Dell anuncia mouse de plástico reciclado a partir de embalagens PET

A ideia não é nova.  Só que agora é politica e ecologicamente correta. E claro, toda empresa faz questão de divulgar iniciativas que contribuam para poupar o meio ambiente. Mas lembro que nos anos 80 do século passado, o empresário Belarmino Alcoforado (1946-2020) apresentava o primeiro computador cem por cento pernambucano: o Corisco, que fez história no Brasil. Fui, então, entrevistar o também fundador da empresa Elógica, que me fez uma revelação, pedindo que não a noticiasse, ou seja, que a mantivesse “em off” para “não comprometer” a qualidade do seu produto.

Tudo porque ele aproveitava plásticos descartados, reciclava e usava na confecção do equipamento, cujos monitores ficavam em caixas semelhantes aos antigos aparelhos de tubo, das televisões analógicas. Na verdade, o homem era um visionário e estava anos à frente de muita gente, que só agora começa a tomar medidas como a que ele já tinha implantado silenciosamente há tanto tempo. Lembrei desse episódio, porque ninguém menos que a Dell Brasil divulgou notícia nesta semana, segundo a qual “transforma lixo plástico em acessório para computadores”. Ou seja, coisa que o nosso saudoso amigo já fazia silenciosamente. Na  época, como forma de baratear o custo da produção do Corisco, que serviu a tanta gente e a tantas empresas.

Os plásticos viraram problema nos oceanos, nos rios, nas lagoas, riachos, canais.  E reciclar é  cada vez mais necessário

A Dell informa que, a  partir desse mês, todos os desktops da linha Optiplex  produzidos e comercializados no Brasil virão com um mousepad produzido a partir de 140 toneladas de garrafas PET descartadas de forma indevida no ambiente. As garrafas plásticas – os maiores vilões da natureza desde o século 20 – foram recolhidas em em mares, rios, florestas, lagoas. A iniciativa é parte do programa global Progress Made Real, no qual a empresa estabeleceu “uma série de medidas até 2030 para resolver grandes problemas da sociedade”. Na verdade, a empresa não faz mais que a obrigação, pois o lixo tecnológico é outro problema no meio ambiente.

Os mousepads serão produzidos pela empresa Ecoplaca. A Dell informa, no entanto, que desde 2014, os computadores da linha OptiPlex, produzidos pela Dell Technologies em Hortolândia (SP), já são fabricados “seguindo as mais rigorosas regras de sustentabilidade”. E contêm 41% de plástico reciclado na sua composição. O programa Progress Made Real é uma iniciativa global da Dell Technologies. Em linha com a missão da companhia de criar um impacto positivo na sociedade, foram definidas metas para 2030 em três frentes principais: promoção da sustentabilidade, cultivo da inclusão e transformação de vidas por meio da tecnologia.

Na frente de sustentabilidade, a empresa prevê que, até o final desta década vai tomar pelo menos  cinco iniciativas: Reciclar um produto equivalente para cada unidade vendida; liderar a economia circular com mais da metade de todo do material utilizado para produção de novos equipamentos sendo reciclados ou renováveis; usar 100% de materiais reciclados ou renováveis em todas as embalagens; oferecer programas de desenvolvimento de habilidades visando o futuro para trabalhadores na cadeia de suprimentos.

E ainda: conduzir um programa abrangente para questões climáticas baseado em ciência, definindo metas de emissão nas fábricas, na cadeia de suprimentos e nas operações para o uso dos clientes de nossos produtos, incluindo parcerias com fornecedores para atender à meta de redução de emissões de gases do efeito estufa em 60% por receita de unidade até 2030.  Particularmente, trabalho há muito tempo com computadores da Dell, pois admiro a sua resistência. Com iniciativas voltadas para a preservação do meio ambiente, agora é que não mudo de marca mesmo. Mas faltou, claro, criar uma rede ou campanha de recebimento de materiais eletrônicos descartados, como baterias, circuitos internos, placas entre outros.  A natureza agradece.

Veja, abaixo, outras iniciativas para retirada de plásticos na natureza.

Leia também:
Óculos ecologicamente corretos feitos com plásticos colhido no mar
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Canudos plásticos de praia viram óculos e natureza agradece
Plásticos nas praias viram embalagens
Xô, plásticos. A vez das canecas
O lixo que virou lixeira
Reciclagem de plástico rende utensílios domésticos e corrimão nos morros
Quatro milhões de canudos a menos no mercado
Dia Internacional sem sacos plásticos. Vamos nessa?
Nestlé quer embalagem biodegradável
Campanha contra plástico rende prêmio
Plásticos poluem Boa Viagem
Mutirão espontâneo contra o lixo
Plásticos viram vilões das tartarugas
Colete três plásticos na areia
Maquininha de passar cartão feita com plástico reciclado do mar
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza em seis estados
Startup faz campanha contra lixo
Prêmio de R$ 50 mil para quem no mundo melhor limpar sua comunidade
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Catadores tiram 5 milhões de latinhas deixadas pela folia em Olinda
Brasil tem camisa carbono zero
Lixo plástico vira cinema nas escolas
As garrafas biodegradáveis da Bacardi
Água mineral copo biodegradável
Reciclagem de esponjas poupa natureza
Boa ação na coleta de… sutiãs
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza
Do lixo ao luxo
Pneus na guerra contra o lixo
Não jogue lixo eletrônico no Capibaribe
Troque o lixo eletrônico por plantas
A reciclagem da Renova Ecopeças

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Dell / Divulgação e PCR (Acervo #OxeRecife)

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.