Água de reuso no Shopping Recife irriga jardins e rende economia a lojistas

No Agreste e no Sertão, onde a água é escassa, as pessoas sabem aproveitar a que vem da chuva, armazenando-a em cisternas espalhadas pela caatinga, que muito contribuíram para mudar a face do Semi Árido no Nordeste. Em Santa Cruz do Capibaribe, em época de extrema seca, quando faltava água até para argamassa na construção civil, vi indústrias que colocavam tonéis sob os aparelhos de ar condicionado para aproveitar a água que pingava. Era usada em lavagem das dependências das fábricas, incluindo os banheiros.  Ou seja, a escassez impõe o estrago zero. O município fica a 192 quilômetros do Recife e integra o Polo de Confecções do Agreste.

Nos centros urbanos, no entanto, a marca ainda é do desperdício. É mínimo o percentual de prédios ou mesmo residências que armazenam a água da chuva, embora já sejam observadas algumas iniciativas nesse sentido, quase sempre com caráter experimental. Mas, pelo menos, o reuso já é uma realidade. Na Semana do Meio Ambiente, um exemplo que vem de um grande centro de compras, no caso, o Shopping Center Recife, que acaba de ampliar sua Estação de Tratamento de Efluentes. Com a ETE, o shopping processa por mês 20.000.000 de litros de água por mês, destinando 500 mil para reuso. O centro de compras fica em Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

Gerente de Operações do Shopping, Luís Remígio, destaca o reuso da água e a energia eólica, que abastece o centro de compras.

Com a medida, o Shopping Recife faz uma economia de R$ 50 mil anuais, que são abatidos na taxa de condomínio.  A ETE foi  criada em 2015, e  gradativamente vem potencializando seus resultados. Os 500 mil litros de água para reuso, são utilizados na irrigação dos mais de 37 mil metros quadrados de área verde do mall.   Com a ampliação do sistema, a capacidade de tratamento chega a 27,2 metros cúbicos (27,2 mil litros) por hora. O resultado diminui o impacto na rede pública de esgoto do Recife, onde o serviço de saneamento atende a apenas 30 por cento do total de domicílios.  A  ETE trata 100% do efluente gerado dentro da estrutura. Segundo o Shopping, atende a todos os parâmetros exigidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

“Ao tempo que atenua o impacto ambiental, com a diminuição do uso dos recursos naturais e desafoga o sistema público de esgoto, a nossa estrutura de tratamento de efluentes ainda tem desdobramentos econômicos, explica Luís Remígio, gerente de Operações do Shopping Recife,lembrando a economia proporcionada a lojistas.  Outra inovação está no setor de energia, que lança mão de fontes renováveis. “Atualmente, 100% da energia consumida pelo mall no mercado é fornecida pela Brennand Energia, sendo gerada por turbinas eólicas do Parque Eólico da Serra do Fogo, na Bahia”, informa o centro de compras.  Ainda entre as práticas cotidianas capazes de reduzir o consumo elétrico, está o sistema de climatização do shopping, que se dá por meio do uso de Tanque de Água Gelada (TAG). Com capacidade de 6 milhões de litros, o equipamento refrigera a água durante a madrugada, que é utilizada no processo de climatização durante o dia e horários de pico.

Shopping Recife amplia ETE e proporciona reuso de água, com economia anual de R$ 50 mil. Bom para lojistas.

Segundo o Shopping, a preocupação com a economia de energia também está presente em claraboias, que permitem a iluminação natural em vários pontos do centro de compras. Além disso, toda iluminação interna e externa do empreendimento é em LED, reduzindo o consumo de energia elétrica em mais de 50%, com consequências positivas tanto para o meio ambiente quanto para a redução de custo. “Existem outras ações que estamos realizando para ajudar a desenhar esse caminho sustentável e trazer benefícios não apenas para o nosso negócio, mas também para a sociedade e o meio ambiente. Temos um compromisso com o futuro e acreditamos que medidas precisam ser implementadas agora”, completa o gerente de Operações.

Leia, nos links abaixo iniciativas de empresas em defesa do meio ambiente

Leia também:
Cisternas mudam vida dos sertanejos
Ventos que transformam no Agreste
Energia a  partir do vento e água para quem tem sede no Agreste
Empresa de energia solar (Insole) paga conta de luz por uma boa ideia
Dell anuncia mouse de plástico reciclado a partir de embalagens PE
Óculos ecologicamente corretos feitos com plásticos colhido no mar
Canudos plásticos das praias viram óculos. A natureza agradece
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Plásticos nas praias viram embalagens
Xô, plásticos. A vez das canecas
O lixo que virou lixeira
Reciclagem de plástico rende utensílios domésticos e corrimão nos morros
Quatro milhões de canudos a menos no mercado
Dia Internacional sem sacos plásticos. Vamos nessa?
Nestlé quer embalagem biodegradável
Campanha contra plástico rende prêmio
Plásticos poluem Boa Viagem
Mutirão espontâneo contra o lixo
Plásticos viram vilões das tartarugas
Colete três plásticos na areia
Maquininha de passar cartão feita com plástico reciclado do mar
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza em seis estados
Startup faz campanha contra lixo
Prêmio de R$ 50 mil para quem no mundo melhor limpar sua comunidade
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Catadores tiram 5 milhões de latinhas deixadas pela folia em Olinda
Brasil tem camisa carbono zero
Lixo plástico vira cinema nas escolas
As garrafas biodegradáveis da Bacardi
Água mineral copo biodegradável
Reciclagem de esponjas poupa natureza
Boa ação na coleta de… sutiãs
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza
Do lixo ao luxo
Pneus na guerra contra o lixo
Não jogue lixo eletrônico no Capibaribe
Troque o lixo eletrônico por plantas
A reciclagem da Renova Ecopeças

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Thiago Medeiros / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.