Filme “A botija, o beato e a besta-fera” de Túlio Beat conquista novos prêmios

É chegar e arrasar. O curta A Botija, O Beato e a Besta-Fera está sempre levando premiações pelos festivais por onde é exibido. Já ostenta cerca de 20 destaques. O filme, dirigido por Túlio Beat, foi o grande vencedor do III Cine Caatinga realizado neste mês de junho em Petrolina, município localizado a 769 quilômetros do Recife.  Tanto a cidade sertaneja  (que fica à margem do Rio São Francisco) quanto Caruaru (na região Agreste, onde o filme foi realizado) vivem em efervescência cultural.

A produção venceu os prêmios de Melhor Filme (Júri Oficial), Melhor Filme (Júri Popular) e Melhor Edição/Efeitos Especiais (para Paulo César Araújo e Paulo Conceição). Entre mais de 50 filmes de todo Nordeste, o curta chamou a atenção do público, do qual conquistou mais de 30 mil votos.  A Botija, O Beato e a Besta-Fera é uma premiada produção ficcional gravada em Vila Itaúna, zona rural de Caruaru, Agreste de Pernambuco, a 130 quilômetros do Recife.  Produzido pela Companhia Bacurau Cultural, o filme conta a história de um Beato (Luciano Torres) que sonha com uma botija e decide sucumbir à ganância. O filme tem a ver com cordel, com lendas como as das botijas.

E também com assombrações. Três ingredientes que muito mexem com o imaginário popular. E, talvez, seja essa a razão do seu sucesso. Para o realizador do Festival  Cine Caatinga, Wilyssys Wolfang, a premiação não foi surpresa:

O Cine Caatinga promoveu várias sessões presenciais e na maioria delas o público reagia de maneira muito intensa com o filme A Botija, o Beato e a Besta-Fera, o que já o apontava para uma empatia junto ao público, formado principalmente por jovens. Para nós na organização de um festival que estimula a promoção identitária e a valorização de nossa cultura é uma honra ter filmes como ‘A Botija, O Beato e a Besta Fera’ em nosso catálogo e em nossas exibições

O curta já participou de mais de 30 festivais nacionais e internacionais, recebendo mais de 20 prêmios, indicações e menções, sendo destaque no Orocine – Mostra Orobó de Cinema, Phenomena Festival em São Paulo, Curta Taquary, Festival de Cinema Vale do Pindaré e no FENACIN – Festival Nacional de Cinema Independente de Santa Maria-RS. Assista aqui: https://cinecaatinga.com.br/filmes/a-botija-o-beato-e-a-besta-fera/

Lendas como as das botijas e de assombrações sempre mexem com o imaginário popular do pernambucano

Nos links abaixo, você pode conferir outras informações sobre a Companhia Bacurau Cultural, que congrega jovens artistas do Agreste de Pernambuco. Outra produção do grupo, O último aviso, dirigido por Éryka Vasconcelos, também coleciona premiações. O filme aborda um tema delicado: a esquizofrenia. No caso, as alucinações vividas por uma paciente que se recusa a tomar medicamentos para minorar os efeitos da doença.

Leia também
Cia Bacurau Cultural: A botija, o beato e a besta-feira ganha novo prêmio
Bacurau Cultural vai a campo
Éryka Vasconcelos coleciona prêmios com filme sobre esquizofrenia
Filme sobre esquizofrenia ganha prêmios
Luciano Torres ganha prêmio internacional: botija, beato e besta fera
Cinema: Túlio Beat, da Bacurau Cultural leva Botija à Itália e à Inglaterra
Incluído entre os cem melhores filmes  brasileiros,Tatuagem ganha livro
Cotidiano de Água Fria, no Recife, vai a dois festivais de cinema
Cineclube ao ar livre em Apipucos
Farmácia viva e audiovisual: produção coletiva em Apipucos
Cineclubes: a conexão Brasil – Alemanha
Apipucos tem Movimenta Cineclubes: mudanças climáticas em discussão
Bairros ganham Movimenta Cineclube
A Cineasta luta pela sede da Aurora Filmes
Cinema vai à escola e praça em Tabira
Cinema, rio e bicicleta em discussão
Esplendor e o cinema para cegos
A história do menino que processa os pais por o terem colocado no mundo
Muito bom “Uma casa à beira mar”
Filmes made in PE para ver em casa
A lenda do “muso” sem cabeça
Boneca malamanhada assusta em Casa Forte: “Irmã do boneco assassino”
Recife dos fantasmas tem “Guia de assombrações para crianças corajosas”
Assombrações no Mês das Crianças
Fantasmas no Forte das Cinco pontas
Moreno: Uma história de assombração
Baobá, rio, assombração e La Ursa Tours
Assombração mobiliza Academia
Zoo noturno mal assombrado, ui, ui
Assombrações no Zoo: De Cumadre Fulozinha à Motosserra Insana
Assombrações em Dois Irmãos. Vamos?
Casa Forte: Cultura geek e assombrações
Sessão Recife Nostalgia: O Parque Amorim e a lenda do Papa-Figo
Cidade Assombrada, no Olha! Recife
Mais assombração no Olha! Recife
Fantasmas de minha vida sem mim
Dia de caminhadas no Recife e em Olinda
Cobogó das artes solta os vampiros em Sete luas de sangue
Olha! Recife e Mamam : lendas urbanas
Filme “Recife Assombrado” chega ao Canal Brasil

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação / Cia Bacurau Cultural

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.