A versátil Ora-pro-nóbis

 A versátil Ora-pro-nóbis

Compartilhe nas redes sociais…

O nome é significativo: Ora-pro-nobis. Em latim, quer dizer, “orai por nós”. E ora mesmo. Pois a flor assim chamada não só decora os ambientes levando alegria com suas cores, como oferece inúmeros benefícios à saúde. E tanto é assim, que os sites estão vivem oferecendo cápsulas à base da planta, que no Brasil tem quatro espécies: a branca, a dourada, a rosa e a laranja. Fiquemos com a última, que foi a que encontrei hoje, em um jardim, durante minha caminhada.

Pelos seus galhos espinhentos, ela é usada, também, para cercas vivas. É uma panc (planta alimentar não convencional), embora não tenhamos o costumemo de levá-la à mesa. Tanto suas flores quanto as folhas são comestíveis e têm o sabor adocicado. Há quem use a ora-pro-nóbis para fabricar farinhas (para massa de bolos e pães), que pode ser usada em geleias, sopas, omeletes. Ou seja, várias utilidades. Já as flores dão aquele toque especial às saladas.

Ora-pro-nóbis é uma panc e tem diversas utilidades para o bem estar das pessoas. No Brasil há quatro tipos da flor.

Há, também, quem consuma suas folhas como chips e até prepare patê usando o vegetal como ingrediente. E as propriedades são muitas, pois além de fonte de proteínas, a ora-pro-nóbis  ajudaria no emagrecimento, assim como preveniria a diabete. De acordo com a literatura especializada, também serve para regularizar as funções do intestino, previne anemia, fortalece os ossos e ainda combateria os radicais livres, retardando, assim, a ação de agentes que provocam o envelhecimento.

O consumo de cem  gramas de suas folhas, por dia, já seriam suficientes para garantir ferro, zinco, cobre e vitaminas C e A a um adulto. Sim, a planta também seria anti-inflamatória. Tem quem prefira consumir suas folhas cruas. Outros, preferem refogá-las. E você, já comeu a ora-pro-nóbis? Abaixo, você confere curiosidades sobre outras flores e plantas

Leia também
Considerada extinta há meio século orquídea volta à natureza
O maior mandacaru de Pernambuco?
Use o biribiri para remover manchas
Uma explosão de vida entre as rochas
Bromélias raras no Jardim Botânico
Oitizeiro, a árvore de muitas utilidades
Ucuubeira preservada rende três mais  do que vendida a madeireiras
Tukumã, a fênix da Amazônia
Você conhece essa árvore? É Chichá
Conheça melhor a juçara, palmeira nativa da Mata Atlântica
Juçaí, o açaí da Mata Atlântica
Praça de Casa Forte e o fruto misterioso
É uma palmeira? Não, é um pandanus
As mil e uma utilidades do butiá
Parece coco, fruta-pão, mas é… coité
Palma-de-Manila: a festa das abelhas
Conheça palmeiras nativas e exóticas
A exuberância do abricó-de- macaco
Flamboyanzinho cada vez mais comum
Lírio: antiguidade, talismã e mistério
Pitomba tem poder analgésico?
É verdade que piranga é afrodisíaca?
As mangas da vida
A festa dos ipês no Recife e no Pará
O tapete vermelho do jambo do pará
Hoje é Dia do Pau Brasil. Lembram-se?
Dia da Árvore: a “vovó” do Tapajós
Viva a árvore mágica, no Dia do Baobá
Desabrochar musical da Flor do Baobá
O maior colosso vegetal do mundo
Comitê gestor para jardins históricos deixados pelo paisagista Burle Marx
Livro mostra jardins históricos do Recife
Bromélias são reintroduzidas ao ambiente natural no Recife
Veja a flora do Sertão em Dois Irmãos
A caatinga no Jardim Botânico
Jardim Botânico tem trilha amazônica
Por um milhão de árvores na Amazônia
O charme e o veneno da espatódea
Dia da Árvore: a “vovó” do Tapajós
Viva a árvore mágica, no Dia do Baobá
Desabrochar musical da Flor do Baobá
O maior colosso vegetal do mundo
Veja a flora do Sertão em Dois Irmãos
A caatinga no Jardim Botânico
Jardim Botânico tem trilha amazônica
Esso decide plantar 20 mil árvores para proteger mico-leão dourado
Coca-Cola planta 600 mil árvores
Carlos  plantou 300 árvores e é confundido com professor

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.