântica ganha viveiro para produção de 100.000 mudas
O estrago do bambu na Mata Atlântica

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Lu Rocha/ SemasPE

Continue lendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.