De aparência imponente no passado, o Chalé do Prata hoje está em ruínas

Licitação para restauração do velho Chalé do Prata será ainda em 2021

Depois que noticiei, aqui, a restauração da famosa Casa dos Azulejos Azuis, em Salvador, me veio logo a lembrança do Chalé do Prata, aquela relíquia da nossa arquitetura que está em ruínas, ao lado do Açude do Prata, em área pertencente ao Parque Estadual de Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife. O solar já teve seus tempos de glória, como vocês podem perceber na foto acima.

Há até quem diga que nele morou a lendária Branca Dias, pois as terras do Pedi eram, no passado, pertencentes ao seu engenho. Há informações em folhetos turísticos dizendo isso. Mas é falso. Branca chegou ao Brasil no século 16, e o chalé foi erguido no século 19, por ocasião da instalação da Companhia Beberibe das Águas, a Compesa daquele tempo. E que foi responsável pela implantação do primeiro sistema de distribuição de água no Recife. As tubulações captavam a água do Açude do Prata, levando-a para chafarizes no bairro da Boa Vista. A reforma do Chalé do Prata foi anunciada ainda em 2015. Desde então, nada avançou, o que é uma pena. Pois a edificação é belíssima.

A edificação fica ao lado de um açude no meio da Mata Atlântica. Ou seja, uma paisagem deslumbrante. Um verdadeiro cartão postal. O chalé é tombado pelo estado, mas como está no interior do Pedi, sua gestão fica sob responsabilidade da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade. Segundo a Semas, nem mesmo a licitação chegou a acontecer, em 2015,  porque a documentação não estava completa.

De acordo com a Semas-PE, a licitação não ocorreu “devido à falta de projetos executivos e complementares, necessários para a realização de uma obra com recursos públicos”. Segundo a Semas, “o que estava disponível era apenas o projeto arquitetônico”. Conforme a Semas, “diante da necessidade de cumprir essa etapa, a Secretaria deu início ao processo de contratação da empresa especializada para elaborar tais projetos”. Em dezembro de 2019, a Semas recebeu recursos de compensação ambiental na ordem de R$ 221,6 mil para isso. Previa abrir a licitação no início de 2020.  Mas a chegada da pandemia atrapalhou o processo, pois ficou vetada a celebração de contratos para contratação de serviços de consultoria técnica. Também não está autorizada a prorrogação ou renovação de contratos vigentes.

Felizmente, em 2021, a Resolução estadual 01/2021 trouxe novas regras, que permitiram a retomada do processo de contratação de empresa especializada para confecção do projeto executivo e dos complementares. A licitação deve ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano. No Chalé, deverá ficar a administração do Pedi e, quem sabe, um museu sobre abastecimento e saneamento. Vamos torcer. O chalé do Prata não pode cair. Seus alpendres e o telhado já desabaram, as janelas e portas estão corroídas pelo cupim e dos lambrequins que tanto charme lhe emprestavam não resta mais quase nada. Uma pena, uma pena mesmo.

Leia também:
Reformada, Casa dos Azulejos Azuis muda paisagem no centro de Salvador
Pouco resta do lindo Chalé do Prata

Chalé do Prata começa a desabar
Conhecendo a Mata Atlântica
Casarão do Açude do Prata perto da restauração 
Vai sair a reforma do Chalé do Prata
Parque Dois Irmãos triplica de tamanho
O refúgio das preguiças perdidas 
O estrago do bambu na Mata Atlântica
Histórica, Praça Maciel Pinheiro vive decadência e o abandono
Parque Dois Irmãos triplica de tamanho
Veja a flora do Sertão em Dois Irmãos
Recife: saneamento, atraso e “tigreiros”

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Internet e Antônio Gomes Neto (cortesia)

Compartilhe

2 comentários

  1. Relíquia arquitetônica do século 19, merece sua preservação e recuperação urgente! O Chalé do Prata faz parte da memória afetiva dos estudantes e residentes da UFRPE e dos moradores da região circuvizinha. Muitas vezes saíamos em comitiva da residência estudantil “casa 2” na madrugada ou nas primeiras horas do amanhecer para tomar banho no açude do Prata, experiência maravilhosa. Todo “xepeiro” de verdade da UFRPE já o visitou junto com o açude do Prata. O Chalé sempre fez parte da paisagem, sua deterioração parece ser cada vez mais irreversível. Fiquei feliz quando foi anunciado anos atrás que sua área passou a integrar o Parque Estadual Dois Irmãos e seria revitalizado, infelizmente como tudo público, ficou no papel e na promessa.

  2. Letícia Lins, aproveita o gancho dessa matéria do Chalé do Prata e faz uma matéria sobre à quantas anda o projeto de revitalização e transformação do Parque Dois Irmãos em Bioparque. Já há um apanhado de informações pra se apensar em uma matéria aqui no blog OxeRecife. Recentemente o Secretário do SEMAS anunciou o início da transferência dos animais exóticos do Parque para outros espaços parceiros. O Parque Estadual Dois Irmãos irá iniciar uma nova filosofia focada nos animais dos biomas tradicionais do estado e da região Nordeste, segundo entrevistas recentes do Secretário José Bertotti do SEMAS.
    Final do ano passado o BNDES recebeu pedido para iniciar a elaboração de projeto técnico para incluir o Parque Dois Irmãos na carteira de concessões federais, existem diversas matérias em periódicos de renome no país e estado com essa informação. Pelo que vejo, vão revitalizar a área do Chalé do Prata, possivelmente integrar a nova área ao Parque Estadual Dois Irmãos e conceder a gestão à iniciativa privada.

    Muitas mudanças já ocorreram e estão ocorrendo: A entrada já foi reajustada dos 2,00 reais para 5,00 reais; os animais exóticos (não nativos da nossa fauna) já estão sendo expulsos; já há um chamamento público para o BNDES elaborar projeto e o Parque entrar na carteira de concessões federais; a área e reserva onde fica o chalé e açude do Prata já foi integrado ao parque; a licitação de revitalização do Chalé pode sair em 2021; O Governo do Estado e a Prefeitura do Recife não tem demostrado interesse em investir no local, o projeto do Bioparque é algo grandioso e estar paralisado, ao que tudo indica será entregue mesmo a iniciativa privada por concessão pra na contrapartida se investir e tirar o antigo projeto do Bioparque Dois Irmãos do papel.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.