Mais árvores virando carvão

Em atuação no Sertão de Pernambuco, a Fiscalização Preventiva Integrada destruiu mais doze fornos, que faziam carvão utilizando madeira extraída ilegalmente da caatinga, vegetação típica do Semi-Árido  e tida como bioma único no mundo. Os fornos assassinos foram encontrados em Iguaraci (nove) e Tuparetama (três). Na semana passada, 22 já haviam sido desmontados em Iguaraci, município localizado a 353 quilômetros do Recife. Com a iniciativa, já somam 34 os “assadores” de árvores que foram desmontados.

De acordo com a FPI, os flagrados em Tuparetama são os maiores já identificados em Pernambuco. E apresentavam capacidade para produção semanal de 480 sacas de carvão por fornada. Pensem em um absurdo! Para produzir ilegalmente o carvão, era necessária a destruição de mata nativa. As equipes da FPI encontraram desmatamento em área de 44,2 hectares. Tudo errado. Nada menos de 188 sacas de carvão foram apreendidas e doadas à Prefeitura de Afogados de Ingazeira,  único município fiscalizado na região que dispõe de equipamentos públicos licenciados para receber esse material (Matadouro Público e Cozinha Comunitária). O responsável pelos fornos em Tuparetama foi autuado com penalidade de multa. O proprietário não estava presente no momento da ação, mas foi devidamente qualificado e receberá as sansões mencionadas.

Em Tuparetama, duas armas de fogo (um fuzil e um rifle tipo escopeta), sem registros, também foram encontradas, apreendidas e entregues à Delegacia do município, localizado a 385 quilômetros do Recife. Em Carnaíba, uma indústria de produção de cimento que estava funcionando sem licença para operação foi identificada. A empresa foi multada  e teve suas atividades suspensas até que se regularize. “Estamos atuando com a finalidade de assegurar as ações para qualificação de uma gestão ambiental sustentável na região do alto Pajeú”,  destaca Francisco Campello, superintendente do Ibama. A FPI é uma operação gigante, que em objetivo de preservar o meio ambiente e melhorar a qualidade de vida do sertanejo. Antes de chegar a Pernambuco, já passou por três outros estados (Bahia, Minas Gerais, Alagoas e Sergipe). A FPI conta com a parceria de 50 instituições, entre órgãos públicos estaduais, federais e privados. E viva à natureza, à caatinga, ao Sertão e ao seu povo!

Leia também:
Operação gigante mobiliza Sertão
Pássaros ganham liberdade no Sertão
Árvores viram carvão no Sertão
“Matas” de cimento em Paulista

Texto: Letícia Lins/ #OxeRecife
Foto: Cprh/ FPI/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.