Marginais roubam tudo, de escultura (de uma tonelada) a trator. Punição?….

Vejam só a que ponto chegam os marginais. Roubar um carro, uma bicicleta, um jumento ou um celular é uma coisa. Mas roubar uma escultura de 20 metros de comprimento e pesando uma tonelada, como a Serpente que sumiu  do Parque de Esculturas Francisco Brennand, no Recife, é outra coisa. Exige máquina, transporte, força, talvez até guindaste. E roubar um trator? Pois estão vendo essa foto aí de cima? É uma retroescavadeira, que – acreditem – havia sido roubada no município de Petrolina, localizado a 769 quilômetros do Recife.

Deve haver uma quadrilha especializada em roubar coisas grandes, pelo que se vê. A máquina, bem “leve”, foi recuperada pela Polícia Rodoviária Federal, na BR-232, à altura do município de Calumbi, distante 359 quilômetros de Petrolina e a 411 quilômetros do Recife.  Ou seja, o larápio estava levando o produto do roubo tranquilamente pela rodovia.  O alerta foi dado por um amigo do dono da retroescavadeira. Ele viajava pela BR, quando viu a máquina sendo transportada sobre uma prancha.

No Recife, ladrões levaram essa Serpente, de uma tonelada. No interior, roubaram um trator…E haja impunidade….

Os policiais iniciaram uma ronda e acharam a máquina roubada no quilômetro 383 da BR-232. O motorista apresentou nota fiscal falsificada do veículo, daquela se colar, colou. E disse que havia sido contratado para o transporte entre Petrolina e Caruaru. Os patrulheiros conseguiram localizar o proprietário do veículo, que informou que ela havia sido roubada na noite anterior. Seria um baita prejuízo.

O veículo, avaliado em R$ 120 mil, não tinha seguro. Quem  imaginaria que uma retroescavadeira seria tão fácil roubar uma máquina grande , pesada e barulhenta. Mas,enfim, aconteceu. A máquina já foi entregue ao proprietário, e o condutor foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Serra Talhada, que fica a 418 quilômetros do Recife.

Leia também:
Parque das Esculturas pilhado. Cadê a serpente que estava aqui?
Instituto Oficina Francisco Brennand: “O Recife não merece tamanho desrespeito”
Cuidado: carros clonado
Areia na BR para fugir de blitz
A “mentira” da fome e a realidade do lixão do Sertão que comoveu o Brasil
FPI: A despedida da vida no lixão
Operação gigante mobiliza Sertão
Das rodovias aos pequenos pacientes
Entre as BRs e o câncer das crianças
Teatro para educação no trânsito

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: PRF/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.