Zé de Vina, mestre mamulengueiro, ganha homenagem em Glória do Goitá

Ele é um dos mais importantes mamulengueiros de Pernambuco. Aos 81 anos e 70 de história no mundo mágico do teatro de bonecos, Zé de Vina ganha uma merecida homenagem. São diversas ações, que se estendem até março de 2022. Capitaneada pelo Museu do Mamulengo e pela Associação Cultural de Mamulengueiros de Glória de Goitá, a iniciativa prevê apresentações e oficinas (presenciais e virtuais) e até uma grande exposição com a coleção de bonecos do famoso brincante. O acesso a todas as atividades é gratuito.

O projeto é o 80 anos do Mestre Zé de Vina – o derradeiro ato, que tem como missão homenagear aquele que é um dos maiores brincantes da cultura popular brasileira. As ações dos próximos cinco meses serão online, já que a pandemia obrigou a coordenação do projeto a readaptar a programação anteriormente planejada. Então, fique ligado nas redes sociais do @museudomamulengo. O projeto começou no dia 01 de junho de 2021 e vai até o dia 30 de março de 2022. A Coordenação Geral do projeto é de @pablodantasoficial e a Produção Executiva é de @mestratitinha. O projeto conta com o incentivo do Funcultura/Fundarpe – Governo de Pernambuco. José Severino dos Santos  nasceu no dia 14 de março de 1940, em Glória do Goitá,   68 quilômetros do Recife. Produtor de mandioca, o  município é  conhecido também como a capital estadual do mamulengo. Tem até um museu dedicado ao tema que, em anos normais, recebe 3 mil visitantes/ ano.

O museu funciona em um galpão, onde no passado funcionava um mercado de farinha.  Em  2020, o Mestre Zé de Vina completou 80 anos e comemorou junto com a Associação Cultural dos Mamulengueiros e Artesãos de Glória do Goitá.  Porém a pandemia atrapalhou o plano de grandes festejos. O mestre dedicou a sua vida ao Mamulengo, chegando a ser considerado o brincante mais antigo em atividade no estado. Porém agora está doente e afastado dos palcos. Vive com a família e com seus bonecos. Por seu gigantesco conhecimento sobre a brincadeira, é reverenciado por todos os artistas, estudiosos e amantes da Cultura Popular brasileira. Ele é filho de agricultores,  Severina Antônia da Conceição e de Manuel Firmino dos Santos. A mãe era conhecida pelo apelido de Vina. Por esse motivo, em Glória do Goitá, todos o conhecem pelo nome de Zé de Vina. No interior do Nordeste é comum que os nomes de pai ou mãe se tornem referência, para identificar os descendentes.

Ainda criança, ele era levado pelo irmão Sebastião Cândido para brincar Mamulengo. O teatro de fantoche logo lhe despertou fascínio. E fez dele a razão do seu viver. Mestre Zé de Vina é fonte de estudos acadêmicos, colaborando com pesquisadores de todo o Brasil. Já fez inúmeras reportagens e deu centenas de entrevistas, participou de dezenas de catálogos e fez milhares de apresentações durante todo esse tempo. Ele fundou o Mamulengo Riso do Povo em 10 de outubro de 1957. Seus bonecos marcaram a história das festividades da Zona da Mata de Pernambuco, onde a presença do mamulengo é forte ainda hoje. Seu teatro esteve praticamente em  todas as edições de festas tradicionais da região, nos últimos 50 anos. Sempre levando humor e diversão, ora inspirado em tipos populares do interior, ora criando personagens mágicos.

Infelizmente, aos 81, Zé de Vina está doente,  usa cadeira de rodas e se aposentou. Ou seja, não brinca mais, motivo pelo qual o nome da homenagem inclui a palavra “derradeiro”. Em 2016, o Mestre Zé de Vina recebeu do Iphan o Prêmio Teatro de Bonecos Popular do Nordeste. Em 2017, foi agraciado com o prêmio Cultura Populares – edição Leandro Gomes de Barros, do Ministério da Cultura. Durante toda a sua vida, dedicou-se ao teatro de fantoches.

Zé de Vina é  brincante  mamulengueiro mais idoso no estado. Por seu gigantesco conhecimento sobre a brincadeira, é reverenciado por todos os artistas, estudiosos e amantes da cultura popular brasileira. Em Glória do Goitá, mamulengueiros e artesãos decidiram homenagear o artista, dando seu nome à Escola Pernambucana do Mamulengo fundada, em 2020. A escola é uma forma de preservar os ensinamentos de Zé de Vina e dos outros mamulengueiros que fazem dessa arte uma missão.

Leia também:
Mamulengueiros tradicionais se rendem ao mundo virtual
Bonecos fazem a festa em Casa Forte
 Dia do Artesão: Viva Miro dos Bonecos
Resgate do mamulengo pernambucano
Fotógrafos documentam mamulengos
“Para tocar o coração das pessoas”
A festa mágica dos bonecos
Tacaruna: Exposição de “bonecos gigantes de Olinda” que, no entanto, são do Recife
Bonecos gigantes: Não confunda alhos com bugalhos
Bonecos gigantes: Crise de identidade
A festa do trio de bonecos gigantes
Bora Pernambucar chega ao fim com encontro de bonecos gigantes
Zé Pereira festeja cem anos no Recife
A Zé Pereira, com festa e com afeto
Mão Molenga no Ricardo Brennand
Sesc prorroga expô do Mão Molenga
Mão Molenga é um sucesso
O Mané Gostoso de Saúba
Galpão das Artes e brinquedo popular
Galpão das Artes faz a festa em Limoeiro

Olinda entra na festa dos bonecos

Serviço
O quê – 80 anos do Mestre Zé de Vina – o derradeiro ato
Onde – Museu do Mamulengo de Glória de Goitá e Internet
Transmissão ao vivo (live): Mió TV Comunicação
Grupos que se apresentam : 
Mamulengo Riso do Povo (Mestre Zé de Vina), Mamulengo Arte da Alegria (Mestre Bel), Teatro História do Mamulengo (Mestre Bila), Mamulengo Nova Geração (Mestra Titinha).
AtivIdades:
Exposição de Bonecos (Segunda à sexta / 9h às 12h e 14h às 17h)
Espetáculo de Mamulengos (Mediante agendamento ou quantitativo de público presente)
Oficina de Mamulengo: A arte do boneco popular brasileiro
Espetáculos (sempre às 15h) : 20 junho de 2021 (online), 25 de julho 2021 (online), 29 de agosto 2021 (online), 27 de setembro 2021 (online), 25 de outubro 2021 (online), 24 de novembro 2021 (presencial), 23 de dezembro 2021 (presencial), 27 de janeiro de 2022 (presencial, 24 de fevereiro de 2022 (presencial), 24 de março de 20221 (presencial).
Oficinas aos domingos (14h às 15h): 20 junho de 2021, 25 de julho 2021, 29 de agosto 2021, 27 de setembro 2021, 25 de outubro 2021. Todas online.
Oficinas as terças-feiras (09h às 12h): 09 de novembro 2021, 07 de dezembro 2021, 11 de janeiro de 2022 , 08 de fevereiro de 2022, 15 de março de 2022. Todas presenciais.
Contatos:  Pablo (081) 9 8803-4169 e Edjane Lima: (081) 9 9993-0139.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Acervo #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.