Semana do Meio Ambiente: Petrolina ganha 7 mil mudas nativas da caatinga

Marizeiro, ingazeiro, pau ferro,  umbuzeiro, paineira, ipê roxo e caraibeira. Estas são algumas das espécies das 7 mil mudas que serão plantadas a partir desse sábado (5/6) no município sertanejo de Petrolina, para assinalar a Semana do Meio Ambiente. Todas são nativas da caatinga, único bioma que é exclusivo do Brasil,  mas que enfrenta problemas graves e seculares, como o desmatamento e as secas. Ainda bem que é um sistema que possui um alto e curioso poder de regeneração. Ou seja, uma força da natureza que nos conforta.

Portanto, o plantio de 7 mil mudas só ajuda. Petrolina fica às margens do Rio São Francisco. Na beira do Velho Chico, tudo é lindo e verde. Mas à medida que a distância aumenta de suas margens, a vegetação vai se tornando mais escassa e ressecada, principalmente nas grandes estiagens. As mudas foram doadas pela Agrovale, que fica em Juazeiro (BA). Essas mudas se destinam às margens do Rio São Francisco, que ficam em perímetro urbano.

O que também é bom, porque Petrolina é uma cidade urbanizada, com avanço cada vez maior da selva de concreto, a exemplo do que ocorre nas capitais. O plantio resulta de parceria com a Prefeitura, através do  Programa Orla Nossa – Cidades Ribeirinhas,  que funciona no município, localizado a  713 quilômetros do Recife. A ação, ao longo do Rio, integra o projeto socioambiental Viveiro de Mudas Nativas da Agrovale, que completou 13 anos com a marca de 400 mil mudas doadas para 45 municípios de quatro estados do Nordeste: Bahia, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

A doação de mudas vem ampliando a cobertura verde das cidades e contribuindo para uma maior conscientização e sustentabilidade ambiental da biodiversidade regional.  A Agrovale é a maior produtora de açúcar, etanol e bioeletricidade na Bahia.  E possui 17 mil hectares cultivados com cana.  Porém, de acordo com a empresa, há 26.200 outros hectares, que possuem cobertura vegetal nativa, e que incluem  Reserva Legal, Áreas de Preservação Permanente (APP) e vegetação nativa remanscente.  Na Zona da Mata, a monocultura açucareira praticamente devastou a Mata Atlântica. No Sertão, a empresa tem se esforçado para repor espécies nativas na caatinga, destinando uma área de 2 hectares com mudas de mais de 70 espécies do bioma. “Neste Dia Mundial do Meio Ambiente estamos fazendo o que mais gostamos: a preservação dos ecossistemas da Caatinga e das matas ciliares do Rio São Francisco”, afirma Thaisi Tavares, Coordenadora de Meio Ambiente da Agrovale.

Leia também:
Caatinga ganha 312 mil árvores nativas
Ponto de apoio para ciclistas
Degradado, Sertão do Araripe vai ganhar ações de reflorestamento em 2021
Velho Chico recebeu 200 mil  peixinhos
Caatinga, bioma único, comemora oito anos de Estação
Semana do Meio Ambiente tem plantio de 3 mil mudas
No dia da Caatinga, nada como conhecer melhor o Sertão de Pernambuco
Coca-Cola planta 100 mil árvores. Promessa era 600 mil
Coca-Cola planta 600 mil árvores. Que bom se fosse no Recife do arboricídio
Cepan: Dois milhões de árvores plantadas
Movida planta um milhão de árvores
Mata Atlântica ganha viveiro para produção anual de 100.000 mudas
Cabo ganha 7.450 árvores até 2022
Cerrado ganha corredor ecológico
Esso decide plantar 20 mil árvores para proteger mico-leão-dourado
Legado das Águas: A festa da natureza
Visite o Legado das Águas nas férias
Borboleta rara no Legado das Águas
Antas albinas mobilizam pesquisadores
A 10.000ª espécie ameaçada
Dia Internacional da Biodiversidade exige pausa para reflexão no Brasil
O Dia Mundial das Abelhas
Mata Atlântica: Pernambuco fez o dever de casa
Pandemia e natureza: animais silvestres ocupam áreas urbanas vazias
Pandemia e a volta das capivaras
Movida planta um milhão de árvores
Mata Atlântica ganha viveiro para produção anual de 100.000 mudas
Cabo ganha 7.450 árvores até 2022
Por um milhão de árvores na Amazônia
Festival de Aves no Sul da Bahia
A inédita visita do sabiá ferreiro
A volta do jacu
“Arca de Noé” protege corais ameaçados
Ambientalistas preocupados: só restam 1.300 muriquis
Recife ficará mais verde até 2021
Parem de derrubar árvores (171)
Quatro milhões de canudos a menos no mercado
Nestlé quer embalagem biodegradável
Praia dos Carneiros ganha aliado contra o turismo predatório
Dragão, tambor e limpeza no Rio 
Catadores tiram 5 milhões de latinhas deixadas pela folia em Olinda Recife
Água mineral em copo biodegradável
Maquininha de passar cartão com plástico das praias
Lixo plástico vira cinema nas escolas
Plásticos nas praias viram embalagens
Canudos plásticos de praias viram óculos: a natureza agradece
Nestlé quer plástico biodegradável
Noronha reforça Plástico Zero
Campanha contra plástico rende prêmio
Agreste contra o óleo: “O Mar nos une” 
Emergência climática: Recife mais verde é balela. Parem de derrubar árvores
O Recife tem quantas árvores?
Parem de derrubar árvores (237). Quarteirão pelado na Madalena
Parem de derrubar árvores (238). Golpe de misericórdia na Madalena
Recife ficará mais verde até 2021
Parem de derrubar árvores (171)
Quatro milhões de canudos a menos no mercado
Nestlé quer embalagem biodegradável
Visite o Legado das Águas nas férias
Praia dos Carneiros ganha aliado contra o turismo predatório

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Carlos Laerte /  Divulgação /Clas / Agrovale

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.