Mulheres são maioria no microcrédito

Nesses tempos de desemprego e pandemia, nada como empreender. E tem muita gente se virando para sobreviver.  Seja vendendo bolo, preparando pizza, organizando feirinhas, fazendo artesanato. Grande parte desse grupo é formado por mulheres, microempreendedoras que podem contar com mais  um “empurrãozinho” nos seus negócios. É que a Prefeitura está convidando-as para um encontro na próxima sexta-feira, 17/09. O assunto é bom: crédito com as menores taxas de juros do mercado.

Ou melhor, o Programa Crédito Popular do Recife, cujos técnicos estarão no Compaz Dom Hélder Câmara (na Ilha Joana Bezerra), entre 9h e 13h para atender às empreendedoras. A ação tem por objetivo ampliar a participação das mulheres no Cred Pop, como o programa é chamado. Os empréstimos podem ser de até R$ 3 mil, e é importante que as interessadas levem identidade, comprovante de residência e laudo médico, no caso de pessoas com deficiência.

Os agentes do programa estarão no local para explicar como funciona a iniciativa de incentivo a micro e pequenos negócios e auxiliar as interessadas. O crédito serve para iniciar um negócio ou para incrementar um existente com a compra de  equipamentos e insumos. A prioridade do programa são mulheres, jovens, negros e pessoas com deficiência.   Quem adere ao programa parcela o empréstimo em 12 prestações, com taxa de juros de 0,99% – a menor do mercado tradicional – e quatro meses de carência para iniciar os pagamentos. Quem quitar as 11 primeiras parcelas, a última fica por conta da Prefeitura, o que representa juros zero ao longo do empréstimo.

Até o início desse mês de setembro, o Programa Crédito Popular do Recife já liberou mais de R$ 2 milhões em recursos, beneficiando quase 1,2 mil micro e pequenos empreendedores. As mulheres foram o maior público beneficiado: 60,7% do total. O tíquete médio das liberações está em R$ 1.746,92. O crédito popular foi uma das promessas de campanha da última eleição municipal, inclusive do então candidato e hoje Prefeito João Campos (PSB). E funciona como uma alavanca para ajudar em pequenos negócios.

Abaixo, você confere informações com histórias de pessoas empreendedoras, e mulheres corajosas, que conseguiram se virar na pandemia.

Leia também
Sacolé Din Din dá prêmio “Tamo junto” a empreendedora pernambucana
Um  pedacinho de Paris em Carpina
Hotel Central, Ciça Guimarães, Dona Rosa e Arroz doce
Bora Preservar: “Tour” no Hotel Central
Pink entre cores, aromas e sabores
Praça de Alimentação à margem do Açude de Apipucos
A Serra Pelada de Sinha é só riqueza
A designer dessa pilha de livros 
Docecleta: a bike que virou empresa
Bom Jesus ganhará o primeiro shopping de empreendedorismo social
Grafite estimula o empreendedorismo
Onda verde: terrários viram colares
Governo anuncia R$ 10 milhões para micro e pequenas empresas
Praia: Crédito para barraqueiros e nenhuma capacitação sobre destino do lixo
Ajuda informal para os informais
Salões de beleza têm financiamentos especiais
Eventos: casas fechadas e crédito 

Praia: Crédito para barraqueiros
Vem dinheiro para quiosques da praia
Fechados na pandemia, salões de beleza têm financiamentos
Banho de mar  e quiosques são liberados
Os novos artistas da pandemia
A arte de fazer arte na pandemia
A capacidade de se reinventar
As roupinhas e máscaras coloridas da família de Francisca
Fabio: Entre a Passa Disco e a Natureza
Recife, mangue e aldeõs guaiás
Artesãs em nova loja: Arte delas

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Daniel Tavares / Divulgação / PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.