Ruas inundadas e Capibaribe caudaloso

Haja água. Desde a última sexta-feira, o Recife acumulou 292 milímetros de chuvas, o que equivale a 89 por cento da quantidade prevista para todo o mês de abril, cuja média histórica é 326,3 milímetros. Vários bairros ficaram alagados e o transtorno só não foi maior porque o temporal aconteceu no final de semana. A Prefeitura informou que mais de mil profissionais estão mobilizados, para minorar os efeitos do inverno no Recife. E que equipes da Cttu, Emlurb e Defesa Civil estão em regime permanente para minorar os efeitos do temporal. Foram tantas ruas alagadas que a gente até perdeu a conta.

Mas de acordo com a Prefeitura, há uma década a cidade tinha 180 pontos de alagamento, 110 dos quais já teriam sido resolvidos, conforme informa Prefeito João Campos (PSB). Porém alguns desses lugares que sofreram intervenção, como a Praça de Casa Forte, por exemplo, ficou tão alagada quanto antes das obras realizadas na gestão passada. ”Ainda temos 70 pontos mais críticos, que fazem parte do plano de contingência para serem resolvidos com investimentos que a gente tem projetado para fazer ao longo dos próximos anos”, afirmou o socialista.

A Defesa Civil do Recife registrou 326 chamados da população até a madrugada desta segunda-feira (12), entre solicitações de colocação de lonas e pedidos de vistorias.  As equipes estão de prontidão para atender os chamados, que devem ser feitos pelo 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento acontece 24h por dia.  A Emlurb registrou, durante o final de semana, 38 ocorrências com árvores, todas já solucionadas. Nesta segunda (12), foram registradas mais dez ocorrências.

Das doze, duas já foram solucionadas para desobstruir as vias. As oito restantes estão com os trabalhos em andamento.  O excesso de chuva levou temor às populações ribeirinhas devido  ao aumento do volume do Rio Capibaribe. Residente na comunidade de Areal, em Apipucos, Antônio Gomes Neto informou que há tempo não via o Capibaribe tão caudaloso.  “Nem naquele temporal de março ele encheu tanto”, disse. “Tive medo, porque  é agua demais”, completou.

Também levou apreensão e desespero aos morros. No Ibura, uma barreira deslizou, levando a casa do pedreiro José Cláudio Batista, que – em minutos –  perdeu tudo que levou uma cida para construir. Felizmente não houve vítimas fatais, mas uma filha dele, de 14 anos, foi atingida pelos escombros. Ele teve ferimentos leves e foi resgatada pelo próprio pai. A Prefeitura anunciou os trabalhos da Ação Inverno, iniciada em janeiro com a limpeza dos 99 canais que cortam a cidade. Até agora, 29 canais foram limpos e outros 12 estão com a intervenção em andamento, e mais de 30 mil toneladas de resíduos foram retiradas. Ou seja, 30 milhões de quilos.  Infelizmente, no entanto, a população permanece utilizando os canais como lixão. Aí, quando a chuva chega…já viu.

Leia também:
Em três dias, 71 por cento da chuva prevista para todo o mês de abril
Temporal derruba oito árvores
Temporal derruba oito árvores
Praça de Casa forte perto do fim dos alagamentos
Águas pluviais e esgoto doméstico: quando tudo se mistura sob o chão
Chuva (de seis horas) equivalente ao previsto para dez dias do mês de março
Cinco dias de chuva que valem por cinco
Chuvas: Jacarés ganham ruas
Segunda feira de chuvas sem o romantismo dos blocos
Morros ganham parceria contra chuva
Chuva: Se precisar chame o 0800 0813400
Eventos adiados devido à chuva
Chuva adia caminhada do Forró e fecha equipamentos culturais do Recife
Urgente: Chuva fecha Jardim Botânico

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Antônio Gomes Neto / Cortesia

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.