“Ninho” de fios incomoda pedestres

Como se não bastasse a poluição visual  com a qual a gente se defronta todos os dias nas ruas do Recife – excesso de placas, descaracterização de prédios históricos, acrílico em demasia – o morador da cidade ainda encontra poluição visual aérea. Pois o emaranhado de fios está em todos os lugares, até mesmo em áreas nobres. É ninho de fio pendurado na própria fiação, nos postes, até agarrados em árvores. Uma bagunça!

Atenta observadora da cidade, a leitora Vera Silva envia foto de trecho da Rua Amélia, no Espinheiro, onde o emaranhado de fios  é tão grande que parece até estar pesando tanto na haste do poste que  esta ficou inclinada. E é um risco também para a população, que nem sempre tem como distinguir o que é fio de alta tensão e fio das operadoras de telefonia. Mas que é um nó, é. Primeiro, a fiação jamais poderia estar na altura das pessoas. Mas como se vê na foto, eles estão não só abaixo do limite de altura permitido, como são tantos que parecem até um novelo. Já tinha visto essa bagaceira que, infelizmente, fica desse jeito por falta de fiscalização ou tolerância dos órgãos públicos. Como costumo caminhar sempre, todas as manhãs, me defronto diariamente com cenas como a da Rua Amélia, enviada por Vera. Recentemente, caminhando pela Rua Apipucos, me defrontei com um amontoado de fios na calçada, o que representa um risco para pedestres e até animais.

Enviei a ela foto da bagunça, também no meu bairro, com fiação jogada na calçada. Ela deu logo a opinião de cidadã, que cobra ação do serviço público, que deveria impor ordem  às prestadoras de serviço de eletricidade e telefonia.  “Aqui (em Apipucos) são  os fios roubados e partidos”, define ela. “Outra coisa é institucionalizar o ninho  (como no Espinheiro)”. Pois é, e não é ninho de passarinho. É de fio mesmo, e a gente vê desses tipos de “ninho” em todas as esquinas da cidade.  Absurdo! Aqui onde resido, sempre vejo servidores de prestadoras de serviço mexendo na fiação. No dia seguinte, tem mais coisa pendurada na fiação, tem pedaços de fios pelas calçadas, alguns pendurados. Então, alguém precisa fiscalizar melhor o serviço desse pessoal.

Pois queixa é o que não falta: Poluição visual, lixo deixado nas ruas, risco para pedestres.  Segundo Vera, se nas áreas nobres a situação já é complicada, nos bairros populares a situação é ainda pior. ” Como a prefeitura permite? Esses ninhos de rato eram aéreos, mas agora ficam nas calçadas e nos telhados das casas da periferia”, reclama. “Situação absurda, e ninguém faz nada”, diz.

Veja abaixo, outros problemas urbanos no Recife, alguns que são demandas da leitora Vera Silva.

Leia também
Fiação vira esculhambação no Recife
Descalabro na fiação e nas conexões
Prestadoras de serviço: descalabro
Cadê a sinalização? E o respeito à vida?
“Armadilha”  junto ao meio-fio
Esgoto incomoda no Espinheiro
E o pedestre como é que fica?
Demandas urbanas: abrigos de ônibus oferecem riscos aos passageiros
Prédio da antiga escola Pinto Júnior está em ruínas
Prestadoras de serviço: descalabro
Prestadoras de serviço e buraqueira
Poluição sonora incomoda moradores do centro e Zona Norte
Lei seca e o barulho inferna das motos

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Letícia Lins e Vera Silva / Cortesia

 

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.