Reforço para ideia criativa e sustentável

Se você tem uma ideia criativa marcada pela sustentabilidade, que tal executá-la?   Se você tem uma empresa com agenda ESG, uma organização não governamental, instituição financeira ou trata-se de um proponente de qualquer natureza, a hora é essa, para fazer valer sua proposta. É que estão abertas as inscrições de ideias inovadoras para o ciclo de aceleração de 2022 do Laboratório Global de Inovação em Finanças Climáticas (Global Innovation Lab for Climate Finance – o Lab).

O programa global, que conta com um capítulo brasileiro, busca propostas que ofereçam soluções para gargalos financeiros relacionados a questões climáticas em países em desenvolvimento como o Brasil. As inscrições podem ser feitas até o dia 22 de dezembro no site do Lab . As ideias selecionadas serão anunciadas em março de 2022. Não há restrição do perfil de proponentes. No dia 18 de novembro, o Lab realiza um webinar em português para explicar os detalhes do programa e tirar dúvidas sobre o processo de inscrição e seleção.

Em 2022, o Lab vai acelerar seis ideias de instrumentos financeiros. Dois com foco setorial: um em sistemas sustentáveis de produção de alimentos e outro em adaptação climática. Três vagas são para os programas regionais do Brasil, da Índia e da África Austral (que inclui Angola e Moçambique). A sexta vaga é para a melhor ideia independente do setor ou da geografia. As propostas são selecionadas com base em quatro critérios: capacidade de ação, inovação, potencial catalisador e sustentabilidade financeira. Essas ideias recebem sete meses de consultoria para desenvolvimento, design e análise de mercado.

Além disso, contam com o apoio da rede de líderes de instituições públicas e privadas e também dos especialistas do Climate Policy Initiative. Em 2021, das seis ideias globais, duas das escolhidas foram do Brasil: o Guarantee Fund for Biogas (GFB) , primeiro fundo de garantia ambiental do país, proposto pela Associação Brasileira de Biogás (ABiogás) e o Amazônia Sustainable Supply Chains Mechanism (AMSSC), fundo de crédito para fornecedores de insumos com práticas sustentáveis na Amazônia, proposto por Natura e Mauá Capital. Juntas, as iniciativas estimam destravar inicialmente cerca de US﹩ 100 milhões em investimentos sustentáveis.

O Lab é uma iniciativa de mais de 70 investidores que acelera soluções de investimentos para apoiar o desenvolvimento sustentável em mercados emergentes. Desde 2014, já lançou 55 instrumentos, comemorando esse ano a marca de mais de US﹩ 2,5 bilhões em recursos mobilizados. O Brasil tem sido estratégico para o Lab, com dez instrumentos acelerados no país. O Global Innovation Lab for Climate Finance identifica, desenvolve e lança instrumentos financeiros inovadores que podem direcionar bilhões em investimentos privados para ações sobre mudança climática e desenvolvimento sustentável. Em 2021, recebeu o UN Global Climate Action Awards. O Lab é financiado pelos governos da Alemanha, Holanda, Suécia e Reino Unido, além da Fundação Rockefeller. A gestão é do Climate Policy Initiative.

A foto é do Aqualuz, instalado em uma cisterna na caatinga pernambucana. O equipamento purifica a água acumulada na reservatório doméstico, usando apenas a luz solar. Sem produto químico. Você confere a informação às 14h, em uma outra postagem, aqui no #OxeRecife.

Leia também
Empresa de energia solar (Insole) paga conta por uma boa ideia
Ventos que transformam no Agreste
Energia a partir dos ventos e água para quem tem sede no Agreste
Longe dos ataques verbais de Brasília, Amazônia e Nordeste se entendem
Mudanças climáticas: Caatinga cada vez mais seca e Sertão quase sem água
Prêmio para quintais agroecológicos 
Por um milhão de árvores na Amazônia
Reforço para pequeno produtor
Ministro manda oceanógrafo para caatinga. E o Sertão já virou mar?
Crise hídrica: ” tenho sede” e “esta sede pode me matar”, adverte Gilberto Gil
Cisternas mudam a vida dos sertanejos
MapBiomas confirma alerta feito há meio século: “O Rio São Francisco está secando”
Falta d´água é entrave ao crescimento
No Sertão, palhada da cana alimenta o gado de 51 mil criadores
Degradado, Sertão vai ganhar ação de reflorestamento em 2021
Caatinga ganha 321 mil árvores nativas 
O Rio São Francisco está secando
MST: Da ocupação de terras ao plantio de 100 milhões de árvores

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Adel / Divulgação / Acervo #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.