As garrafas “biodegradáveis” da Bacardi: “Decomposição em 18 meses”

Enquanto o governo federal cumpre sua polêmica agenda “ambiental” – com medidas que mais prejudicam do que ajudam a natureza – o que afasta parceiros comerciais importantes, grandes empresas fazem o caminho inverso. Todas sabem o quanto é necessário ter responsabilidade social e  iniciativas ecologicamente corretas. E que estas viraram, também, uma ferramenta para ganhar simpatia do consumidor e respeito no mercado. Inclusive no internacional. O #OxeRecife sempre abre espaço para iniciativas privadas, públicas e até individuais que ajudem na preservação dos mares, da flora, da fauna e colaborem para neutralizar as mudanças climáticas.

Agora é a vez da Bacardi, a maior empresa familiar de bebidas alcoólicas do mundo, que tem unidades inclusive no Brasil. E que, por longo tempo, marcou presença na Bacia do Pina, Zona Sul do Recife. A indústria acaba de anunciar a substituição das atuais embalagens por outras de material cem por cento biodegradável. Por ano, são  80 milhões de garrafas plásticas produzidas pela companhia. Infelizmente, no entanto, a implantação da iniciativa não é para já. A previsão é que os novos modelos sejam disponibilizados até 2023.”Além de lançar a nova embalagem de biopolímero, a empresa também se comprometeu a eliminar todo o plástico não essencial e de uso único, incluindo materiais para caixas de presente e pontos de venda, nos próximos três anos”, informa a Bacardi. Antes tarde do que nunca. O Rum Bacardi será o primeiro produto a “vestir” a nova embalagem.

Todas as ações  são válidas para evitar cenas como esta, que se espalham pelo mundo com velocidade alarmante.

De acordo com a Bacardi, a mudança é possível graças à colaboração com a Danimer Scientific, líder no desenvolvimento e fabricação de produtos biodegradáveis. Os plásticos à base de petróleo utilizados hoje pela Bacardi serão substituídos pelo Nodax™ PHA, um biopolímero derivado dos óleos naturais de sementes como palma, canola e soja. Quando comparada com uma garrafa plástica regular, que leva mais de 400 anos para se decompor, a nova garrafa produzida com Nodax™ PHA se desfaz em até 18 meses. Segundo a indústria, “sem deixar resíduos nocivos ao ambiente”. De acordo com a indústria, pelo menos 3 mil toneladas de plásticoconvencional deixarão de circular por ano.

Além da embalagem biodegradável, a Bacardi também está desenvolvendo uma garrafa de papel de fonte sustentável. Ao integrar o polímero Nodax™ PHA, esta solução alternativa terá credenciais ambientais igualmente fortes, garantindo que a qualidade e o sabor da bebida em uma garrafa de papel sejam “tão excepcionais” quanto na feita de vidro.  A indústria de bebidas informa que quer se tornar cem por cento livre do uso dos materiais plásticos utilizados hoje até 2030. “Não se trata de vantagem competitiva, mas sim de fazer a coisa certa para o planeta”, afirma Jean-Marc Lambert, Vice-Presidente sênior de Operações Globais da Bacardi. A Bacardi Limited foi fundada há 158 anos em Cuba, tem fábricas em onze países, 7 mil funcionários e suas 200 marcas e rótulos são comercializados em 170 países.

Veja, nos links abaixo, outras iniciativas para reduzir a presença dos plásticos na natureza e outras para minorar os prejuízos aos oceanos, matas e fauna.

Leia também:
Óculos ecologicamente corretos
Mar: mais plástico do que peixe em 2050
Canudos plásticos de praia viram óculos e natureza agradece
Plásticos nas praias viram embalagens
Xô, plásticos. A vez das canecas
O lixo que virou lixeira
Reciclagem de plástico rende utensílios domésticos e corrimão nos morros
Quatro milhões de canudos a menos no mercado
Dia Internacional sem sacos plásticos. Vamos nessa?
Nestlé quer embalagem biodegradável
Campanha contra plástico rende prêmio
Plásticos poluem Boa Viagem
Mutirão espontâneo contra o lixo
Plásticos viram vilões das tartarugas
Colete três plásticos na areia
Maquininha de passar cartão feita com plástico reciclado do mar
250 milhões de tampinhas retiradas da natureza em seis estados
Lixo plástico vira cinema nas escolas
Startup faz campanha contra lixo
Prêmio de R$ 50 mil para quem no mundo melhor limpar sua comunidade
 Leite Ninho: as vacas de brinquinho que mede a felicidade no pasto
Nestlé diz ter evitado emissão de gases que equivalem a 1,2 milhões de carros
Mata Atlântica vai ganhar 1 milhão de árvores: promessa da Nestlé
Leite Ninho: as vacas de brinquinho que mede a felicidade no pasto
Cerrado ganha corredor ecológico
Mata Atlântica: Corredores ecológicos
PE: Mata Atlântica sobrevive
As riquezas da Mata Atlântica
Mata Atlântica: PE fez o dever de casa
Ambientalistas preocupados: só restam 1.300 muriquis na natureza
Cabo ganha 4.750 árvores
“Arca de Noé” para corais ameaçados
Esso decide plantar 20 mil árvores para proteger mico-leão-dourado
Brumadinho: 125 hectares de florestas e vidas humanas destruídas
Visite o Legado das Águas nas férias
Coca-Cola planta 600 mil árvores 
Praia dos Carneiros ganha aliado contra o turismo predatório
Catadores tiram 5 milhões de latinhas deixadas pela folia em Olinda
Brasil tem camisa carbono zero
Festival de Aves no Sul da Bahia
Borboleta rara no Legado das Águas
A inédita visita do sabiá ferreiro

Quase 20 mil tartaruguinhas ao mar
As mil e uma utilidades do butiá
Por um milhão de árvores na Amazônia
Cepan: Dois milhões de árvores plantadas
Mata Atlântica ganha viveiro de mudas
Quase 20.000 tartarugas ao mar
Em uma semana, Mata Atlântica ganha 14 mil árvores da Levi’s e da Farm

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação / Bacardi e National Geographic / Acervo #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.